sábado, 8 de maio de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Luto no Direito - Morre Goffredo da Silva Telles Jr.

sábado, 27 de junho de 2009


Nota de falecimento

Morre Goffredo Telles Jr.

O Brasil, e todos os cultivadores da "disciplina da convivência humana", estão enlutados neste inverno de 2009.

Aos 94 anos, faleceu no início da noite deste sábado, em S. Paulo, o Professor Goffredo da Silva Telles Jr.

Este informativo, que teve no Professor Goffredo o principal inspirador, chora agora abraçado com seus incontáveis alunos.

Lenda no Direito brasileiro, idolatrado por todos os milhares de alunos que tiveram a honra de assistir a suas aulas, e adorado por aqueles que já leram seus inúmeros trabalhos, o Professor - eterno - deixa-nos agora órfãos dessa sabedoria encantadora.

As homenagens de despedida serão feitas neste domingo, 28/6, durante todo o dia no velório, que será realizado das 8h às 16h, no Salão Nobre da Faculdade de Direito do Largo de S. Francisco, SP.

O enterro será no cemitério da Consolação.

Manifestações

  • Presidência

"Foi com profundo pesar que soubemos do falecimento do professor e jurista Goffredo da Silva Telles Jr. Foi um dos mais destacados combatentes pela democracia e pelo Estado de Direito da História do Brasil. Em 1932, com apenas 17 anos de idade, alistou-se como soldado na Revolução Constitucionalista. Em 1946, foi deputado constituinte e notabilizou-se, entre outras causas, pela defesa da Amazônia. Em 1977, em pleno regime militar, redigiu e leu a 'Carta aos Brasileiros', marco da resistência democrática. Durante 45 anos, lecionou na Faculdade de Direito do Largo de S. Francisco, da Universidade de São Paulo, conquistando a admiração de milhares de alunos e discípulos, dando lições não apenas de Direito, mas também de humanismo, generosidade e fé na luta por um mundo mais justo e fraterno. Meus votos de especial solidariedade a Maria Eugênia e Olívia, viúva e filha do inesquecível Professor Goffredo", diz a nota do presidente.

  • OAB nacional

"A morte de Goffredo da Silva Telles Jr., aos 94 anos, enluta não apenas a advocacia, mas a cidadania brasileira. Foi um cidadão no sentido pleno da palavra. Como poucos, soube colocar a serviço do bem comum os seus conhecimentos, formando gerações de profissionais do direito. Trabalhador exemplar, exerceu seu ofício mesmo quando já fazia jus ao ócio com dignidade da aposentadoria. Foram mais de 60 anos de dedicação ao ensino, pontuados por vigilante atuação na vida pública, quando as circunstâncias o exigiram. Foi deputado-constituinte em 1946 e, em 1977, divulgou a célebre Carta aos Brasileiros, em que denunciava os desmandos do regime militar e postulava a imediata redemocratização do país. Foi um dos momentos mais altos da resistência democrática, que deflagrou a adesão de setores da classe média e da intelectualidade brasileira ao restabelecimento do Estado democrático de Direito. Encarnou, naquele momento histórico, a consciência crítica do Brasil. A OAB, que tantas vezes o homenageou, lamenta a sua perda e vê em sua biografia um exemplo a ser seguido pelos homens públicos do país", afirmou Cezar Britto.

  • OAB/SP

Luiz Flávio Borges D'Urso, presidente da OAB/SP, manifestou seu pesar e decretou luto oficial por três dias na Seccional paulista pela morte do jurista Goffredo da Silva Telles Júnior, aos 94 anos, em SP. Em Nota Oficial, divulgada no dia 28/6, D'Urso destacou a contribuição do prof. Goffredo para a consolidação da democracia brasileira e para o ensino jurídico do país. Na Seccional Paulista e nas 222 Subsecções as bandeiras ficarão hasteadas a meio pau. O velório acontece na Faculdade de Direito da USP e o enterro será no Cemitério da Consolação, às 16 horas.

"A Advocacia perde com a morte do jurista Goffredo da Silva Telles Júnior um de seus maiores ícones. Um libertário, um advogado militante que se arrostou a enfrentar o regime de exceção no Brasil. Em plena ditadura, no ano de 1977, divulgou sua corajosa "Carta aos Brasileiros", que se tornou símbolo da luta pela democracia, iniciando o processo de abertura política no país.

Vocacionado para a docência, não deixou de ensinar nem mesmo quando se aposentou aos 70 anos, pela compulsória. Continuou tendo um estreito relacionamento com os estudantes de Direito das Arcadas, influenciando gerações de bacharéis e operadores do Direito. Intelectual destacado e mestre compromissado com o ensino jurídico foi um exemplo para todos nós.

O reconhecimento da obra e do trabalho de Goffredo da Silva Telles Júnior está expresso nas inúmeras láureas que recebeu durante sua vida. Da Ordem dos Advogados do Brasil - Secção São Paulo recebeu o título de "Advogado Símbolo" , em 1987 , e o prêmio de Direitos Humanos Franz de Castro Holzwarth, em 2004, no primeiro ano de nossa gestão.

Figura humana generosa, compromissada com a defesa da ética, do Estado Democrático de Direito, da Justiça, do ensino jurídico e de um mundo menos desigual, Goffredo da Silva Telles Júnior deixa uma lacuna na comunidade jurídica e em todo o país".

São Paulo, 28 de junho de 2009.

Luiz Flávio Borges D'Urso
Presidente da OAB/SP

  • AASP

"É com grande tristeza que a Associação dos Advogados de São Paulo - AASP e os seus mais de 87 mil associados recebem a notícia de falecimento do Professor Goffredo da Silva Telles Jr. O Professor Goffredo amou o Direito, a Justiça, a Advocacia e o Brasil. Deixou imenso legado aos seus alunos e, sobretudo, aos brasileiros. A extrema coragem e sabedoria, sempre reafirmadas ao longo de sua vida, ficaram ainda mais evidentes naquele 8 de agosto de 1977, quando, em pleno regime militar, no Páteo das Arcadas, o Professor leu a sua Carta aos Brasileiros, documento histórico, que exigia a volta imediata do Estado de Direito para o Brasil. Por toda a sua obra, a AASP, em 2002, prestou-lhe justa homenagem publicando uma edição da Revista do Advogado para a qual diversos juristas contribuíram com artigos que expressavam o carinho e a admiração pelo grande Mestre.

Vale lembrarmos um pequeno trecho do artigo do Professor Goffredo para esse número da Revista do Advogado: "Advogado sempre fui. Sou advogado por destinação genética. Mas não só por isto: sou advogado por amor. Tirante a mais sublime das profissões - que é a de Professor da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco -, não conheço profissão tão fascinante como a de advogado."

  • AGU

É com imenso pesar que recebi a notícia do falecimento do Prof. Gofferdo da Silva Telles Jr., homem que se destacou nos seus 94 anos de vida, 75 dos quais dedicados à vida acadêmica e à República, como um bastião na preservação dos valores democráticos.

O defensor de "O Estado de Direito, já" e autor da "Carta aos Brasileiros", lida em 1977 no pátio da Faculdade de Direito, cumpria também a singela e nobre função de ensinar aos jovens alunos, aos "calouros", as primeiras lições de Introdução à Ciência do Direito e Filosofia do Direito.

Sempre simples e humilde, apresentava-se como "apenas um estudante" e levou ao extremo esta afirmação, estudando Filosofia, Literatura, Direito, Biologia, Química e outras áreas do saber, para afirmar sua convicção de unidade do mundo.

O professor deixa marcas inesquecíveis nos seus alunos das "Arcadas", a Faculdade de Direito do Largo São Francisco, nos 45 anos de magistério, concluídos pela aposentadoria compulsória em 1985. Além de suas concorridas e aplaudidas aulas, reunia em torno de si às cinco da tarde das quartas-feiras seus jovens discípulos do "Círculo das Quartas-Feiras", nas salas de aula ou no Centro XI de Agosto para discutir Política, Direito e a dignidade do ser humano.

Com sua morte perde o país um de seus ilustres pensadores do Direito, mas se preservam suas idéias e a sua generosidade na defesa dos valores sociais e da dignidade do povo brasileiro.

Minha especial solidariedade a Olívia, minha contemporânea das Arcadas, e Maria Eugênia.

Brasília, 28 de junho de 2009.

JOSÉ ANTONIO DIAS TOFFOLI
Advogado-Geral da União

_____________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 27/6/2009 23:28