domingo, 11 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Novidade

TozziniFreire Advogados cria área exclusivamente dedicada a Empresas e Direitos Humanos

Área é um dos pilares do grupo multidisciplinar ESG (Environmental, Social and Governance) que vem registrando grande crescimento nos últimos meses

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Em mais uma iniciativa inovadora, TozziniFreire Advogados lança a área Empresas e Direitos Humanos, dedicada a tratar exclusivamente do tema no Brasil. 

A nova área oferece assessoria consultiva, com orientação sobre impactos da empresa em direitos humanos, e contenciosa, atuando na resolução de conflitos em direitos humanos (réu e autor), sempre sobre temas e parâmetros nacionais e internacionais de direitos humanos aplicáveis à atividade empresarial. O serviço engloba ainda auditoria e compliance; tratativas com o Ministério Público e órgãos de fiscalização; e estruturação de negócios sociais e de impacto, EcoBanking, responsible investing e investimentos socioambientais, todos norteados pelos Princípios Orientadores para Empresas e Direitos Humanos da ONU.

Para Fernando Serec, CEO de TozziniFreire, a criação da área vem de acordo com uma demanda de mercado, a partir de esforços anunciados entre empresas e governos internacionais, a qual se estabelecerá muito rapidamente por aqui. "Observamos movimentações como o Pacto Global e o Grupo de Trabalho do UN Guiding Principles, assim como o anúncio da União Europeia, com o plano de imposição de due diligence em 2021. Esse serviço, que há muito é essencial para as empresas, será em curto prazo uma demanda indispensável no Brasil", diz o CEO.

Clara Serva, responsável pela nova área de TozziniFreire e especializada em Mediação de disputas em Direitos Humanos, destaca que a preservação dos direitos humanos no ambiente corporativo tem ganhado mais relevância nos últimos tempos. "A relação das empresas com os direitos humanos tornou-se mais evidente, tanto por impactos positivos quanto negativos de suas atividades. Por anos, as discussões se mantiveram sob uma perspectiva filantrópica. Contudo, entendemos ser fundamental e inevitável que as empresas ultrapassem os limites da filantropia e internalizem os valores de direitos humanos em seu core business", explica a advogada.

Como pilar do Grupo Multidisciplinar ESG, que registrou grande crescimento nos últimos meses, a área atua diretamente em frentes relacionadas ao público interno (colaboradores e prestadores de serviços), comunidade em que o negócio se insere e seu entorno, pela atividade-fim (serviço ou produto gerado) e com cadeia de produção. "Na prática, um dos exemplos que podemos mencionar é a expertise da área em resolver questões como a rescisão de contrato com fornecedores que violem direitos humanos e a internalização de tais valores em todas as etapas da cadeia de produção. Trabalhando lado a lado com os clientes, buscamos esvaziar ou mitigar riscos e maximizar os impactos positivos da empresa nos direitos humanos", conclui Clara Serva.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 23/9/2020 08:53