sexta-feira, 3 de julho de 2020

ISSN 1983-392X

Calamidade pública

Trabalhadora necessitada poderá sacar parte do FGTS mesmo antes da data prevista em MP

Juiz negou recurso da CEF para barrar saque.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

Em 1º grau, foi deferida a liberação da verba, limitada a R$ 1.045, com espeque na lei 8.036/90 e na MP 946/20. Inconformada, a CEF postulou efeito suspensivo ao recurso, sustentando a incompetência do juízo, e ilegalidade na medida.

t

Em análise do recurso, o magistrado destacou que a CEF não é detentora do referido crédito, mas apenas gestora e fiscal da respectiva regularidade. Portanto, o caso não atrai a competência da JF.

Quanto ao mérito, o magistrado observou que o juízo a quo apenas antecipou os efeito da MP 946/20, a qual prevê a possibilidade do FGTS, no limite estipulado pelo juiz, a partir de 15 de junho. Considerou, ainda, que a antecipação autorizada na sentença tem razões bastantes, e não representa qualquer prejuízo à requerente – que, em um mês, terá de liberar o valor por força da MP.

Ele destaca que, pela lei 8.036/90, haveria hipótese inclusive mais ampla que a prevista na MP, qual seja, de liberação integral da verba, a depender da necessidade, ante o estado de calamidade pública.

 “Em tal caso, portanto, demonstrado o concurso dos dois pressupostos - o estado de calamidade pública por desastre natural de ordem biológica (como é o caso) e a necessidade pessoal da reclamante.” 

Assim, indeferiu tutela pleiteada pela CEF. O recurso seguirá nos autos principais, para análise do relator. 

  • Processo: 0006397-38.2020.5.15.0000

Veja a decisão.

___________

Para que o leitor encontre as notícias jurídicas específicas sobre coronavírus, reunimos todo o material em um site especial, constantemente atalizado. Acesse: www.migalhas.com.br/coronavirus

 

t

informativo de hoje

patrocínio

Advertisement

últimas quentes

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram