terça-feira, 15 de junho de 2021

MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Convite da cerimônia de filiação de Eliana Calmon ao PSB circula em formato de santinho

Publicidade

Política

Convite da cerimônia de filiação de Eliana Calmon ao PSB circula em formato de santinho

Nesta quarta-feira, 18, a ministra Eliana Calmon encerra sua carreira na magistratura.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Nesta quarta-feira, 18, a ministra Eliana Calmon encerra sua carreira na magistratura, se aposentando após 14 anos no STJ e 34 de magistratura. Já no dia seguinte, 19, Calmon irá se filiar ao PSB de Eduardo Campos - associado à Rede Sustentabilidade, de Marina Silva -, para concorrer ao Senado pela BA.

O convite da cerimônia de filiação já circula na caixa de e-mails de colegas do Judiciário, advogados e amigos da ministra aposentada. Confira:

Biografia

Eliana Calmon nasceu em 5 de novembro de 1944 em Salvador. Bacharel em Direito pela UFBA (Turma de 1968), suas funções atuais incluem, além de ministra do STJ, membro da Corte Especial e do Conselho de Administração do STJ e diretora-Geral da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados.

Calmon foi juíza Federal na BA nos anos de 1979 a 1989. Ministra substituta no TSE (biênio 2008/10), sua atuação ganhou destaque quando foi corregedora nacional de Justiça do CNJ, de 2010 a 2012.

Neste período, afirmou haver "bandidos de toga" na magistratura. Segundo Calmon, haveria uma infiltração de criminosos no Judiciário, que se escondiam atrás de suas posições. Parte da magistratura apoiou a declaração da ministra, mas muitas cartas de repúdio proliferaram à época.

A ministra destacou que apesar de haver maus juízes, "a imensa maioria dos 16 mil juízes do país é honesta, os bandidos são uma minoria". Ela também afirmou que sua principal realização como corregedora foi manter as prerrogativas do CNJ que permitem a luta por mais transparência no Judiciário.

Candidatura

No início do ano surgiram as notícias de que diferentes partidos estariam rondando a ministra para lançar sua carreira política.

O desembargador Willian Roberto de Campos, do TJ/SP, encaminhou ao CNJ pedido de instauração de PAD para apurar a conduta da ministra, afirmando que Eliana teria praticado atividade político-partidária. Corregedor nacional de Justiça, ministro Francisco Falcão determinou o arquivamento sumário da representação. Para Falcão, contudo, não há nada concreto que caracterize a atividade alegada.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 17/12/2013 09:13

LEIA MAIS