MIGALHAS QUENTES

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Migalhas Quentes >
  4. STF adia julgamento de exposição de vida sexual da vítima de estupro
Supremo | Sessão

STF adia julgamento de exposição de vida sexual da vítima de estupro

Caso será retomado em outra oportunidade, com voto da relatora, ministra Cármen Lúcia

Da Redação

quinta-feira, 7 de março de 2024

Atualizado às 16:17

Nesta quinta-feira, 7, o STF, em sessão plenária, suspendeu a análise de ação que questiona posturas do Poder Público, no curso do processo, como a de revitimização e a exposição da vida sexual pregressa da mulher vítima de violência sexual.

Foram ouvidas sustentações orais e ministra Cármen Lúcia apresentou relatório. Em razão de evento institucional sobre o Dia das Mulheres, o caso será retomado em outra oportunidade, com o voto da relatora.

 (Imagem: Arte Migalhas)

STF realiza sessão de julgamento com pauta que representa demandas femininas.(Imagem: Arte Migalhas)

Pelo fim da violência psicológica

A PGR propôs a ADPF pedindo que o Supremo proíba questionamentos sobre a vida sexual e modo de vida pregressos da vítima durante a apuração e o julgamento de crimes contra a dignidade sexual. 

O MPF aponta que esse tipo de análise parte da "concepção odiosa" de que seria possível separar mulheres que merecem ou não a proteção penal pela violência sofrida.

"Em ambiente que haveria de ser de acolhimento, a mulher vítima de violência passa a ser, ela própria, julgada em sua moral e seu modo de vida, na tentativa da defesa de justificar a conduta do agressor, e sem a reprimenda proporcional pelo Estado", sustenta.

Considerações acerca do comportamento da vítima partem de conduta enviesada e discriminatória e devem ser invalidadas pelo Supremo, concluiu a PGR.

Afinal, requereu que a Corte coíba órgãos condutores do processo criminal de impor pressão psicológica à vítima.

Patrocínio

Patrocínio Migalhas