terça-feira, 13 de abril de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Líderes da oposição pedem urgência no julgamento sobre as mudanças nas regras das MPs ao STF

Os líderes do PPS, Fernando Coruja, do Democratas, Ronaldo Caiado, e PSDB, José Aníbal, todos da Câmara dos Deputados, reuniram-se, nesta quarta-feira,25/3, com o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, para pedir pressa na análise do pedido que questiona a forma de tramitação das MPs naquela Casa.

quinta-feira, 26 de março de 2009


Agiliza !


Líderes da oposição pedem urgência no julgamento sobre as mudanças nas regras das MPs ao STF

Os líderes do PPS, Fernando Coruja, do Democratas, Ronaldo Caiado, e PSDB, José Aníbal, todos da Câmara dos Deputados, reuniram-se, nesta quarta-feira, 25/3, com o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, para pedir pressa na análise do pedido que questiona a forma de tramitação das MPs naquela Casa.

O MS foi impetrado na semana passada pelos três parlamentares contra a interpretação do presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, acerca do trancamento da pauta quando da votação de MPs.

Após a reunião, o deputado Ronaldo Caiado afirmou que o ministro Gilmar Mendes prometeu conversar com o relator do processo, ministro Celso de Mello, sobre a importância do tema.

Os líderes foram unânimes ao afirmar que o trancamento da pauta pelo excesso de medidas provisórias é um problema que precisa ser resolvido. Mas, segundo eles, a proposta apresentada por Michel Temer não resolve a questão.

Caiado apresentou um levantamento feito pela biblioteca da Câmara de que há 2,5 mil projetos de lei ordinária em tramitação na Casa no momento.

Segundo o líder do PSDB, deputado José Aníbal, a decisão do presidente da Casa "vai provocar um descontentamento em centenas de deputados federais ao verem essa decisão e constatar que seus projetos não poderão mais ser discutidos e sequer votados".

O deputado Fernando Coruja afirmou que o próximo passo dos líderes é tentar uma reunião com o ministro-relator.

Sessões extraordinárias

A proposta de nova interpretação do trâmite das MPs apresentada por Michel Temer prevê que, mesmo com a pauta trancada pelas medidas, outras iniciativas legislativas podem ser votadas em sessões extraordinárias, como nos casos de Propostas de Emenda à Constituição e projetos de lei complementar, por exemplo.

Isso porque, segundo o presidente da Câmara, os temas reservados a esses projetos não podem ser tratados pelas MPs. Assim, a regra do trancamento da pauta só serviria, a princípio, para projetos de leis ordinárias.

As MPs são editadas pelo chefe do Poder Executivo em caso de urgência e relevância. Segundo a CF/88 (clique aqui), se a medida provisória não for apreciada em até 45 dias contados da sua publicação, ela entrará em regime de urgência e trancarão a pauta da Casa onde estiver tramitando, até que elas sejam apreciadas (artigo 62, parágrafo 6º).

Atendendo à solicitação do ministro Celso de Mello, relator do MS 27931 (clique aqui), para prestar esclarecimentos junto ao processo, o presidente da Câmara, Michel Temer, pede para que a liminar não seja concedida como requereram os líderes da oposição.

_______________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 26/3/2009 08:31