terça-feira, 19 de outubro de 2021

MIGALHAS QUENTES

fechar

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

  1. Home >
  2. Quentes >
  3. PF prende Celso Pitta, Daniel Dantas e Naji Nahas

PF prende Celso Pitta, Daniel Dantas e Naji Nahas

A PF prendeu na manhã desta terça-feira, 8/7, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, o banqueiro Daniel Dantas e o empresário Naji Nahas na operação denominada Satiagraha, que investiga desdobramentos do caso mensalão. Todos eles foram presos em suas residências nesta manhã.

terça-feira, 8 de julho de 2008


Operação Satiagraha

PF prende Celso Pitta, Daniel Dantas e Naji Nahas

A PF prendeu na manhã desta terça-feira, 8/7, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, o banqueiro Daniel Dantas e o empresário Naji Nahas na operação denominada Satiagraha, que investiga desdobramentos do caso mensalão.

Segundo a revista Veja, outras pessoas ligadas ao banco Opportunity também foram presas. Entre elas estariam Verônica Dantas, irmã e sócia de Dantas; Arthur Carvalho, cunhado e braço-direito de Daniel Dantas; Dório Ferman, um dos mais antigos colaboradores do banqueiro e que cuidava do asset do Opportunity. Dório e Dantas trabalham juntos há quase duas décadas; Eduardo Penido, que trabalhava com Dório no asset; Danielle Silbergleid, diretora-jurídica do Opportunity; Maria Amália Coutrim, diretora do banco e há mais de dez anos trabalhando com Dantas; Humberto Braz, ex-presidente da holding da Brasil Telecom durante o processo de briga judicial com os fundos de pensão, e Carlos Rodenburg, ex-cunhado de Dantas, ex-diretor do Opportunity e que agora cuida dos negócios agropecuários do banqueiro no Pará.

De acordo com a PF, foram expedidos 24 mandados de prisão e 56 de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Vinte e dois são mandados de prisão temporária e dois são de prisão preventiva.

Os mandados são cumpridos por 300 policiais em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador. Ainda não há informações sobre quantos mandados já foram cumpridos.

O ex-prefeito da capital paulista Celso Pitta já está detido na sede da PF em São Paulo. Três carros apreendidos durante a operação também foram encaminhados para o local : um Audi, um Corolla e um Chrysler.

Por volta do meio-dia, no Rio, três carros da PF deixaram o prédio do banqueiro Daniel Dantas e o levaram para a sede da PF no Rio. Os advogados de Dantas também deixaram o local.

Na casa de Naji Nahas, a Polícia Federal encontrou dificuldades e chegou a deter o vigia, que se recusou a abrir o portão. Agentes tiveram de pular o muro para entrar no local.

Normal

O ministro da Justiça, Tarso Genro, disse, em Brasília, que a Operação Satiagraha foi realizada dentro dos parâmetros da Polícia Federal. "Trata-se de uma operação normal e está tudo sendo realizado de acordo com o Ministério Público e com a Justiça."  

A operação

Segundo a PF, as investigações iniciaram há quatro anos, como desdobramento do caso "Mensalão". A partir de documentos enviados pelo STF para a Procuradoria da República no Estado de São Paulo, foi aberto um processo na 2ª Vara Criminal Federal. Na apuração foram identificadas pessoas e empresas beneficiadas no esquema montado pelo empresário Marcos Valério para intermediar e desviar recursos públicos.

Em nota, a PF informa que baseadas nas informações e em documentos colhidos em outras investigações da PF, os policiais apuraram a existência de uma grande organização criminosa, comandada por um banqueiro, envolvida com a prática de diversos crimes. Para a prática dos delitos, principalmente desvio de verbas públicas, o grupo possuía várias empresas de fachada.

Ainda segundo a PF, com o andamento da apuração foi descoberta a existência de um segundo grupo formado por empresários e doleiros que atuavam no mercado financeiro como forma de "lavar" o dinheiro obtido em negócios escusos. Além de fraudes no mercado de capitais, baseadas principalmente no recebimento de informações privilegiadas, a organização atuava no mercado paralelo de moedas estrangeiras.

O trabalho mostrou que as duas organizações criminosas atuavam de forma interligada, com vários níveis de poder e decisão.

Os presos na operação deverão ser indiciados pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, sonegação fiscal e formação de quadrilha. Eles devem permanecer na carceragem da Superintendência Regional da PF em São Paulo onde ficam a disposição da Justiça.

O nome da operação Satiagraha significa, segundo a PF, resistência pacífica e silenciosa.

_________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 8/7/2008 08:59