domingo, 11 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

STF

Vereador do RJ acusado de chefiar milícia ganha liberdade

Decisão do ministro Marco Aurélio, do STF, entendeu que a prisão ocorreu a partir de simples imputação, dando-se a culpa como selada.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

O vereador carioca Luiz André Ferreira da Silva, acusado de chefiar milícia no RJ, teve pedido de HC deferido pelo STF. Decisão do ministro Marco Aurélio entendeu que a prisão ocorreu a partir de simples imputação, dando-se a culpa como selada.

De acordo com os autos, o político foi denunciado por quadrilha armada e teve sua prisão preventiva decretada, em abril de 2011, pela desembargadora Gizelda Leitão Teixeira, do TJ/RJ. A magistrada entendeu que a determinação se dava pela garantia da ordem pública e por conveniência da instrução criminal. Formulou-se pedido de revogação da custódia, indeferido pela relatora.

Contra essa decisão, formalizou-se HC no STJ. O pedido foi indeferido pelo ministro convocado Vasco Della Giustina, desembargador do TJ/RS que assentou não vislumbrar flagrante ilegalidade a justificar o abrandamento da orientação firmada no verbete 691 da súmula do Supremo.

No pedido de habeas impetrado no STF, onde o réu requer alvará de soltura, alega estar a segregação cautelar alicerçada apenas na gravidade abstrata do crime e na repercussão dos fatos na mídia. Sua defesa assinala que a única arma encontrada em poder do político seria uma faca de uso doméstico.

Para o ministro Marco Aurélio, em decisão monocrática, entende que exame do processo revela constrangimento ilegal a alcançar a liberdade de ir e vir do paciente. Para ele, "A prisão preventiva foi implementada a partir de simples imputação, dando-se a culpa como selada", afirmou.

O vereador foi representado pelos criminalistas Carlo Huberth Luchione, Claudio Serpa e Felipe Caldeira, do escritório Luchione Advogados.

Veja a íntegra da decisão.

____________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 19/10/2012 08:27