quarta-feira, 3 de junho de 2020

ISSN 1983-392X

TRT-2

Pesquisas mostram alta confiança dos usuários no TRT de SP

Pesquisa de satisfação do TRT-2 e relátorio da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho apresentam os dados.

quarta-feira, 18 de março de 2020

Uma pesquisa de satisfação feita no TRT da 2ª região apontou que 70% de seus usuários confiam no Tribunal. Entre os pontos com melhor avaliação na pesquisa estão as instalações físicas da Corte e o esclarecimento de dúvidas durante as sessões de conciliação.

t

É a segunda vez em que o Tribunal realiza a pesquisa de satisfação do público externo – especialmente de advogados e partes em processos – com relação aos seus serviços. A primeira pesquisa foi em 2017.

O questionário de 2019 foi elaborado com cinco temas: serviços online; prestação jurisdicional; atendimento; instalações físicas e comunicação.

De acordo com a pesquisa, de cada dez usuários dos serviços prestados, sete dizem confiar na instituição. Foram 1.239 respostas, sendo o perfil dos respondentes 89% advogados e 6% partes em processo, sendo 60% homens e com idade variante entre 35 e 69 anos.

t

O indicador “grau de satisfação” dos usuários externos foi de 59,2%, o que representa uma variação positiva de 5,6% em relação à pesquisa de 2017. Apesar da evolução apresentada, a meta de 60% estabelecida pelo PEI - Plano Estratégico Institucional 2015-2020 do TRT da 2ª região não foi atingida.

Prestação jurisdicional

Em relação à prestação jurisdicional, a pesquisa mostra que a satisfação dos usuários têm crescido se comparada à mostrada na pesquisa anterior. No que tange ao tempo das tramitações, os processos em fase de conhecimento, em 1º grau, foram avaliados com satisfação de 31,8%, um aumento de 12% em relação à última pesquisa. Os processos em 2º grau já tinham boa avaliação (80%) e cresceram em torno de 2%.  

t

Os itens com melhores avaliações foram: preparo técnico e conhecimento das causas e das normas jurídicas do magistrado de 2º grau, e cordialidade e tratamento com respeito pelo magistrado de 2º grau.

Conciliação

Um dos pontos mais bem avaliados na pesquisa foi o grau de satisfação com condutas e procedimentos durante a conciliação. As respostas “muito satisfeito” e “satisfeito” foram superiores a 70%, sendo os esclarecimentos de dúvidas em relação ao acordo o item mais bem avaliado.

Já sobre o resultado da conciliação, 57% dos usuários consideraram que foi bom para as duas partes, 7% que não foi bom para ninguém, 5% que foi bom apenas para a outra parte e em 31% das ocasiões não houve acordo.

t

Corregedoria

Segundo os dados da Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho, das 217 varas do Trabalho da 2ª região, 38 figuraram entre as 25% que obtiveram os melhores desempenhos do país no período de um ano, enquanto outras 67 figuraram entre as 25% que obtiveram os piores desempenhos do país no mesmo período.

t

A respeito do prazo médio de tramitação processual, contado do ajuizamento da ação até a prolação da sentença, o relatório mostrou que as varas do Trabalho da 2ª região correspondem ao menor prazo médio entre os tribunais de grande porte.

Porém, em relação ao prazo médio de duração do processo, do ajuizamento da ação até o arquivamento, o tempo médio total é de 1.326 dias – 3 anos e 8 meses , o que corresponde ao maior prazo médio entre os tribunais de grande porte e o segundo pior do país, à frente apenas da 19ª região, de Alagoas.

Por outro lado, o relatório da Corregedoria confirma o que apresentou a pesquisa do tribunal: o TRT-2 apresentou taxa de conciliação líquida acima da média dos tribunais de grande porte do país. O percentual foi de 51,3% em 2017, 49,2% em 2018 e 47,2% em 2019 - até o mês de abril.

t

Confira a pesquisa de satisfação do TRT-2 e o relatório da Corregedoria na íntegra.

patrocínio

Advertisement

últimas quentes

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram