Domingo, 24 de setembro de 2017

ISSN 1983-392X

STF

Presidente do STF exige investigação de fatos mencionados em áudios da J&F

Ministra cobra apuração rápida e transparente dos fatos.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, divulgou nota relativa aos novos elementos trazidos pelo procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, na petição 7003, em que foi homologado o acordo de colaboração de executivos da J&F.

Na nota, a ministra cobra apuração rápida e transparente dos fatos. Informa que pediu formalmente ao diretor-Geral da PF e ao procurador-Geral da República a investigação imediata, com datas para início e conclusão dos trabalhos, a fim de afastar qualquer sombra de dúvida sobre a dignidade do STF e seus integrantes.

Veja abaixo a íntegra do pronunciamento e dos ofícios enviados.

"Nota à sociedade brasileira

Ontem, o procurador-Geral da República veio a público relatar fatos que ele considerou gravíssimos e que envolveram este STF e seus integrantes.

Agride-se, de maneira inédita na história do país, a dignidade institucional deste Supremo Tribunal e a honorabilidade de seus integrantes.

Impõem-se, pois, com transparência absoluta, urgência, prioridade e presteza a apuração clara, profunda e definitiva das alegações, em respeito ao direito dos cidadãos brasileiros a um Judiciário honrado.

Enviei agora ao diretor-Geral da PF e ao procurador-Geral da República ofícios exigindo a investigação imediata, com definição de datas para início e conclusão dos trabalhos a serem apresentados, com absoluta clareza, a este Supremo Tribunal e à Sociedade Brasileira, a fim de que não fique qualquer sombra de dúvida sobre a dignidade deste STF e a honorabilidade de seus integrantes."

Confira o Ofício enviado à Polícia Federal e o Ofício enviado à PGR.

leia mais

patrocínio

VIVO

últimas quentes