Quinta-feira, 23 de março de 2017

ISSN 1983-392X

2011

O Distrito de Ribeirãozinho nos seus primórdios compreendia vastíssima região tendo como linhas de limites, entre outras, os Ribeirões dos Porcos, Cubatão, Três Barras (ou Água Limpa) e o Rio da Onçam, por lei provincial nº 9, de 16-03¬1880, subordinado ao município de Jaboticabal.

Elevado à categoria de município com a denominação de Ribeirãozinho, por lei estadual 60, de 16 de agosto de 1892, desmembrado de Jaboticabal. Sede na antiga vila de Ribeirãozinho. Constituído do distrito sede. Instalado em 1892.

Elevado à condição de cidade, por lei estadual 1.038, em 19 de dezembro de 1906. Em novembro do ano seguinte, por lei estadual 1102-A, tomou a denominação de Taquaratinga.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município de Taquaritinga é constituído de 5 distritos: Taquaritinga, Cândido Rodrigues, Guariroba, Santa Ernestina e Jurema, que posteriormente passa a ser Jurupema.

Cândido Rodrigues e Santa Ernestina são elevados à categoria de município. Em divisão territorial datada 1968, o município é constituído de 3 distritos, Taquaritinga, Guariroba e Jurupema, assim permanecendo em divisão territorial datada de 14 de maio de 2001.


Gentílico : taquaritinguense

Denominações Anteriores : Ribeirãozinho, São Sebastião dos Coquerais

A região onde hoje se situa o Município de Taquaritinga, em meados do século passado não passava de uma grande área de terra coberta por matagais. A fundação da cidade deu-se em 8 de junho de 1868 com a doação de 155 hectares de terras por Bernardino José Sampaio, Sebastião Domingues da Silva, José Domingues da Silva e outros.

Em 1880, esse patrimônio foi elevado à categoria de distrito de paz da comarca de Jaboticabal sob denominação de Ribeirãozinho por causa de um remansoso e pequeno ribeirão que banhava o local. Em 1892, a povoação foi elevada à categoria de vila e, no mesmo ano, foi criado o Município de Ribeirãozinho. Com a criação da comarca, em 1907, foi alterada seu nome para Taquaritinga, de origem tupi-guarani, que significa taquara branca e fina.

O símbolo do município é o coqueiro, árvore muito comum na região. Em 1981, o prefeito Sérgio Salvagni promulga lei nº. 1714, que declara a Árvore Municipal o Coqueiro.


População

Segundo os dados do recenseamento de 1950, a população total do município era de 23.948 habitantes, no qual 60,94% viviam na zona rural.

Atividade econômica

As atividades fundamentais à economia neste período assentavam-se na produção agropecuária e industrial. As principais culturas eram milho, cana-de-açúcar, arroz, algodão e café. Já as atividades industriais concentravam-se no ramo mobiliário e alimentício.

Transporte

Tabatinga contava com a Estrada de Ferro Araraquara, com 37,6 quilômetros dentro da cidade, além de 38 quilômetros de rodovias oficiais e 285 quilômetros de rodovias municipais.

Ensino

O município era considerado centro estudantil por atrair numerosos estudantes de cidades vizinhas. Em 1950, havia seis grupos escolas e 35 escolas primárias isoladas.