Migalhas

Sábado, 4 de abril de 2020

ISSN 1983-392X

Lançamento Coleção Theotonio Negrão

quinta-feira, 5 de junho de 2008


Lançamento

Coleção Theotonio Negrão lançada hoje em SP

Esta noite, a Editora Saraiva promove o lançamento dos novos títulos da "Coleção Theotonio Negrão" e comemora a 40ª edição da obra "Código de Processo Civil e Legislação Processual em Vigor", em São Paulo/SP (Livraria Saraiva Shopping Brascan Century Plaza - Rua Joaquim Floriano, 466 - Jardim Paulista), a partir das 19h30.



Os novos títulos da Coleção Theotonio Negrão são: "Ações Probatórias Autônomas", de Daniel Amorim Assumpção Neves; "Prejudicialidade no Processo Civil", de Clarisse Frechiani Lara Leite; "Poderes do Relator nos Recursos", de Fabiano Carvalho e "Honorários Advocatícios no Processo Civil", de Bruno Vasconcelos Carrilho Lopes, advogado sócio do escritório Dinamarco e Rossi Advocacia.

Sobre os autores:

Daniel Amorim Assumpção Neves é mestre e doutor em Processo Civil pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco - USP. Professor de Direito Civil na Universidade Paulista (UNIP) e Mackenzie. Professor de Direito Processual Civil no Curso de Pós-Graduação do Mackenzie. Professor de Direito Processual Civil da ESA-SP, do IELF-DIEX, do Curso preparatório (FMB).

Clarisse Frechiani Lara Leite é mestre e doutoranda em Direito Processual na Faculdade de Direito da USP. Membro do Instituto Brasileiro de Direito Processual. Advogada em São Paulo.

Fabiano Carvalho é mestre e doutorando em Direito Processual pela PUC/SP. Professor do curso de especialização em Direito Processual Civil na PUC/SP. Professor da Escola Superior de Advocacia da OAB/SP e da Universidade Paulista. Advogado.

Bruno Vasconcelos Carrilho Lopes é mestre em Direito Processual pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e Membro do Instituto Brasileiro de Direito Processual - IBDP. Advogado do escritório Dinamarco e Rossi Advocacia.

_____________
_______


O saudoso Theotonio Negrão


Advogado e jurista brasileiro nascido na cidade de Piraju, interior do Estado de São Paulo, um dos mais conceituados do Brasil e cujos ensinamentos, reunidos principalmente nas obras Código de Processo Civil, Código Civil e Dicionário da Legislação Federal, lapidaram a formação das últimas gerações de advogados brasileiros. Viveu sua infância em Bariri (SP) até os nove anos, quando foi para Juiz de Fora estudar no internato do Instituto Granbery. Aos 15 anos concluiu o segundo grau e, aos 17, apesar de gostar de Engenharia Química, ingressou na Faculdade de Direito do Largo São Francisco por decisão do pai, serventuário da Justiça. No terceiro ano do curso começou a trabalhar no escritório do professor Noé Azevedo e tomou gosto pela carreira. Foi membro da comissão de reforma do Código Civil da Secretaria da Justiça de São Paulo e foi juiz titular do Tribunal Regional Eleitoral paulista (1979-1982). Fundou a Associação dos Advogados de São Paulo, a AASP, da qual foi presidente por um biênio (1959-1960). Considerado símbolo da Advocacia e do Direito no País, dedicou mais de 60 anos à profissão, sendo presença garantida na biblioteca de estudantes e profissionais do Direito. Ele escreveu inúmeros livros jurídicos, entre eles o Dicionário da Legislação Federal (1961), o famoso tijolão, editado pela Companhia Nacional de Material de Ensino, do Ministério da Educação e Cultura, o MEC, com tiragem de 35 mil volumes. Contando com a colaboração de José Roberto Ferreira Gouvêa, desde os anos 90, enquanto era vivo foram publicadas 32 edições de seu Código de Processo Civil e vinte de seu Código Civil. Falecido no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, aos 85 anos, foi enterrado no cemitério São Paulo e deixou viúva Lygia, sua segunda esposa; os filhos Maria Lúcia e José Roberto, do primeiro casamento, e Theotonio e Maura, do segundo, e seis netos.


__________

patrocínio

Advertisement

últimas quentes

-