sexta-feira, 16 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Multiparentalidade

Autorizado registro civil de criança em nome de um pai e de duas mães

Para o magistrado, a pretensão é moderna, inovadora, mas, principalmente, tapada de afeto.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O juiz de Direito Rafael Pagnon Cunha, da vara de Santa Maria/RS, autorizou que uma criança tenha o nome do pai e de duas mães em seu registro civil. Para o magistrado, a vida reservou à menina "um ninho multicomposto, pleno de amor e afeto".

No caso, a gestação foi concertada pelos três, com concepção natural. Assim, os pais biológicos e a companheira da gestante intentaram na Justiça fazer constar no registro civil do nascituro os nomes do pai e das duas mães, bem como de seus ascendentes.

O magistrado observou que a pretensão é "moderna, inovadora, mas, fundamentalmente - e o mais importante -, tapada de afeto". Nesse sentido, ressaltou que cabe ao Judiciário, como "Guardador das Promessas do Constituinte", dar guarida à pretensão, "por maior desacomodação que o novo e o diferente despertem".

Pagnon Cunha verificou ainda que as mães são casadas, o que lhes confere o direito ao duplo registro, e o pai possui igual direito. Assim, concluiu que "na ausência de impedientes legais, bem como com suporte no melhor interesse da criança, o acolhimento da pretensão é medida que se impõe".

Confira a decisão.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 15/9/2014 16:59