quarta-feira, 21 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Eleição 2020

Após três horas de atraso, TSE finaliza contagem dos votos

Presidente da Corte eleitoral, ministro Barroso, explicou que atraso ocorreu em razão de problemas técnicos e que não houve risco à segurança do sigilo dos votos.

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, informou na noite deste domingo, 15, que a totalização dos votos do primeiro turno das eleições foi finalizada às 23h55. Barroso reiterou que o atraso de três horas na divulgação dos resultados ocorreu devido a uma falha em um computador.

(Imagem: Roberto Jayme/ASCOM/TSE)

Ministro Luís Roberto Barroso.(Imagem: Roberto Jayme/ASCOM/TSE)

Conforme o ministro, não houve qualquer risco para integridade do sistema e à segurança do sigilo dos votos, porque o problema ocorreu somente na divulgação. Os dados dos tribunais regionais eleitorais foram recebidos normalmente.

"Lamento o atraso ocorrido. Ele decorreu, provavelmente, do aumento das medidas de segurança que nós trouxemos para o sistema e de uma possível falha em um dos processadores. A demora não compromete a integridade do sistema, menos ainda uma demora de menos de três horas", explicou o ministro.

Barroso também explicou que, na gestão passada do TSE, o modelo de centralização dos votos mudou. A totalização dos votos deixou de ser feita em cada TRE e passou a ser de competência da corte eleitoral.

"Foi uma decisão técnica decorrente de uma recomendação da Polícia Federal. Embora, eu tenha dito que não tinha simpatia pela medida, eu também a teria tomado se tivesse sido sob minha gestão, porque era a recomendação técnica de um relatório minucioso da PF a esse respeito", afirmou.

Ataque hacker

Ministro Barroso também explicou que o ataque no sistema de votação não interferiu em nada na eleição. Segundo o ministro, o acontecimento foi um episódio específico, que aconteceu às 10h41 deste domingo, 15. O presidente do TSE garantiu que a tentativa de invasão foi bloqueada a tempo, sem conseguir entrar no sistema. 

"Houve reação imediata de nossos técnicos. Foi um acesso de várias origens, como o Brasil, Estados Unidos e Nova Zelândia. Esse tipo de ataque se chama ataque distribuído de negação de serviços, que consiste na tentativa maciça de pelo grande número de acessos de derrubar o sistema. Não derrubaram o sistema e, portanto, foi inteiramente inócuo."

Barroso também falou sobre o suposto vazamento de dados de funcionários do TSE. Segundo ele, a Polícia Federal já apurou o caso e descobriu que o vazamento ocorreu antes de 23 de outubro e provavelmente se refere a fatos passados, já que as informações vazadas são de 2001 a 2010.

Publicidade

Barroso enfatizou que as urnas de votação não são conectadas em rede, o que as protege de qualquer tipo de ataque que possa interferir no processo eleitoral.

Abstenção

Durante coletiva de imprensa, Barroso informou que os índices de abstenção do eleitorado no primeiro turno foram inferiores a 25%, número um pouco superior em relação às eleições de 2018.

"Queria cumprimentar o eleitorado brasileiro, que compareceu em massa, apesar das circunstâncias. Nós tivemos a preocupação de dar máxima segurança à saúde de todos".

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 16/11/2020 07:44

LEIA MAIS