domingo, 23 de janeiro de 2022

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Advogado interrompe ministro e leva bronca: "não faça isso"
Sessão virtual

Advogado interrompe ministro e leva bronca: "não faça isso"

Ministros discutiam caso quando o advogado abriu o microfone e interrompeu a discussão. Ministro Salomão chamou a atenção do causídico.

terça-feira, 9 de novembro de 2021

Nesta terça-feira, 9, durante sessão da 4ª turma do STJ, os ministros discutiam caso de usucapião quando o advogado de uma das partes interrompeu o debate. O ministro Salomão, presidente do colegiado, repreendeu o causídico:

"Não, não, não, doutor. Não interrompa o ministro falando não. Não faça isso não. Isso aqui é uma Corte. Não faça isso em nenhuma hipótese. Quando o ministro terminar de falar V. Exa. pede a palavra pela ordem que vamos avaliar se vamos conceder."

Outras interrupções

Fato semelhante já aconteceu no Supremo. Certa vez, ministro Alexandre de Moraes estava homenageando José Levi, que tinha saído da AGU, mas foi interrompido por um advogado. O patrono pediu a palavra para desagravar o ministro Nunes Marques. Segundo o advogado, havia um profissional que "revirava os olhos" enquanto Nunes Marques votava.

Fux, então, o interrompeu e disse: "ministro Kassio não precisa de desagravo de advogado, porque a própria Corte o faz". Em seguida, Alexandre de Moraes disparou: "é difícil ser interrompido no meio do voto por um pedido de desagravo. Eu acho que o respeito ao Tribunal vem faltando em alguns momentos por alguns dos advogados desde ontem (...) os advogados têm todo o respeito pelo Tribunal, agora eu espero que eles aguardem o julgamento, porque isso aqui não é jogo de futebol para cada um desagravar, gritar falar no momento que queiram".

Antes de votar

Durante sessão da 5ª turma do STJ houve interrupção antes mesmo do voto do relator. Quando o presidente da turma, ministro Ribeiro Dantas, anunciava o próximo julgado, o advogado inscrito no processo pediu a palavra para esclarecimento de fato. Acontece que o ministro relator, Felix Fisher, não tinha nem proferido voto ainda.

A questão incomodou muito o relator, que disparou: "Isso é ofensivo! Isso é o fim da picada! Eu nem comecei a ler o voto e já está inventando matéria de fato? Não tem sentido nenhum. Está adivinhando meu voto?".

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 9/11/2021 11:51