sábado, 15 de maio de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Plenária

STF: Pauta da semana traz questão eleitoral e compartilhamento de dados com IBGE

Sessões acontecerão na quarta e quinta-feira, a partir das 14h, por meio de videoconferência.

segunda-feira, 4 de maio de 2020

O plenário do STF se reúne por meio de videoconferência nesta semana para julgar ações que tratam do novo coronavírus.

Entre quarta e quinta, os ministros analisarão medidas provisórias que regulamentam competência para impor restrições durante pandemia; norma que prevê compartilhamento de dados com o IBGE por empresas de telecomunicações e a suspensão do prazo para filiação partidária para as eleições de 2020.

Confira os destaques.

t

Transporte intermunicipal e interestadual

O primeiro item pautado é a ação que ataca dispositivos das MPs 926 e 927 que tratam da competência dos estados, dos municípios e da União para restringir transporte intermunicipal e interestadual durante o estado de emergência decorrente da pandemia do novo coronavírus.

O julgamento foi iniciado na semana passada. Até o momento, cinco ministros votaram pelo deferimento parcial da medida cautelar para excluir estados e municípios, no âmbito de suas competências, da necessidade de obediência aos órgãos Federais na adoção de medidas relativas ao transporte interestadual e intermunicipal e de autorização do ministério da Saúde para a decretação de isolamento, quarentena e outras providências no campo da saúde.

Compartilhamento de dados - IBGE

Em 24/4, a ministra Rosa Weber suspendeu a eficácia da MP 954/20, que prevê o compartilhamento de dados de usuários por prestadoras de serviços de telecomunicações com o IBGE, para dar suporte à produção estatística oficial durante a pandemia do novo coronavírus. Para a ministra, as informações tratadas na MP estão no âmbito de proteção constitucional que ampara o direito à intimidade, à vida privada, à honra e à imagem das pessoas.

Nesta semana, o plenário decidirá se referenda ou não a liminar de Rosa Weber.

Matéria eleitoral

Também sob a relatoria da ministra Rosa Weber, está a ação que versa sobre a suspensão por 30 dias do prazo para filiação partidária, domicílio eleitoral e desincompatibilização para as eleições de 2020. Em 3/4, a relatora negou o pedido do PP - Partido Progressistas que pedia a suspensão de 30 dias dos referidos prazos.

Para a relatora, em análise preliminar, não foi demonstrado que a situação causada pelo combate à pandemia da covid-19 viola os princípios do Estado Democrático de Direito, da soberania popular e da periodicidade do pleito previstos na Constituição Federal.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 4/5/2020 12:25

LEIA MAIS