terça-feira, 21 de setembro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Bruno Dantas investiga suposta interferência em eleição do TCU
Processo administrativo

Bruno Dantas investiga suposta interferência em eleição do TCU

Troca de mensagens entre o auditor Nivaldo Dias Filho com o procurador Dallagnol foi divulgada com exclusividade por Migalhas.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

O ministro Bruno Dantas, do TCU, determinou a instauração de processo administrativo para apurar eventual desvio funcional cometido pelo auditor de controle externo Nivaldo Dias Filho por suposta interferência na eleição para a presidência da Corte.

A troca de mensagens entre o auditor e o procurador Deltan Dallagnol foi divulgada com exclusividade por Migalhas na última quarta-feira, 17.

(Imagem: UOL/Folhapress)

(Imagem: UOL/Folhapress)

Nos diálogos, é possível perceber a tentativa de Nivaldo de impedir a reeleição do ministro Aroldo Cedraz para a presidência do TCU. "Precisamos de algum fato contundente sobre ele que possa convencer os ministros a não reelege-lo (sic)", diz a Dallagnol.

Em outra troca de mensagens, ocorrida em janeiro de 2018, o auditor teria dito que estaria propenso a ir para Curitiba trabalhar in loco na força-tarefa, porém dependeria de que houvesse a cessão da sua esposa, que seria servidora do Distrito Federal, para o Estado do Paraná.

No despacho da última quinta-feira, 18, Bruno Dantas diz que a conduta funcional do servidor deve ser objeto de investigação pela Corregedoria do Tribunal, tendo em vista a possível ocorrência de desvio funcional.

"Inicialmente, entendo que a apuração deva começar por meio do levantamento de informações no âmbito do próprio Tribunal, sem prejuízo de que, se necessário, seja solicitado ao STF o compartilhamento de eventuais provas pertinentes ao caso."

O ministro ordenou, ainda, a verificação de todas as ligações telefônicas da unidade de lotação do referido auditor para a cidade de Curitiba, no período de 15/5/15 a 31/12/15, bem como de eventual telefone celular profissional a ele disponibilizado.

Também devem ser listados todos os e-mails enviados e recebidos pelo auditor que se referem ao domínio da PGR, do MPF e do MP/DF.

"Ademais, devem ser verificados todos os e-mails que possam ter ligação com o Procurador da República Deltan Dallagnol e com os Promotores de Justiça Sérgio Bruno Cabral Fernandes e Wilton Queiroz de Lima."

Publicidade

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 22/2/2021 09:56