quinta-feira, 15 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Empréstimo

Financeira não indenizará consumidor vítima de golpe

Homem não conseguiu demonstrar que contratou empréstimo com a empresa.

quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Sociedade de crédito não terá de indenizar consumidor que alegou falha na prestação de serviço na contratação de um empréstimo, mas na verdade foi vítima de golpe. A decisão é do JEC de Campo Largo/PR.

(Imagem: Freepik)

(Imagem: Freepik)

O autor ingressou com ação contra uma sociedade de crédito alegando, em síntese, que realizou a contratação de um empréstimo, mas, para sua liberação, teve de realizar depósito de pouco mais de R$ 1.500, e que até o momento não recebeu o valor do empréstimo. Requereu, assim, a devolução em dobro, a rescisão do contrato e a condenação da ré por danos morais.

Publicidade

Mas, analisando os fatos, a juíza leiga Caroline Chaparro dos Santos observou que não há nos autos comprovação de que a contratação de fato se efetivou com a empresa de crédito. "Embora haja um contrato no qual consta o nome da parte ré, pelos demais documentos acostados pelo autor, especialmente as conversas de Whatsapp e os comprovantes de depósito, não é possível imputar qualquer responsabilidade à ré."

Sobre o depósito que o autor alega ter realizado, a juíza destacou que se deu em nome de terceiros - não teve como beneficiária a empresa. E, sendo assim, não há que se falar em restituição dos valores pagos.

"Apesar da lamentável situação vivenciada pelo autor, o qual possivelmente foi vítima de fraude perpetrada por terceiros, não há fato ilícito ou falha na prestação dos serviços a ser imputada à parte ré."

Ela concluiu afirmando que o prejuízo financeiro não ocorreu por falha no serviço, mas por negligência do próprio autor, "o qual não se acautelou quanto à veracidade das informações pertinentes à contratação, configurando assim hipótese de excludente de responsabilidade". Os pedidos foram julgados improcedentes.

Os advogados Danielle Braga Monteiro e Rafael de Araujo Verdant Pereira, de Albuquerque Melo Advogados, representam a empresa.

  • Processo: 0011982-48.2019.8.16.0026

Leia o projeto de sentença e a homologação.

_______________

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 5/11/2020 08:25