quarta-feira, 21 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

MP 954/20

Após IBGE determinar imediata entrega de dados de clientes, partido reitera que STF suspenda MP

Para a legenda, instrução normativa do IBGE não confere a necessária segurança na transmissão de dados.

sexta-feira, 24 de abril de 2020

O PSB - Partido Socialista Brasileiro em ação que questiona a constitucionalidades da MP 954/20, solicitou a imediata concessão de medida cautelar para suspender a vigência de dispositivos que determinam que empresas de telecomunicação devem disponibilizar ao IBGE dados de consumidores durante pandemia.

Na ADIn 6.389, o pedido foi reiterado nesta quinta-feira, após o órgão publicar instrução normativa para que as empresas entreguem os dados imediatamente.

Para a legenda, que é aparada no processo pelo escritório Carneiros Advogados, "tais circunstâncias, revela-se ainda mais premente a necessidade de concessão da medida cautelar requerida na presente ação, como forma de evitar que a transmissão de dados pessoais de milhões de brasileiros seja efetivada".

t

Na última sexta-feira, 17, foi publicada a MP 954, dispondo sobre o compartilhamento de dados por empresas de telecomunicações, para produção estatística oficial, com o objetivo de realizar entrevistas em caráter não presencial no âmbito de pesquisas domiciliares. Conforme a MP, os dados devem ser disponibilizados em sete dias.

Três dias depois, a Anatel deliberou que o compartilhamento deve observar preceitos da CF e de outras normas, como a LGPD. No dia seguinte, terça-feira, 21, a ministra Rosa Weber - relatora de ações que questionam a referida MP -, concedeu prazo de 48 horas para o governo Federal prestar esclarecimentos acerca da medida.

No entanto, nesta quarta-feira, 22, foi publicada a Instrução Normativa nº 2/20 do IBGE, em que são estabelecidos os procedimentos para o compartilhamento de nomes, números de telefones e endereços dos usuários.

Para a legenda, o ato está longe de estabelecer padrões técnicos capazes de conferir a necessária segurança ao procedimento de transmissão de dados:

"O ato, longe de estabelecer padrões técnicos capazes de conferir a necessária segurança ao procedimento de transmissão dos dados - que, como já explicitado, permitem a identificação individual de grande parte dos cidadãos brasileiros - limita-se a realizar disposições genéricas, relegando às empresas de telecomunicação a escolha do formato e dos veículos de compartilhamento a serem adotados."

O partido alega que, na prática, o ato normativo "impediu por completo que as recomendações apresentadas pela ANATEL fossem incorporadas pelo ato da presidência do IBGE que disciplinou a transmissão dos dados".

Veja a íntegra da petição.

____________

____________

Para que o leitor encontre as notícias jurídicas específicas sobre coronavírus, reunimos todo o material em um site especial, constantemente atualizado. Veja, clique aqui: www.migalhas.com.br/coronavirus 

 

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 24/4/2020 10:01

LEIA MAIS