quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. Advogados de Brasília terão uma sala de apoio para atendimento aos presidiários do Complexo Penitenciário da Papuda

Advogados de Brasília terão uma sala de apoio para atendimento aos presidiários do Complexo Penitenciário da Papuda

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008


Atendimento

Advogados terão sala de apoio em penitenciárias do DF

Dentro de 60 dias, advogados de Brasília terão à disposição uma sala de apoio para atendimento aos presidiários do Complexo Penitenciário da Papuda. A novidade faz parte de um acordo firmado entre a OAB/DF e a Secretaria de Estado de Justiça, que levou em consideração a antiga reivindicação da categoria. Os advogados alegam falta de local adequado para aguardar a chegada dos presos, que dura em média 40 minutos. Além disso, inexistência de infra-estrutura para o trabalho durante e após o encontro.

A intenção do governo é expandir a idéia para outros cinco centros prisionais no Distrito Federal. Toda a articulação foi feita pelo vice-presidente da OAB/DF, Ibaneis Rocha, que durante uma semana visitou os presidios e negociou os locais com os Diretores de penitenciarias, alem de firmar o convênio de cessão de espaço com a Secretaria de Justiça.

As salas de atendimento terão computadores, acesso à Internet e um funcionário da OAB responsável pelo local. Todo o custo de manutenção e despesas ficará por conta da OAB. O governo vai colaborar apenas cedendo espaço. Também estão na lista para receber a iniciativa a Penitenciária Feminina do DF (Colméia), Penitenciária do DF II (PDF II), Centro de Internamento e Reeducação (CIR) e Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I). Em média, o número de atendimento nos locais supera 50 visitas, o que torna o processo ainda mais lento. Os advogados dispõem de uma hora para visita. No entanto, o tempo acaba comprometido devido à demora no atendimento.

A sala de apoio terá acesso restrito ao advogado e funcionário do OAB. A iniciativa pretende apenas dar mais conforto ao profissional e agilizar o processo de atendimento. No entanto, o encontro entre cliente e advogado continuará a ocorrer no local determinado pelo complexo penitenciário, onde há uma vidraça separando ambos. A conversa é feita por interfone e filmadas pelo sistema de segurança.

___________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 28/1/2008 09:16