MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Migalhas Quentes >
  4. Câmara conclui votação da reforma tributária
Tributário

Câmara conclui votação da reforma tributária

Nos destaques, foram retirados incentivos do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Da Redação

sexta-feira, 7 de julho de 2023

Atualizado às 17:35

A Câmara dos Deputados concluiu a votação dos destaques da reforma tributária. A PEC 45/19 simplifica a tributação sobre o consumo, prevê fundos para bancar créditos do ICMS até 2032 e para o desenvolvimento regional, além da unificação da legislação dos novos tributos. A matéria será enviada ao Senado.

Segundo o texto do deputado Aguinaldo Ribeiro, uma lei complementar criará o IBS - Imposto sobre Bens e Serviços - para englobar o ICMS e o ISS - e a CBS - Contribuição sobre Bens e Serviços para substituir o PIS, o PIS-Importação, a Cofins e a Cofins-Importação.

 (Imagem: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)

Câmara conclui votação da reforma tributária.(Imagem: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)

Cesta básica

Novidade em relação a outras versões de reforma, haverá isenção do IBS e da CBS para uma cesta básica nacional de produtos a serem definidos em lei complementar.

Além disso, vários setores contarão com redução de alíquotas em 60% ou 100%, também conforme definido em lei. Entre esses setores estão serviços de educação, saúde, medicamentos e cultura, produtos agropecuários e transporte coletivo de passageiros.

Montadoras

Por insuficiência de votos, o plenário retirou do texto a prorrogação de benefícios fiscais do IPI para plantas automobilísticas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste até dezembro de 2032. Na votação de um destaque do PL que pedia a exclusão desse trecho, houve 307 votos a favor da isenção e outros 166 contra, mas para manter a redação seriam necessários 308 votos.

Rejeições

Todos os demais destaques apresentados pelos partidos na tentativa de mudar trechos da PEC foram rejeitados:

  • destaque do PL pretendia evitar que o imposto seletivo componha a base de cálculo do ICMS e do ISS, enquanto vigentes, e do IBS e CBS;
  • destaque do PL pretendia retirar dispositivo que permite a atualização da base de cálculo do IPTU por meio de decreto do Poder Executivo municipal, conforme critérios de lei; e
  • destaque do PL queria excluir regime específico de tributação do IBS para planos de assistência à saúde

Informações: Agência Câmara de Notícias

Patrocínio

Patrocínio Migalhas