terça-feira, 29 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Perícia médica

Servidora que pediu remoção durante a pandemia consegue por liminar direito à perícia

JF/RO determinou que a avaliação seja por meio de contato físico, pelos canais de comunicação disponíveis ou análise de documentos.

O juiz Federal substituto Samuel Parente Albuquerque, da 1ª vara de Ji-Paraná/RO, concedeu liminar determinando que órgão público faça perícia por junta médica oficial de uma servidora que requereu o pedido de remoção por motivo de depressão grave.

t

A servidora fez o pedido administrativo de remoção em maio. Porém, o pedido ficou parado em razão da pandemia, já que o órgão público responsável não está realizando perícias médicas desde o início da crise sanitária da covid-19.

Em sua decisão, o magistrado observou que o fato de a servidora não ter sequer uma previsão para ser avaliada pela junta médica oficial afronta a garantia de matriz constitucional de ver seu pedido administrativo apreciado em prazo razoável.

Para o juiz, cumpre ao órgão público empreender esforços para a realização da perícia na autora, seja por meio de contato físico, por meio dos canais de comunicação disponíveis ou análise de documentos.

"Em relação à possibilidade de risco de dano irreparável, conforme fundamentação supra, por se tratar de questão relativa à saúde, impõe-se a adoção de medidas com vistas a possibilitar a prolação de decisão administrativa, de forma mais célere, acerca do pedido de remoção vertido pela autora."

Assim, deferiu o pedido para determinar que o órgão público proceda à avaliação da autora por junta médica oficial, seja por meio de contato físico, pelos canais de comunicação disponíveis ou análise de documentos, no prazo de 10 dias.

O advogado Sérgio Merola, do escritório Sérgio Merola Advogados Associados, atua pela servidora.

Veja a decisão.

________________

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 3/8/2020 05:39