MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Migalhas Quentes >
  4. ONG processa veterinária que marcou "22" com ferro quente em bezerro
Maus-tratos

ONG processa veterinária que marcou "22" com ferro quente em bezerro

A veterinária, apoiadora do ex-presidente Bolsonaro, teria utilizado o número para fazer campanha política.

Da Redação

quarta-feira, 18 de janeiro de 2023

Atualizado às 13:54

A ONG Associação Filantrópica Os Animais Importam ajuizou ação civil pública contra veterinária que publicou um vídeo em suas redes sociais pisando no focinho de um bezerro e marcando com ferro quente o número 22 no rosto do animal. O caso aconteceu durante o período eleitoral. O número, para quem não se lembra, era utilizado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. Ao fundo das imagens tocava o tema musical da campanha política.

O processo tramita na vara única de São Geraldo do Araguaia/PA.

Na inicial, a entidade de proteção animal diz que o bezerro demonstra sentir dor pela queimadura em sua face, "com visível desconforto somada ao emprego de força descabida".

"Trata-se de nítida situação de maus-tratos, abuso e crueldade com o animal, que teve como finalidade fazer uso político-eleitoral do ato de violência com o animal indefeso, a fim de promover o candidato à Presidência."

Após a viralização negativa do vídeo na imprensa, a veterinária gravou um outro vídeo no qual confirmou ser apoiadora de Bolsonaro, mas disse que o número 22 seria uma marcação referente ao ano, e não de campanha política.

Segundo a ONG autora da ação, esta alegação é contraditória e descabida, pois a marcação realizada não condiz com o procedimento regulamentado pelo ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Na ação, a entidade faz os seguintes pedidos: (i) que o animal objeto do vídeo seja retirado do local e da posse da veterinária imediatamente; (ii) que o bezerro permaneça na guarda da ONG a fim de que possa realizar toda reabilitação física e psicológica do animal e encaminhá-lo a um santuário; (iii) condenação da ré em danos morais coletivos no valor de R$ 100 mil.

  • Processo: 0800024-41.2023.8.14.0125

 (Imagem: Reprodução)

Bezerro foi queimado com ferro quente.(Imagem: Reprodução)

Patrocínio

Patrocínio Migalhas