MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Migalhas Quentes >
  4. Homem negativado indevidamente por nome parecido será indenizado
Danos morais

Homem negativado indevidamente por nome parecido será indenizado

Magistrado fixou a indenização em R$ 15 mil por danos morais, visto que na situação "não há como falar em mero aborrecimento ou simples dissabor".

Da Redação

sábado, 9 de março de 2024

Atualizado em 8 de março de 2024 16:16

A Justiça Federal condenou o Ibama a pagar R$ 15 mil de indenização por danos morais a uma homem que teve o nome negativado indevidamente, em função de semelhança de grafia com o nome de outra pessoa - o autor da ação tem o nome composto escrito com "Luis" com "s", enquanto o verdadeiro devedor tem praticamente o mesmo nome, mas o "Luiz" é escrito com "z".

De acordo com o juiz Claudio Marcelos Schiesll, o autor ficou por longo período com restrição cadastral em razão de débito que não tinha nenhuma relação consigo. Houve inscrição em dívida ativa, igualmente anotação no Cadin, e tais apontamentos causam embaraço na vida cotidiana, o que é fato notório. Para o magistrado, "não há como falar em mero aborrecimento ou simples dissabor."

 (Imagem: Freepik)

Negativação indevida por causa de nomes com grafias semelhantes gera indenização.(Imagem: Freepik)

O protesto em cartório ocorreu em fevereiro de 2020. A ação foi ajuizada em agosto de 2023 e, no mesmo mês, o autor obteve liminar determinando a suspensão da cobrança. No âmbito administrativo, o problema foi resolvido em setembro seguinte, quando houve o reconhecimento do equívoco pelo Ibama. O débito se refere a valores pagos indevidamente a herdeiros de uma pensionista falecida - um deles era o "Luiz com z".

"O autor aponta conversas com fornecedores de bens ou prestadores de serviços que, embora com valor probatório relativo, indicam os percalços efetivos que decorrem de tal restrição cadastral", lembrou Schiessl.

Para definir o valor, o juiz observou que "o julgador deve valer-se de bom senso e de proporcionalidade, não podendo ser fixado quantum que torne irrisória a condenação e nem tampouco valor vultoso que traduza enriquecimento ilícito".

O Tribunal omitiu o número do processo.

Informações: TRF-4.

Patrocínio

Patrocínio Migalhas