domingo, 28 de novembro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Dona de restaurante não poderá suspender contrato de financiamento
Dinheiro

Dona de restaurante não poderá suspender contrato de financiamento

A empresária alegou que teve diminuição em seu faturamento em razão da pandemia.

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Uma empresária do ramo de restaurantes não conseguiu na Justiça a suspensão de seu contrato de financiamento bancário. A autora alegou que teve diminuição em seu faturamento em razão da pandemia. A decisão que julgou a ação improcedente é do juiz de Direito Lucas Borges Dias, da 4ª vara Cível de Barueri/SP.

(Imagem: Freepik)

(Imagem: Freepik)

Trata-se de ação de obrigação de fazer através da qual pretende a parte autora a suspensão das parcelas de agosto a dezembro de 2020 do financiamento bancário. Narra que sempre pagou as parcelas avençadas regularmente, mas que em razão da pandemia provocada pelo coronavírus teve diminuição no faturamento do restaurante.

O banco, por seu turno, afirma que "a suspensão de obrigações deve ocorrer necessariamente em razão de ato negocial entre as partes. Invocar a ocorrência de caso fortuito ou de força maior, não é suficiente para que seja autorizada a quebra de contrato".

Ao julgar o caso, o juiz salientou que ninguém discute a imprevisibilidade da pandemia, tampouco seus efeitos catastróficos na vida das pessoas e na economia mundial.

Porém, para o magistrado, a situação de expressiva redução do faturamento não mais persiste.

"Cumpre observar que a alteração ou modificação das bases negociais gerada pela grave crise sanitária se reveste de natureza transitória, de modo que a sua superveniência, provocando repercussões que podem ser demarcadas ou delimitadas no tempo, não pode ser invocada como justificativa para uma revisão permanente ou definitiva do contrato, a gerar grave desequilíbrio na relação negocial o que, universalizado, poderá redundar em graves efeitos no mercado de crédito do país."

Veja a decisão.

t

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 6/5/2021 07:35