domingo, 20 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Governo paulista obtém liminar que barra propaganda na TV sobre greve de policiais


Comercial

Governo paulista obtém liminar que barra propaganda na TV sobre greve de policiais

Por liminar, o governo de São Paulo conseguiu na Justiça suspender a exibição em emissoras de TV de uma propaganda de greve da Polícia Civil. A Procuradoria Geral do Estado alegou ao Poder Judiciário que o filme de 30 segundos propagaria pânico na população. A decisão foi do desembargador Ricardo Dip, do TJ/SP.

O comercial faz parte da "Campanha do Basta", idealizada por 12 sindicatos e associações de policiais civis que pretendem entrar em greve no dia 13 deste mês.

A categoria alega que não consegue negociar com o governo uma pauta de reivindicações que inclui reposição salarial e medidas de valorização da carreira policial.

O filme em questão mostra atores representando policiais civis batendo em uma porta, que sugere ser a do gabinete do governador José Serra. Eles dizem:

"Governador, precisamos falar sobre a segurança da população. Governador, queremos falar dos salários, os mais baixos do Brasil".

Os policiais retratados deixam o local e uma mensagem diz:

"Os policiais civis vêm insistindo em conversar com o governador e ele não atende. Continuamos trabalhando em respeito ao compromisso da polícia com o povo de São Paulo até agora. A polícia quer respeito para não ter que parar".

A propaganda já foi veiculada na TV Bandeirantes, no dia 1º, e na TV Record, no dia seguinte. Como a decisão do desembargador foi dada no plantão do TJ, neste último fim de semana, o comercial não pôde ser exibido segunda-feira num dos intervalos do Jornal Nacional, da Rede Globo - como previa a campanha publicitária dos sindicatos.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo de ontem, 6/8, o procurador-geral do Estado, Marcos Fábio de Oliveira Nusdeo, autor do pedido, diz ter procurado a Justiça com o objetivo de "garantir o direito constitucional da população à segurança" e também "garantir a sensação de segurança". Para ele, a propaganda "extrapola os limites do direito à informação e livre manifestação objetivando causar pânico à população" e "exorbita o direito à liberdade de manifestação".

  • Clique aqui e assista o vídeo disponível no site YouTube.

  • Abaixo, confira a íntegra da Medida Cautelar

________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 1/1/1900 12:00

Compartilhar