quinta-feira, 9 de julho de 2020

ISSN 1983-392X

Advocacia

OAB/SP vai descentralizar 90 mil inscritos no centro

Campanha irá estimular a transferência, que deve ser facultativa.

sábado, 4 de maio de 2013

No intuito de fortalecer as subsecções da capital, o presidente da OAB/SP Marcos da Costa, reuniu, na última quinta-feira, 2, às 17h30, na sede da OAB, todos os presidentes de subseções de SP para propor a descentralização dos 90 mil inscritos no centro, estimulando-os a se vincularem nas subseções. Historicamente, a subsecção do centro tem como diretoria os diretores da Seccional.

“A intenção é fazer com que as subseções da capital sejam fortalecidas e que os advogados participem destas subseções”, disse Costa. "Pensamos que a transferência deva ser facultativa e o estímulo seja mostrar aos colegas a importância da vinculação com nossas subseções para que possam usufruir não só dos serviços prestados pela OAB, mas também da convivência com os colegas da mesma região."

Os presidentes se manifestaram favoravelmente à proposta, que foi aprovada por unanimidade. Também foi sugerido que a OAB/SP desenvolva campanhas para incentivar os advogados e estagiários que estão inscritos no centro a migrarem para as subsecções e se promova um recadastramento para atualização dos dados.

O presidente de São Miguel paulista, João Luiz Pomar Fernandes, considerou a proposta brilhante e acredita que ela permitirá ao advogado estreitar os laços com a região. Já Claudio Schefer Jimenez, de Santo Amaro, considera a descentralização importante para valorizar a subseção e sugeriu a realização de uma campanha. Lembrou que durante a eleição fez visita a um prédio no Largo 13, onde 80% dos advogados não eram inscritos em Santo Amaro.

Rodolfo Ramer da Silva Aguiar, de Nossa Senhora do Ó, apontou frentes de trabalho: trazer os advogados do Centro para a subsecção e realizar a inscrição de novos diretamente na subsecção. Eudécio Teixeira Ramos, presidente da subsecção de Itaquera, também endossou a proposta de descentralização.

A presidente do Ipiranga, Andréa Regina Gomes, disse que sua diretoria tem buscado atrair os inscritos no Centro, mas que é preciso combater alguns mitos, como o fato de que advogado que se inscreve no Centro recebe mais cedo a carteira da OAB.

O presidente da Subseção de Pinheiros, Pedro Ivo Gricoli Iokoi, que conseguiu triplicar o número de inscritos nos últimos anos, explicou que foram elaboradas “algumas ações de transferência de advogados do Centro para Pinheiros, bem sucedidas. Não apenas pelos benefícios locais e parcerias que temos com comerciantes e empresários da região, mas também pelo relacionamento que desenvolvemos com os advogados na subseção, devido ao ponto estratégico que temos na Vila Madalena e ao trabalho de toda a diretoria [local] e das comissões que foram cativando os advogados a participarem da Casa e integrarem a família pinheirense.”

Para a presidente de Santana, Eliana Malinosk Casarini, a descentralização traz vantagens aos advogados: "Em primeiro lugar para que ele conheça a entidade a qual pertence, para frequentar e trabalhar efetivamente na subseção e, além de tudo, para facilitar, pois quem vive na capital tem o agravante do trânsito a enfrentar e o deslocamento do advogado acaba ficando muito mais fácil, não apenas para resolver problemas como renovação de carteira e outros, como também proporcionar maior participação no dia da eleição".

Na avaliação de Antônio Ricardo Miranda Júnior, presidente do Jabaquara, a descentralização é importantíssima, pois aproxima a OAB/SP do advogado: “Enquanto o advogado inscrito na central é apenas 'mais um', na subseção ele está integrado e inserido com a sua comunidade. Então eu vejo com bons olhos e torço para que essa campanha seja efetiva e traga o advogado para a nossa Subseção do Jabaquara”.

O presidente da Lapa, Pedro Luiz Napolitano, tem convicção de que a descentralização será positiva, pois pode dobrar o número de inscritos: "Hoje temos em torno de 3 mil inscritos e poderemos chegar a 6 ou até 10 mil advogados inscritos na subseção e com isso o presidente e a diretoria serão valorizados; assim como a subseção, que realiza uma série de trabalhos na região, inclusive junto às subprefeituras e entidades locais, o que vem a aproximar o advogado da sua própria casa."

O presidente de Penha de França, Márcio Gonçalves, considerou excelente a proposta: “Na realidade, o presidente Marcos da Costa mais uma vez inova, colocando uma proposta que ao nosso ver deve ser implementada e ter o empenho dos demais presidentes [de subseções] da capital. Isso para que possamos juntos, todos, descentralizados conseguirmos alcançar um pouco mais e termos diretrizes, considerando o número de advogados inscritos em cada subseção.

Para Leopoldo Luis Lima Oliveira, o Tatuapé “é um dos bairros que mais cresce em São Paulo e acho fabulosa essa proposta [de descentralização], que cria um estímulo para o advogado, traz união maior da classe. Isso traz maior aprimoramento sob o ponto de vista gestacional da OAB/SP e mais união para a classe”.

Como segunda pauta da reunião, Marcos da Costa, propôs aos presidentes das subseções paulistanas a consolidação das ações e estudos que cada uma delas vêm promovendo em suas respectivas regiões para desenvolver um projeto que envolva a cidade: “Precisamos identificar as necessidades locais e a partir do debate com a sociedade e entidades, tirar questões que estão preocupando a população e encaminhar ao Prefeito, colaborando com seu plano de metas e, assim, contribuir para construir uma cidade melhor para todos”, concluiu Costa.

Participaram da reunião a vice-presidente da OAB/SP, Ivette Senise Ferreira; o secretário-geral adjunto, Antonio Ruiz Filho; o diretor-tesoureiro, Carlos Roberto Fornes Mateucci, e a diretora-adjunta Tallulah Kobayashi de Andrade Carvalho.

____________

patrocínio

Advertisement

últimas quentes

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram