quinta-feira, 28 de outubro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Lava Jato: Ministro critica falta de sustentação oral da Petrobras
STJ

Lava Jato: Ministro critica falta de sustentação oral da Petrobras

A empresa era a recorrente em ação que discute se é válido aditamento de pedido em ação por improbidade administrativa para incluir danos morais a Petrobras.

terça-feira, 25 de maio de 2021

O ministro Herman Benjamin, em sessão da 2ª turma do STJ nesta terça-feira, 25, criticou a ausência de sustentação oral por parte da Petrobras em ação no âmbito da Lava Jato. A empresa é a recorrente no processo.

"Onde está a Petrobras? No processo mais importante em que ela própria é recorrente, hoje, não se ouviu a sustentação oral. Como juiz só posso registrar o fato para que não passe de forma ignorada. É um fato grave.", disse o ministro.

O recurso em questão discute se é válido aditamento de pedido em ação por improbidade administrativa para incluir danos morais a Petrobras, como ressarcimento por construtoras acusadas, no âmbito da operação Lava Jato, de firmarem contratos fraudulentos em conluio com empresas cartelizadas e seus dirigentes.

As construtoras recorrem da decisão do TRF-4 que admitiu o pedido. Já a Petrobrás recorre sustentado que a celebração de acordo de leniência por algumas das empresas rés não prejudica a sua pretensão de ver ressarcidos os danos morais coletivos decorrente do abalo de imagem sofrido pela empresa.

O recurso da Petrobras foi parcialmente conhecido e provido pelo relator, Herman Benjamin, com determinação que a ação de improbidade administrativa prossiga contra os demandados mesmo os que celebraram acordo de leniência e recurso da OAS não provido.

O ministro Og Fernandes pediu vista.

  • Processo: REsp 1.890.353

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 25/5/2021 19:03