segunda-feira, 29 de novembro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Após caso de Mariana Ferrer, projeto torna obrigatória gravação de audiências em processos penais
PL

Após caso de Mariana Ferrer, projeto torna obrigatória gravação de audiências em processos penais

Em novembro, a divulgação de um vídeo de um julgamento virtual envolvendo o empresário André de Camargo Aranha, acusado de estuprar a influencer Mariana Ferrer, causou revolta na comunidade jurídica.

domingo, 3 de janeiro de 2021

A senadora Leila Barros apresentou projeto de lei (PL 5.225/20) que obriga a gravação integral das audiências feitas no processo penal, em formato de áudio e vídeo.

O texto busca alterar o CPP para obrigar o registro dos depoimentos do investigado, indiciado, ofendido e testemunhas por meio de gravação audiovisual, em meio digital ou analógico, desde que assegure o rápido acesso das partes e dos órgãos julgadores.

(Imagem: Reprodução)

(Imagem: Reprodução)

A proposta também permite que a gravação possa ser feita diretamente por qualquer uma das partes, independentemente de autorização judicial. A gravação da audiência de instrução poderá ser reproduzida em plenário.

Na justificativa do projeto, a senadora explicou que o CPC já possibilita a gravação audiovisual das audiências, mas que, por outro lado, o CPP ainda não avançou nessa questão.  A ideia, segunda Leila, é estabelecer que a gravação audiovisual desses atos judiciais deixe de ser uma possibilidade e passe a ser obrigatória.

Caso Mariana Ferrer

O episódio que serviu de iniciativa para a proposição do projeto foi a audiência da influencer Mariana Ferrer, que acusa o empresário André de Camargo Aranha de estupro. As imagens, amplamente divulgadas nas redes sociais e nos noticiários, mostravam o advogado de defesa fazendo acusações de caráter misógino contra a vítima, sem ser contido pelo juiz ou pelo promotor de Justiça que atuaram no julgamento.

Segundo a senadora, só foi possível que a sociedade tomasse conhecimento dos fatos graças à gravação da audiência que, por ter sido virtual, possibilitou o mecanismo.

"Felizmente para vítima e para a sociedade brasileira, como se tratou de uma audiência virtual, a sessão foi integralmente gravada e assim todos pudemos ter ciência dos absurdos praticados naquela oportunidade." 

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 3/1/2021 08:18