Segunda-feira, 20 de novembro de 2017

ISSN 1983-392X

Operação Carne Fraca

de 19/3/2017 a 25/3/2017

"Bife à brasileira. Reúna em um recipiente (crime hediondo), empresários, políticos, fiscais e ministros desonestos e corruptos. Retire a embalagem anterior vencida e adicione á carne, salmonela, papelão e produtos cancerígenos. Reembale e aponha nova data de vencimento, a mais longa possível. Modo de servir: Reúna o máximo que puder de uma população honesta, sofrida, submetida a excessiva carga tributária e cansada de desvios de caráter, servindo-os à vontade. Depois, é só aguardar e repartir os lucros. Importante: Não convide seus familiares ao banquete e durma tranquilo."

Sérgio Aranha da Silva Filho - 19/3/2017

"É verdade que precisamos tomar cuidado com um tipo de acusação generalizada que, inclusive, prejudique a economia do país com relação à carne. Por outro lado, são muitos os vídeos no Youtube mostrando carne estragada comprada na hora. A coisa está preta, ou melhor, passou do ponto."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 20/3/2017

"É inacreditável este portal, que deveria defender, acima de tudo, a ética na política, criticar a atuação das autoridades que conduzem a Lava Jato e outras operações saneadoras. Afinal, o que quer o Migalhas? Anistia aos corruptos? Se a apuração dos culpados e sua punição tem como consequência a inviabilização de algumas empresas/empreiteiras, o ônus disso tem que ser debitado aos culpados, isto é, aos condenados nas operações saneadoras e não a quem luta bravamente para mudar essa cultura nefasta de impunidade. Migalhas, hoje, atingiu o máximo de insensatez! Não dá para tolerar tal procedimento!"

José Fernandes da Silva - 20/3/2017

"A migalha 'Causa e efeito' é uma pérola da síndrome 'sem Noção' que assola a redação do outrora equilibrado site (Migalhas 4.074 - 20/3/17). Lembra muito o que se passa no board editorial da Folha de S. Paulo, assombrado por meia duzia de mortos vivos que esqueceram de assumir a saudável e eterna posição de decúbito dorsal. No board do Migalhas a coisa tem toques de ridículo Queirosiano. Como se o Eça tivesse infiltrado no Migalhas algum perverso Conselheiro Acácio em surto de paranóia. Segundo o Migalhas a 'Carne Fraca' é fruto do que, ridiculamente, a esquerda e o lulopetismo chamam de 'República de Curitiba'. Só mesmo um bordão boleiro para estar à altura do despautério do Migalhas. 'Pode, Arnaldo'?"

Alexandre de Macedo Marques - 20/3/2017

"O ministro da Agricultura, Pecuária e Alimentos Blairo Maggi, o 'rei da soja', questionou por que operação Carne Fraca, desencadeada pela PF após dois anos de investigações, não fez contato com o Ministério! Se o fizesse saberiam que cabeça de porco é usada na fabricação de embutidos, como mortadela e salsicha, e que o ácido sórbico é utilizado na preservação da carne contra bactérias! Será mesmo que não sabe por que? Os Ministérios são preenchidos por políticos que manobram para sugar os recursos públicos que, nesse caso, segundo os investigadores, iam para o PMDB e o PP. O fiscal Federal Daniel Teixeira, após denunciar o caso aos superiores, foi transferido de área! A força-tarefa da Carne Fraca declarou que Daniel Gonçalves, superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná entre 2007 e 2016, é o 'líder da organização criminosa'. E o próprio ministro Maggi disse que o presidente Temer autorizou demitir todos os indicados políticos empoleirados no Ministério! Entendeu Maggi?"

José Renato M. de Almeida - 20/3/2017

"Não concordo com Migalhas, foi excelente a investigação e divulgação da Polícia Federal, sobre esses desmandos de unidades de grandes frigoríficos nacionais se sentirem na 'carne' o quanto é ruim engarem os 80% de consumidores brasileiros de suas produções e de serem fiscais corruptos do Ministério da Agricultura brasileira (Migalhas 4.074 - 20/3/17). Papel da PR é de investigar crimes de qualquer natureza e de levar a Justiça todos os envolvidos. Só acho que só assim respeitem a legislação brasileira."

Arnaldo Arruda - 20/3/2017

"O que foi que aconteceu mesmo nessa operação Carne Fraca (Migalhas 4.074 - 20/3/17)? Os agentes públicos, fiscais agropecuários Federais, utilizando-se do poder fiscalizatório do cargo, mediante pagamento de propina, atuavam para facilitar a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem qualquer fiscalização efetiva. Isso foi o que apurou a PF. Não é de competência dela? Então, considerando-se que o Migalhas de hoje reclamou tanto de uma operação policial e acha que a PF está sem controle, eu escrevi ao relator da MP 765/2016, senador Fernando Coelho, pedindo para ele incluir a categoria desses pobres fiscais agropecuários como beneficiários do Bônus de Eficiência da MP 765. Com o pagamento do bônus, a saúde da população não correrá qualquer perigo e nem precisará a PF entrar em cena. Satisfeitos assim?"

Abílio Neto - 20/3/2017

"Em um país em que a harmonia dos poderes se resume em, juntos, buscarem alternativas para acomodar os desmandos e manter o 'status quo', como exigir, ou mesmo pensar, em solucionar problemas dessa espécie entre quatro paredes? Ademais, a VW tem sede na Alemanha; fosse no Brasil, talvez nem se soubesse da fraude."

José Roberto Raschelli - 20/3/2017

"'Os cidadãos não poderiam dormir tranquilos se soubessem como são feitas as salsichas e as leis'. Nunca antes na história deste país essa frase, atribuída ao príncipe prussiano Otto von Bismarck, esteve mais atualizada. Isto porque, às graves suspeitas de corrupção e lavagem de dinheiro na política brasileira, acrescentam-se agora as denúncias contra os maiores frigoríficos do país, com evidências do uso de produtos indevidos na fabricação de embutidos, além de outras condutas criminosas apuradas na operação 'Carne Fraca' da Polícia Federal."

Eliseu Mota Júnior - promotor de Justiça aposentado - 20/3/2017

"Pela observação dos senhores, a Polícia Federal não deveria ter feito as investigações, que ela estaria imitando 'todo estrago da Lava Jato' (Migalhas 4.074 - 20/3/17). Em outros termos, que tanto num caso quanto no outro deveria ter poupado os criminosos, os canalhas que enxovalham o nosso país! É a segunda vez que registro o comportamento tendencioso dos senhores. E pior, um comentário a favor da corrupção."

Eugenio Jose Alati - 20/3/2017

"Quanto ao tema, quem acabou com a  reputação da nossa carne foi os investigadores da PF ou foram os próprios donos dos frigoríficos em conjunto com os agentes públicos num esquema de corrupção?  Só falta agora eu ler que a PF não pode mais investigar nada pois estará acabando com a reputação do Brasil. Seria excelente que todos os brasileiros de bem apoiassem as investigações policiais seja ela em qualquer esfera pública. Ladrão e corruptos têm que ir pra cadeia! Em qualquer país sério onde a democracia existe de verdade esses frigoríficos estariam fechados e os agentes corruptores bem como os donos dos frigoríficos estariam presos!"

Sandro Costas - 20/3/2017

"Estas notas do Migalhas sobre a Lava Jato são indignas do padrão de seriedade e independência do site (Migalhas 4.074 - 20/3/17). Sinto muito."

Osiris Silva - 20/3/2017

"Entendo que para o Brasil/comerciantes de agronegócio a investigação tenha feito um estrago a curto prazo. Me parece que essa má notícia não é tão nova assim para eles que já não acreditavam nem um pouco nas nossas avaliações, tanto que enviavam técnicos deles para analisar nossos produtos. Infelizmente só resta o governo comprovar que essa carne era para consumo interno (eu, você e nossos vizinhos, terrível realidade). Contudo, com a intervenção da PF quem sabe a médio e longo prazo a nossa reputação melhore. Enfim, que queime na fogueira os maus comerciantes que vendem lá fora uma má reputação do nosso povo. E que dê espaço para novos empreendedores mais honestos."

Maria Elisa Squadri - 20/3/2017

"Relevantíssimas avaliações (Migalhas 4.074 - 20/3/17)! Parabéns! Abraço aos editores."

Danilo Mota - 20/3/2017

"Lastimável. Realmente a polícia está fazendo um 'estrago' e o setor que 'mais impulsiona a economia nacional' sofrerá as consequências! Pena que tal setor seja a corrupção.  Até quando o Migalhas vai repetir a defesa do PT/PMDB?"

Alexandre Pires Vieira - 20/3/2017

"Lendo o Migalhas consolida-se a impressão que um ignóbil conselheiro Acácio anda aprontando na redação migalheira. Entretanto, acho que tem algo mais. Os comentários sobre a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, levantam a suspeita que o personagem do Primo Basílio tenha feito uma passagem prévia pelo Os Maias antes de adentrar o gramado migalheiro. Lá incorporou o Dâmaso Salcede, jornalista que emprestava sua estultice ao pasquim Garganta do Diabo. Acácio e Salcede 'encostos' na redação do Migalhas? Essa nem aos advogados de Lula lembrariam. Dupla para deixar o Lula e a Dilma duvidando do seus talentos! O Migalhas está deixando a 'Carta Capital', o Nassif,o Jânio de Freitas e os outros mortos vivos da Conselho Editoral da Folha com inveja. Um recado para a rapaziada que reclama do Exame da Ordem. Que tal ler Eça de Queiroz e Machado de Assis, dando um tempo ao FaceBook?"

Alexandre de Macedo Marques - 21/3/2017

"Estes aí estão estão fazendo coro com os criminosos, que por não terem defesa, tentam desacreditar a 'Banda Judiciária Sadia' (Migalhas 4.076 - 22/3/17 - "Coro" - clique aqui)! Simplesmente advogam para esta gente, ao invés de dar andamento aos seus processos. Devemos, sim, não só exigir o fim do foro privilegiado, como uma correição nesta carcomida Corte que permite tais comportamentos aos seus membros."

Teócrito Abritta - 21/3/2017

"Srs. ministros, guardem para si os seus comentários, pois não compete aos srs. ministros do STF vir a público fazer comentários 'políticos' (Migalhas 4.076 - 22/3/17 - "Coro" - clique aqui). Se houve abusos da PF, que haja processo disciplinar próprio."

Nelson G. Barros - 21/3/2017

"Gostaria de lembrar que delegado de polícia tem como parâmetro as normas vigentes para fazer os pedidos que o caso requer (Migalhas 4.076 - 22/3/17 - "Coro" - clique aqui). A análise do cabimento cabe ao Judiciário. O fato de ser um grande setor da economia, isso por se só, não deve amesquinhar o deve/poder das decisões do magistrado."

Ramilton Santos - 21/3/2017

"Nesta segunda-feira devo admitir que corei ao ler o poderoso rotativo (Migalhas 4.074 - 20/3/17). E não foi de raiva, não, mas de vergonha alheia. É triste ver a campanha escancarada contra a Lava Jato e a Polícia Federal. O que a Carne Fraca tem a ver com os bandidos de colarinho branco presos em Curitiba? Tá faltando assunto, mesmo."

Maurício Morais Tonin - 22/3/2017

"Acho que a dupla Acácio/Salcede além de aprontar em matéria opinativa do Migalhas anda metendo o bedelho na revisão. Como raramentre revejo do que escevo, de vez em quando sai um abominável erro de concordância. A revisão do Migalhas olha para o outro lado e pede um cafezinho ao contínuo. Mas é só fazer uma construção de frase um pouco mais rebuscada ou não usual, e o revisor, célere, corre a corrigir o que está correto com resultados Lulais da silva. Evocando Bocage, desculpas: 'o p...que a duquesa deu, não foi ela, fui eu'."

Alexandre de Macedo Marques - 22/3/2017

"Espero que nas próximas migalhas, seja informado ao seu seleto público, o que os frigoríficos devem para a Previdência Pública. Para dar uma boa e verdadeira visão aos fiéis leitores o quanto é o prejuízo social e ao erário público de uma gestão fraudulenta das empresas envolvidas. E para que se saiba da impossibilidade de existir uma gestão reparadora, de credibilidade, assim como o exemplo da Volkswagen."

Amilcar Silva Júnior - 22/3/2017

"Não pude deixar de mandar esta mensagem, para expressar minhas dúvidas em relação as intenções da redação, pois, ao ler o boletim 4.074, tive a sensação de que o informativo iniciou uma tentativa de culpar a PF pelas futuras perdas do mercado internacional de carnes, onde o Brasil, maior do mundo, certamente se prejudicará (Migalhas 4.074 - 20/3/17). Claro que o alarde foi feito, mas é culpa da PF? É culpa da PF expor a podridão da corrupção que assola todo o país, não só no ramo do petróleo ou da construção civil, e tirar o cidadão da cegueira? Leio diariamente os boletins, e particularmente gosto das opiniões um tanto quanto picantes do redatores, contudo, esta não me agradou. Espero que isso seja somente uma impressão, impressão de que a notícia veio moldada devido ser a JBS, umas das fomentadoras do sítio."

Marco Antonio Teixeira Rodrigues Junior - 22/3/2017

"É uma crítica ao trabalho da PF? Operação espetaculosa?"

Oswaldo Gomes - 22/3/2017

"Sabemos da importância e do poder que os meios de comunicação têm. A quantidade de peças publicitárias e veiculações de declarações mostrando o prejuízo que a Carne Fraca causa à economia inundou TV, jornais, revistas e redes sociais, com direito a entrevistas de sofridos desempregados de frigoríficos investigados. Vem à memória campanhas semelhantes quando a Lava Jato revelou os crimes das maiores empreiteiras do país e dos altos escalões dos governos Lula/Dilma e cúmplices. Condenavam a Lava Jato por graves prejuízos ao país, junto com imagens de obras paralisadas e milhares de trabalhadores demitidos.  Muitos foram convencidos, todos contra a Lava Jato, mas hoje até os membros da OCrim declaram apoio à ela. Na Bahia, a paralisação das obras do Estaleiro do Paraguaçu revoltou população. Viemos entender mais tarde todo esse esforço contra a Lava Jato. Quando a Carne Fraca revelar os crimes de lesa-pátria cometidos pelos investigados, teremos melhor avaliação do trabalho da PF. E quando chegar aos empréstimos que o BNDES concedeu aos frigoríficos dos amigos de Lula e Dilma, aí sim, a operação Carne Fraca terá alcançado seu objetivo."

José Renato M. de Almeida - 24/3/2017

Comente