terça-feira, 29 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Decisão judicial contra Banco Santos

O escritório de advocacia Azevedo Sette Advogados

 

Decisão judicial contra Banco Santos

 

O escritório de advocacia Azevedo Sette Advogados, um dos maiores do País, acaba de conseguir para a Via Engenharia S/A, no Primeiro Tribunal de Alçada Civil de São Paulo, a antecipação da tutela recursal e suspensão de exigibilidade, bem como contrato de mútuo existente entre a cliente Via Engenharia, a maior construtora de Brasília e uma das dez maiores do país, e o Banco Santos, cassando os efeitos de eventual mora e possibilidade de qualquer cobrança por parte do Banco.

 

A Via Engenharia havia feito uma operação com o Banco Santos de R$ 7,5 milhões e garantido por debêntures de empresa do Grupo Santos no mesmo valor. Diante da Intervenção, o Banco Santos não aceitou o pagamento pactuado com as debêntures e exigiram o pagamento em dinheiro. Agora, o Primeiro Tribunal de Alçada Civil decidiu pela suspensão da dívida e qualquer mora, que se não fosse concedida poderia gerar danos à empresa, como negativação indevida em órgãos de proteção ao crédito.

 

A intervenção no banco, segundo os advogados da empresa, não pode modificar unilateralmente qualquer contratação havida entre as partes, por ser medida arbitrária e ilegal, além de prejudicar o funcionamento de empresa privada que foi vítima dos antigos administradores do Banco Santos e deveria ter seus direitos e garantias, devidamente protegidos e resguardados pelos interventores do Banco Central, para que danos, cada vez mais irreparáveis, não se acumulem.

 

Os advogados responsáveis pelo Recurso que gerou a decisão, Ricardo Azevedo Sette, sócio da firma, e Rodrigo Badaró de Castro, responsável pelo escritório em Brasilia, estão confiantes quanto ao êxito na decisão de mérito do Recurso e da Ação Principal, que será interposta e tentará obter decisão favorável para o cumprimento do contrato na forma que foi firmado.

_________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 27/12/2004 07:55