quarta-feira, 23 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Procuradoria Federal de RO consegue manter na Justiça o pagamento por empresas da contribuição previdenciária sobre o aviso prévio indenizado de funcionários

X


Lei nº 9.528/97

Empresas têm de pagar contribuição previdenciária sobre aviso prévio indenizado

A Procuradoria Federal de Rondônia conseguiu manter na Justiça o pagamento por empresas da contribuição previdenciária sobre o aviso prévio indenizado de funcionários, conforme determina a Lei nº 9.528/97 (clique aqui).

Devido ao grande número de ações questionando a incidência da contribuição, a PGF criou uma força-tarefa para agilizar a tramitação desses processos.

A 1ª Turma do TRT da 14ª região, em Porto Velho/RO, por unanimidade, acolheu os recursos da PF contra decisões do próprio Tribunal, que excluíam o aviso prévio da base de cálculo da contribuição. A atuação da força-tarefa mudou o entendimento do TRT sobre o tema.

As decisões, segundo a Procuradoria, haviam sido concedidas às empresas Margeo Sinalização e Comunicação Visual de Rondônia Ltda, Frango Fabril Alimentos Ltda, Frigorífico Fernandes S/A e Frigorífico Margen Ltda.

No recurso, a Procuradoria defendeu que o aviso prévio indenizado possui natureza salarial, porque é um tipo de remuneração e é computado no tempo de serviço do empregado. Por isso, nele incide a contribuição previdenciária.

A Procuradoria explicou que antigamente o aviso prévio indenizado não integrava a base de cálculo da contribuição, por força do parágrafo 9º da Lei de Seguridade Social n° 8.212/91 (clique aqui), mas este parágrafo foi revogado pela 9.528/97.

A Procuradoria Federal é uma unidade da PGF, órgão da AGU.

_________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 1/1/1900 12:00

Compartilhar