Sábado, 27 de maio de 2017

ISSN 1983-392X

2006

Já sendo vila, quando foi criada a comarca de São Paulo, em 1700, ficou pertencendo a esta: à comarca de Itú, pelo Alvará de 11 de dezembro de 1811; termo de Sorocaba e S. Roque, 4a. Comarca (Itú), pelo Ato do Presidente da Província, em Conselho, de 23 de fevereiro de 1833; idem, da comarca de Sorocaba, pela Lei n.° 11, de 17 de julho de 1852; idem, da comarca de Itu, pela Lei n.° 16, de 30 de março de 1858; idem, da comarca de Sorocaba, pela Lei n.° 39, de 30 de março de 1871.

Esta comarca foi criada com os municípios de Sorocaba, Porto Feliz, Pirapora, Capivari, Itu e S. Roque.

Sorocaba ficou pertencendo à comarca de:

Comarca da Capital - 1700

Comarca de Itu - 1811

4 ª. Comarca (Itu) - 1833

Comarca de Sorocaba - 1852

Comarca de Itu - 1858

Comarca de Sorocaba - 1871

A comarca de Sorocaba consta atualmente dos seguintes municípios:

Araçaíba, Salto do Pirapora e Mairinque

Advogados de destaque na década de 50:

  • Dr. Álvaro Baddini
  • Dr. Fernando Mascarenhas
  • Dr. Hélio Baldy
  • Dr. Jorge Cossermeli
  • Dr. João Machado de Araújo
  • Dr. Lauro Rolim
  • Dr. Trajano Pires
  • Dr. Antônio José Moreira
  • Dr. Moary de Paula Ferraz
  • Dr. Cláudio César Machado Araújo

Denominações anteriores: Itapeboçu ou Itavuru.

Fundadores: Baltazar Fernandes.

Data da Fundação: 1589.



Os historiadores que têm estudado a história da fundação de Sorocaba, dão o ano de 1589 como sendo o princípio da povoação, isso é em virtude de ter sido construída por Afonso Sardinha, o Môço, a primeira casa, na região, em conseqüência da montagem de dois engenhos de fundição de ferro, um dos quais foi doado á D. Francisco de Souza, então governador geral do Brasil. Esse começo de povoado, ainda segundo a opinião dos historiadores, tomou o nome de N. S. de Monte Serrat.

Em 1611 o povoado foi mudado para beira do Rio Sorocaba, sob a invocação de São Felipe, em homenagem ao rei da Espanha. Entretanto, assim, como o primeiro não vingou o segundo povoado, que teve o nome de Itapeboçu ou Itavuru.

Em 1654, o capitão Baltazar Fernandes acompanhado de familiares e escravos seus, fundou o novo povoado, ao qual determinou chamar Sorocaba, denominação essa que tem a sua origem na língua tupi-guarani que significa terra fendida, rasgada (çoro-aba). O novo povoado progrediu desde logo e, em torno da capela erigida em louvor e homenagem a Nossa Senhora da Ponte de Sorocaba, formou-se o núcleo central do aglomerado, razão pela qual o capitão Baltazar Fernandes requereu a transferência do Pelourinho “meia légua do lugar que levantou o Sr. Francisco de Souza”, requerimento esse que foi despachado favoravelmente em 3 de março de 1661, sendo então o povoado elevado à categoria de vila.

A vila de Sorocaba foi, finalmente elevado à categoria de cidade, pela Lei provincial de n.° 5, de 5 de fevereiro de 1842, tendo sido criada a comarca, pela Lei provincial de n.° 39, de 30 de março de 1871.

Foi importantíssimo o papel desempenhado por Sorocaba no século XIX, quando se desenvolveu em todo País o tropeirismo. A cidade, por força de sua situação geográfica privilegiada, transformou-se no eixo geo-econômico, entre as regiões norte e sul do Brasil, empenhadas na mineração e nas reservas florestais, - o norte, - e na produção de animais de carga, o Sul. O chamado ciclo muar só declinou com a inauguração da estrada de ferro Sorocabana, em 1875.

Pouco antes, porém, importantes acontecimentos foram registrados em Sorocaba. Primeiro, em 1852, houve o ensaio inicial com referência a implantação da Indústria, no Estado de São Paulo, por iniciativa de Manuel Lopes de Oliveira. Essa iniciativa não foi bem sucedida, e iniciou-se então, outro movimento pioneiro: o do plantio do algodão em São Paulo e, talvez, no Brasil, em 1856, dando seqüência ao período do desenvolvimento da policultura, com a intensificação do plantio do algodão herbáceo, em vez do arbóreo, usado até então.

Em 1881, verificou-se a consolidação do surto inicial com a construção da fábrica N. S. da Ponte, por Manuel José da Fonseca, cujo funcionamento ocorreu-se no dia 2 de dezembro de 1882, em meio a grandes festas. É de notar-se que este novo ciclo de progresso ganhou vulto em conseqüência da inauguração da Estrada de Ferro Sorocabana, observando-se que, gradativamente, os Sorocabanos se adaptaram à nova vida, cuidando de estabelecer de maneira sólida o que é hoje o principal Parque Industrial do interior do Estado de São Paulo.

O ensino, foi, também, carinhosamente tratado, desde 1830. Tem-se notícia do primeiro professor público, que foi Gaspar Rodrigues de Macedo; o consagrado D’Abreu Medeiros foi o mestre da segunda escola pública, em 1837. Em 1886 foi criado, pela Câmara Municipal, o Liceu Sorocabano. O Colégio União Sorocabano foi inaugurado em 3 de meio de 1874, mas teve duração efêmera. Nessa época, funcionavam na cidade os colégios Teuto-Brasileiro, o de Claro Eugênio França e o externato de D. Escolástica de Almeida Rosa. Essa tendência acentuou-se vertiginosamente nos últimos anos razão pela qual o ensino, nos seus diferentes graus, alcançou lugar de destaque na vida do município, chegando a equivaler ao surto de progresso Industrial.

Vê-se, por aí, que três ciclos distintos marcaram o progresso da cidade fundada por Baltazar Fernandes. No primeiro ciclo, o tropeirismo durante o qual marcaram as famosas e lendárias feiras, concorrendo para projetar a cidade por todo território nacional. Ainda neste ciclo observa-se o progresso da policultura e o pioneirismo do plantio do algodão.

No segundo ciclo nota-se a indústria a ocupar lugar de destaque e evidência, concorrendo para a recuperação e reabilitação da economia sorocabana. Essa evolução contínua, motivo pela qual a posição e a situação de Sorocaba estão perfeitamente consolidadas, justifica o cognome de “Manchester Paulista”.

Finalmente verifica-se o terceiro ciclo, que é do ensino e que no momento está prestes a atingir a plenitude, com as suas faculdades, ginásios, escolas normais, grupos escolares e escolas técnicas, concorrendo para formar na cidade um dos mais heterogêneos aglomerados do País.

O modesto conjunto de 30 casas transformou-se numa majestosa cidade que ocupa lugar de destaque tanto no Estado como no País, visto como sendo a 5.ª cidade bandeirante em densidade de população, e a 8.ª do Brasil em produção industrial. Como preço desse progresso, constata-se o desaparecimento de muitos costumes típicos que caracterizavam a cidade e o povo, principalmente no sentido folclórico. São raros os costumes antigos que ainda prevalecem, destacando-se entre os de ordem religiosa. Os costumes típicos populares, os festejos profanos, desapareceram, ganhando o povo e a cidade novos hábitos, nova formação de costumes, e também forças para poder escrever novos capítulos da história.
_______________

  • Origem do nome

COÇO – ABA sub-verbal de “çorg” quer dizer rasgar, romper, rasgão ou ruptura, etc., em alusão às escavações e erosão do solo neste lugar. Terra rasgada, fendida.
___________

  • Personagens

Rafael Tobias de Aguiar

Rafael Tobias de Aguiar nasceu em Sorocaba de uma família de fazendeiros, e entrou na vida pública em 1821, como representante da Comarca de Itu para a escolha dos deputados brasileiros às Cortes Gerais e Constituintes de Lisboa.

Foi um dos líderes liberais na primeira metade do século XIX. Elegeu-se conselheiro do governo provincial em 1827 e deputado provincial e geral por várias legislaturas desde então até ser escolhido presidente da Província de São Paulo, cargo que veio a exercer duas vezes, nos períodos de 1831 a 1835 e de 1840 a 1841. Em virtude de sua administração, quando aplicou até mesmo seu salário em escolas, obras públicas e de caridade, recebeu o posto de brigadeiro honorário do império.

Em 1842, liderou a Revolução Liberal juntamente com o padre Diogo Antônio Feijó para combater Dom Pedro II. Em 17 de maio de 1842, torna-se presidente interino de Sorocaba, que foi declarada capital provisória da Província pelos revolucionários. Foi ele quem se encarregou de reunir a chamada Coluna Libertadora, com 1.500 homens, com a qual tentou invadir São Paulo para depor o presidente da Província, o Barão de Monte Alegre. Antes da batalha, casou-se com Domitila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos, ex-amante de Dom Pedro I. Foi derrotado pelas forças imperiais e fugiu para o Rio Grande do Sul, onde foi preso e levado para o Rio de Janeiro. Foi anistiado e saiu da prisão em 1844, vindo a falecer em 1857.

Atualmente é considerado o patrono da Polícia Militar de São Paulo.

Américo Brasiliense de Almeida e Melo

Américo Brasiliense de Almeida e Melo, nasceu em Sorocaba no dia 8 de agosto de 1833 e morreu no Rio de Janeiro, Guanabara em 25 de março de 1896. Político, Jurisconsulto e Escritor brasileiro. Abolicionista e Republicano.

Diplomado em Direito pela Faculdade de Direito de São Paulo, em 1855, recebeu o grau de Doutor em 1860. Exerceu a advocacia por algum tempo e desempenhou as funções de Juiz Municipal e de Órfãos, em Itapeva. Engressou no Partido Republicano, deixando de lado sua tendência conservadora.

Deputado provincial várias vezes, foi nomeado presidente da Paraíba, permanecendo no cargo de 04 de novembro de 1866 até 31 de outubro de 1867. Nesse mesmo ano assumiu uma cadeira na Assembléia Geral. A 10 de março de 1968 assumiu o governo do Rio de Janeiro, mantendo-se durante 4 meses no posto. Com Luis da Gama, Américo de Campos e outros fundou a Loja América, cuja orientação de certa forma, tinha por base princípios maçônicos. O objetivo dessa entidade estava voltado inteiramente à campanha abolicionista e à divulgação dos ideais republicanos.

A partir de 1888 passou a lecionar na Faculdade de Direito de São Paulo. Proclamada a República, teve participação na comissão encarregada de elaborar o projeto da Nova Constituição. No período de 1891-1892 governou São Paulo. Em 1891 recusou convite para ocupar o Ministério da Fazenda. Em 1894 foi nomeado ministro do Supremo Tribunal.

Sua obra versa principalmente, sobre assuntos jurídicos, políticos e históricos: “Os Programas dos Partidos e o Segundo Império”; “Elogios aos Paulistas”; “Exposição de História Pátria”; “Lições de História Pátria”; “Jornal de Terentilho Arsa”.
________________

  • Locais históricos

Mosteiro de São Bento




A Capela em louvor à Nossa Senhora da Ponte, iniciada em 1654 pelo Bandeirante Baltazar Fernandes e ao redor da qual formou-se o povoado. Faz parte do conjunto denominado Mosteiro de São Bento, cuja a construção em taipa, de paredes irregulares, já atravessou várias gerações e se traduz em marco importante da história. A capela com altar trabalhado em ouro, guarda os despojos do fundador da cidade.


Catedral

Construída há 200 anos, a Igreja Catedral de Sorocaba tem notável arquitetura.

Sua nave principal possui a imagem da padroeira da cidade, em estilo barroco de 1771. No interior pinturas de Ernesto Tomazzini (1930) e de Bruno Giusti (1949).

O gigantesco sino, instalado em sua torre, foi fundido em Sorocaba (1940), pelos irmãos Samassa, que utilizaram 50 quilos de ouro visando a qualidade sonora. Por vários anos ficou mudo, uma vez que seu toque abalava a estrutura da torre, a qual mereceu reforços.




Museu Histórico Sorocabano




Instalado na casa que pertenceu a Domitila de Castro, a "Marquesa de Santos", é um raro exemplar arquitetônico, reportando as tendências de 1780. Reúne escritos e objetos raros da história e da pré-história de Sorocaba. Desde de junho de 1986, a casa, bem como parte do seu acervo, vem merecendo minuciosa restauração pela equipe de manutenção da Secretaria de Educação e Cultura do Município, sob a orientação do CONDEPHISO - Conselho de Defesa do Patrimônio de Sorocaba.

Estação de ferro de Sorocaba



A estação de Sorocaba era o ponto final da linha original da Sorocabana, que não por acaso tem esse nome: a idéia original dos donos era ligar Sorocaba a São Paulo pelo caminho mais curto.

Em 1876, a linha já se estendia até Villeta (George Oetterer), e foi seguidamente sendo prolongada até atingir, em 1922, o rio Paraná, em Presidente Epitácio. Inicialmente sede das oficinas da linha, estas foram, em 1903, transferidas para a estação de Mairinque. Em 1929, o prédio original foi reformado e transformou-se no atual, tornando-se um dos maiores edifícios de toda a linha. Ainda funcionou como uma estação tradicional, vendendo bilhetes, embarcando e desembarcando passageiros até a entrada de operação da Ferroban, no final de 1998.

Da estação de Sorocaba sai a E. F. Votorantim, pertencente originalmente à Votorantim e hoje operada pela Ferroban. Embora o trem de passageiros da linha-tronco tenha sido desativado em 16/01/1999, Sorocaba continuou embarcando os passageiros da linha Sorocaba-Apiaí, que seguia pelo antigo ramal de Itararé, até 01/03/2001, quando esse trem também foi suprimido. O pátio e a estação estiveram abandonados e ameaçados até de demolição. No final de 2005, a Prefeitura de Sorocaba conseguiu negociar com a RFFSA a compra e a posse provisória da estação para ser restaurada, mas o abandono prossegue .


Histórico da Linha: A E. F. Sorocabana foi fundada em 1872, e o primeiro trecho da linha foi aberto em 1875, até Sorocaba. A linha-tronco se expandiu até 1922, quando atingiu Presidente Epitácio, nas margens do rio Paraná. Antes, porém, a EFS construiu vários ramais, e passou por trocas de donos e fusões: em 1892, foi fundida pelo Governo com a Ytuana, na época à beira da falência.

Em 1903, o Governo Federal assumiu a ferrovia, vendida para o Governo paulista em 1905. Este a arrendou em 1907 para o grupo de Percival Farquhar, desaparecendo a Ytuana de vez, com suas linhas incorporadas pela EFS. Em 1919, o Governo paulista voltou a ser o dono, por causa da situação precária do grupo detentor.

Assim foi até 1971, quando a EFS foi uma das ferrovias que formaram a estatal FEPASA. O seu trecho inicial, primeiro até Mairinque, depois somente até Amador Bueno, desde os anos 20 passaram a atender principalmente os trens de subúrbio. Com o surgimento da CPTM, em 1994, esse trecho passou a ser administrado por ela.

Trens de passageiros de longo percurso trafegaram pela linha-tronco até 16/1/1999, quando foram suprimidos pela concessionária Ferroban, sucessora da Fepasa. A linha está ativa até hoje, para trens de carga.

_________________

  • Curiosidades

Marco da Revolução Liberal

Em 1842, a Câmara Municipal, a Guarda Nacional e o povo se revoltaram contra as decisões do Governo de D. Pedro II e, elegeram Raphael Tobias de Aguiar como Presidente da Província. Tobias marchou para São Paulo com mil soldados, mas Caxias entrou na ponte do rio Sorocaba, sem derramamento de sangue. Dizem as placas:

1 - "Neste Largo, na manhã do dia 17 de maio de 1842, sob a chefia de Rafael Tobias de Aguiar, o povo sorocabano proclamou a Revolução Liberal em defesa dos ideais de liberdade na pátria brasileira".

2 - "Paulistas! Os fidelíssimos sorocabanos vendo o estado de coação a que se acha reduzido o nosso Augusto Imperador D. Pedro II, por esta oligarquia sedenta de mando, de riqueza, acabam de levantar a voz, elegendo-se Presidente Interino da Província, para debelar essa hidra de trinta cabeças, que por mais de uma vez tem levado o país à borda do abismo..." (da proclamação de Tobias de Aguiar à Província).



Obelisco do Fórum

Este monumento foi erguido em homenagem aos pracinhas que participaram da 2ª Guerra Mundial.

Situa-se na Praça Frei Barauna, no centro da cidade, conhecida também como Praça do Fórum Velho, pois logo atrás do Obelisco, está o belíssimo edifício da Casa da Cultura, onde por longos anos funcionou o Fórum de Sorocaba.

Diz a placa: "Associação dos Ex-Combatentes do Brasil - Secção de Sorocaba. À Pátria tudo se dá e nada se pede. Heróis que Sorocaba enviou aos campos de batalha da Itália, durante a 2ª Guerra Mundial: 1944 - 1945".


Monumento Baltazar Fernandes

Inaugurado em 15 de agosto de 1954, por doação da colônia espanhola. Moldado em gesso e fundido em bronze pelo escultor Ernesto Biancalana.

Baseado no estudo de Ettore Marangoni "Elevação de Sorocaba à categoria de Vila em 1661" em exposição no Museu Histórico Sorocabano.

Baltazar Fernandes era filho do fidalgo português Manoel Fernandes Ramos ou Morão e de Suzana Dias, filha do português Lopo Dias.

Baltazar Fernandes nasceu aproximadamente de 1580, numa fazenda onde hoje é o Parque Ibirapuera, em São Paulo. Em 1654, já octogenário, foi para Sorocaba, onde fixou residência.

Faleceu aproximadamente em 1667 e seu corpo foi sepultado junto ao altar principal da sua capela, hoje Igreja de Sant' Ana, do Mosteiro de São Bento.


Palácio dos Tropeiros

O edifício sai de um espelho d'água e se projeta em direção ao infinito, como um seta estilizada. Projeto do arquiteto L.A. Navarretti, inaugurado em 1981. Sede da Prefeitura Municipal de Sorocaba, no Alto da Boa Vista.

Monumento ao Tropeiro



O tropeiro (condutos das tropas de muares que eram negociadas nas feiras junto à ponte do rio Sorocaba) construiu com sua atividade um dos principais ciclos da História de Sorocaba, que dele guarda inúmeras tradições.


Monumento do Trópico de Capricórnio

Inaugurado em 27 de dezembro de 1986, em frente ao Paço Municipal, nos altos da Boa Vista, porque a linha imaginária do Trópico de Capricórnio passa aproximadamente por ali. As divisas do município de Sorocaba com os demais feitos em contornos de concreto, formam a base do monumento.

Hino

"Saudamos-te, querida Sorocaba,
Com muito júbilo e acendrado amor;
desde a selva selvagem, o índio e a taba,
teus feitos cantaremos teu valor.
Às fraldas norte da Paranapiacaba,
tu te elevas Rainha d'esplendor,
e ao pé do morro d'Ouro, o Araçoiaba,
és pioneira paulista do interior.

Ó' Sorocaba, cantamos triunfantes,
bravos, heróis, cantamos teus pioneiros;
Cidade, és filha e mãe de bandeirantes,
com muito orgulho, a "Terra dos Tropeiros".
Tu és, ó Sorocaba, uma das molas
deste grande São Paulo glorioso,
cidade do Trabalho e das Escolas,
dos Liberais de brio belicoso.
Com teus arranha-céus, ao alto evolas
todo o ideal de um povo laborioso,
e o potencial fabril que hoje controlas
é o signo de um Brasil mais poderoso.

Tu, Sorocaba, marchas, "pari-passu"
com tuas irmãs, ao lado das primeiras,
Marchas tu com São Paulo no compasso,
Já desde os áureos tempos das bandeiras.
Foste terra de peões, campeões do laço;
Com suas tropas, com suas famosas feiras;
hoje és comércio, indústria, torres de aço,
Tudo é teu sangue, nas veias brasileiras.

Ó' Sorocaba, cantamos triunfantes,
bravos heróis, cantamos teus pioneiros;
Cidade, és filha e mãe de bendeirantes,
com muito orgulho, a "Terra dos Tropeiros".
Pela alvorada, a orquestra dos apitos,
O operário marcha ao seu mister fabril
e os homens da palavra e dos escritos,
da ciências, em teu progresso atuantes mil;
às escolas a colher frutos benditos,
a juventude marcha varonil,
O Saber e Labor marcham contritos,
em prece a Deus, pela Pátria - Brasil".

Letra - Benedito Cleto
Música - Ruth Camargo Fernandes

Agricultura

Prop. agric. existentes - 2449
Prop. agric. com menos de 20 hectares - 1771
Prop. agric. de 20 a 50 hectares - 431
Prop. agric. de 50 a 100 hectares - 167
Prop. agric. de 100 a 200 hectares - 93
Prop. agric. de 200 a 500 hectares- 34
Prop. agric. de mais de 500 hectares - 13

Variedade de culturas praticadas: Cebola, laranja, batata inglesa, cereais.

Valor global aproximado das propriedades agrícolas: Cr$ 20.464.400,00.

Comércio

Número de firmas taxadas no Imposto de Indústrias e Profissões: 1391

Relação das consideradas grandes firmas:

Louça e ferragens: Maurício Delloso, José Peres Hernanes, Irmãos Torres Monteiro, Sanctis & Cia., Distribuidora Paulista de Alumínios, Irmãos Tezolin.

Fazendas e armarinhos: Domingos Latorre & Filhos, João Vicente de Oliveira, Artur Lungren & Cia., Viúva Issa Latuf, Irmãos Amary, Abud A. Abdalla, Adel Antônio Teruz, Fuad Abdalla, Domingos Teruz.

Calçados: Jamile Cossermelli, Romero & Cia., Antônio Saliola, Geraldo Peres Filho, Amélia Argente Rocha.

Secos e molhados: Armazéns das Rosas Ltda. (4 estabelecimentos, Paulo Amaral Holtz, Pais de Almeida & Cia., Armando sandroni, Benedito Silvestre Ferraz, Perfeito Aceituno, José Gomes França, Anselmo Galves, Olga stefan, Plínio Miguel & Irmãos, Ema Chebel, Ribas & Cia., Peres, Cabral & Cia.

Rádios, Refrigeradores, etc: Paul Cristoph & Cia., Irmãos Domene, Cia. Mencacci de Automóveis, Carone, bonugli, santos Ltda.

Autos e Peças: Cia. Mencacci de Automóveis, Cia. De automóveis Irmãos notari, G. Monteiro Filho, José Palma, Reze & Walter, Carmem Galan Achila, Araújo & Cia. Ltda., Auto Geral Importadora Ltda.

Indústria

Número de indústrias taxadas no Imposto de indústrias e Profissões: 520

Número de operários trabalhando nas Indústrias: 23.000.

Capital invertido na indústria no município: Cr$ 528.000.000,00.

Relação das consideradas grandes indústrias:

Fiação, Tecelagem e Estamparia de Tecidos de Algodão e Raion: Cimento, Cal; Óleos. Vegetais comestíveis; Sabão; Energia Elétrica: S. A. Indústrias Votorantin.

Fiação, Tecelagem e Estamparia de Tecidos de Algodão: Cia. Nacional de Estamparia.

Fiação e Tecelagem de Tecidos Xadrezes: Cia. Fiação e Tecelagem N. S. do Carmo.

Fiação e Tecelagem de Tecidos Tintos: Cia. Fiação e Tecelagem Santa Maria.

Ferramentas, Materiais e Máquinas Agrícolas: Indústria Metalúrgica N. S. Aparecida. Oficina de Carros e Vagões: E. F. Sorocabana. Energia Elétrica: The São Paulo Eletric Co.

Tecelagem de Tecidos de Linho: Antônio Barbero.

Cal: S. A. Cimento, Mineiração e Material de Construção, Calcife Ind. E Comercio de Materiais Ltda., Agenor L. dos Santos & Filhos, Tomazinho Samarone, Correa & Palizari, M. Costa Pereira.

Explosivos: Fábrica de Explosivos São Jorge S. A., Neydir Cury, José Adami & Filhos. Móveis: Indústria de Móveis Âncora Ltda., Anselmo Todesco, João Guariglia, E. Minelli, Paschoal Ciardi, Malzoni & Frieri, Irmãos Dini.

Calçados: Jorge A. Reze, Sallum & Pólice, Domingos Verrone & Irmãos, José Voso, Issuani & Cia., Salvador Marthe. Derivados da carne: Frigorífico “Grand” Ltda.

Álcool de cereais e amido: S. A. Ind. Reunidas de Amido. Sinos: Sinos Samassa Ltda. (única da América).

Ladrilhos: A Mattucci & Cia., Scotto & Cia.

Adubos orgânicos: Barbosa Lima Filho & Mello Ltda.

Bancos

Agências ou filiais de nabos no município: Banco Comercial do Estado de São Paulo, Banco mercantil de São Paulo, Banco Moreira Salles S. A., Banco do Comércio e Indústria, Banco do Brasil.

Caixa Econômica Estadual

Número de depositantes: 9.536.
Montante de depósitos: Cr$ 47.991.462,20.

Caixa Econômica Federal

Número de depositantes: 261.
Montante de depósitos: Cr$ 2.648.075,80.

Coletoria Estadual

Arrecadação em 1948: Cr$ 15.613.882,40.

Coletoria Federal

Total da arrecadação do Imposto de Renda: Cr$ 4.443.074,30.
Idem do Selo de Educação e Saúde: Cr$ 303.117,60.

Correios e Telégrafos

Classe de agência: 1a.
Montante da última arrecadação: Cr$ 535.759,60.
Serviços de Reembolso Postal: Tem.
Outras agências postais existentes no município: Brigadeiro Tobias, Salto de Pirapora, Votorantim.

Estradas de Ferro

Estradas de ferro que servem o município: E. F. Elétrica Votorantim.
Distância entre o município e a capital: 104,702 quilômetros.
Tempo médio de viagem: 2,10 horas.
Custo de passagem entre a capital e o município: singela: 39,00; ida e volta: 62,00. Mistos: 18,50.
Número de trens diários entre o município e a capital: 9 (4 de pequena velocidade).

Estradas de Rodagem

Estradas estaduais que cortam o município: Rodovia São Paulo-Paraná: Sorocaba-Piedade; Sorocaba-Itú, com 70,700 quilômetros.

Tempo médio de viagem: 2 horas.

Distância entre o município e a capital: 102,200 quilômetros.

Estradas municipais que cortam o município: Estradas de Ibiúna, Pilar do Sul, passando por Salto de Pirapora e com ramificação para Sarapuí, porto Feliz, Bairro Carafá, São Roque, Ponte Alta.

Transportes rodoviários: Linhas Intermunicipais: São Paulo, passando por São Roque e Cotia: Itapetininga, passando por Araçoiaba da Serra e Tatuí; São Miguel Arcanjo, passando por Piedade e Pilar do Sul; Tapiraí, passando por Piedade; Ibiúna, passando pela represa: Porto Felizz, 2 linhas com itinerários diferentes: Itú, passando por Pirapitinguí; Campinas, passando por Itú, Santo, Indaiatuba. Linhas municipais para: brigadeiro Tobias, Salto de Pirapora, Votorantim. Linha interestadual: Linha São Paulo-Curitiba, passando por Sorocaba.

Aviação

Localização do Campo de pouso: Vila Angélica.
Número de pistas: 2.
Capacidade das pistas e tipo: 90 x 150 M: Terra.
Aero Clube: Tem.
Número de Aviões de treinamento: 2.
Aviões de treinamento avançado: 1 Fairchald P. T. 19.
Alunos inscritos: 5.
Pilotos já brevetados: 70.

Orçamento Municipal

Orçamento municipal para 1949: Cr$ 16.455.000,00.
Arrecadação em 1948: Cr$ 10.744.698,00.
Despesas em 1948: Cr$ 10.591.882,20.

Informações Político-Administrativas

Atual prefeito municipal: Dr. Galberto Moreira.

Vereadores municipais: Alberto Rossi, Antônio Medeiros, Antônio Teixeira, Armênio Vasconcelos Leite, Augusto de Lima, Artur Fonseca, Cândido Figueiredo, Benedito de Paula, Braz José Anhaia, Ernani Silva Viana, Genésio Machado, Francisco Dias Lopes, Heitor Avino, Ireno Barisani Tienghi, José Matrigani, Joaquim Lúcio Alves, Jorge Frederico Scherepel, Jorge Moisés Betti, Jurandir Baddini Rocha, Juvenal de Campos, Lúcio Lázaro Diniz, Manuel Lourenço Rodrigues, Milton Marinho Martins, Nelo J. B. V. Lombardi, Norberto Amaral Bastos, Mário Fázzio, Sílvio Rosa Santos, Teóflio Nunes, Vicente Caputti Sobrinho, Waldemar Ferreira Talles, Virgílio dos Santos.

Realizações da atual administração: Pronto socorro Municipal, com ambulatório nas sedes distritais e na zona rural; melhoria do traçado da cidade; pavimentação de logradouros; construção de próprios destinados ao ensino primário; ampliação e conservação da rede rodoviária municipal.

Número de eleitores qualificados: 28.425.

Zona eleitoral: 137 a.

Sessões eleitorais: 76.

Número de eleitores que compareceram ao último pleito: 18.250.

Educação

Escolas secundárias: Ginásio Estadual, Escola Normal “Dr. Júlio Prestes de Albuquerque”, Instituto “Ciência e Letras”, Organização Sorocabana de Ensino, Ginásio Acadêmico Anchieta, Instituto Educacional Santa Escolástica, Escola Municipal Noturna,Seminário Menor São Carlos Borromeu.

Escolas primárias: grupos escolares: 13; particulares: 5; número de alunos matriculados: 8.989.

Escolas urbanas: 22.

Escolas Isoladas: 27.

Alfabetização de adultos: número de cursos: 22 (sendo 14 mantidos pelo SESI); matriculados: 579.

Associações culturais: Centro Cultural Brasil-Estados Unidos, Grêmio Varnhagem (estudantil), Gabinete de Leitura Sorocabano, Xadrez Clube de Sorocaba, Grêmio Cultural Artístico.

Associações esportivas: E. C. São Bento, C. A. Votorantim, Fortaleza Clube, A. A. Scarpa, E. F. Sorocabana F. C.

Associações recreativas: Sorocaba Clube, Clube União Recreativo Independência, Clube Recreio Sorocabano.

Associações profissionais: Sindicatos: dos Trabalhadores na Indústria de Fiação e Tecelagem, dos Trabalhadores na Indústria do Cimento, Cal e Gesso, dos Contabilistas, do Comércio Varejista de Sorocaba. Associações: Assoc. Comercial e Ind.de Sorocaba, Assoc. dos Trabalhadores na Indústria de Construção Civil, Assoc. dos Servidores Públicos de Sorocaba, Assoc. dos Prof. Na Indústria de Alimentação, Sociedade Médica de Sorocaba.

Saúde:

Hospitais existentes no município: 5, mantidos por instituições beneficentes, sendo 2 mantidos pela S. A. Ind. Votorantim e Companhia Nacional de Estamparia.

Subvenções que recebem: federal: Cr$ 77.600,00.

Creches: Abrigo e Pensionato de Menores, Orfanato S. Agostinho, Orfanato Betel, Orfanato Hunberto de Campos.

Serviços de Saúde: Centro de Saúde de Sorocaba, Ambulatório de Tuberculose, Casa das Mães e das Crianças, Pronto Socorro Municipal, Posto de Serviço de Profilaxia da Malária, Ambulatório do Sind. De Trabalhadores na Ind. De Fiação e Tecelagem.

Montante da arrecadação do selo de educação e saúde no último exercício: Cr$ 303.117,60.

Informações Urbanas

Número de prédios existentes: 12.672.

Edifícios públicos: Fórum, Delegacia Regional da Secretaria da Fazenda, Quartel do 7.° B.C.F.P., Prefeitura Municipal, Mercado Municipal, Agência dos Correios e Telégrafos.

Número de ruas: 406.

Número de praças: 22.

Número de jardins: 1.

Atrações turísticas: Represa de São Paulo Elétric, na divisa municipal de Ibiúna.

Hotéis: Vicente, Paulicéia, dos Viajantes, Rio branco.

Imprensa: “O Cruzeiro do Sul”, findado em 1903. Diretor: Orlando Silva Freitas. “O Comércio”, fundado em 1941. Diretor: José Crespo Filho. “A Folha de Sorocaba”, fundado em 1943. Diretor: José Marciano da Silva.

Rádio: P.R.D. 7, Rádio Clube de Sorocaba. Potência: da estação: 750 kw; da antena: 500 kw.

Veículos Licenciados: a motor: 1.177; tração animal: 1.353.

Serviços de bondes: Explorado pela São Paulo Elétric C°, com 7 quilômetrosde linhas.

Monumentos: Hermas: Dr. Joaquim Marques Ferreira Braga, Dr. Eugênio Salerno, Dr. Afonso Vergueiro, John Kenworthy, Dr. José Stilitano, Severino Pereira da Silva, Monsenhor João Soares. Busto de Anita Garibaldi, em Votorantim: Canhões de Revolta de 1842.

Serviços Públicos:

Abastecimento de água: Explorado pela Prefeitura Municipal, servindo 8.838 prédios.

Rede municipal de esgotos: Explorado pela Prefeitura Municipal, servindo 4.748 prédios.

Iluminação: Serviço explorado pela São Paulo Elétric C°, com 11.154 ligações.

Energia elétrica: Serviço explorado pela São Paulo Elétric C°.

Telefones: Serviço explorado pela Cia. Telefônica Brasileira, com 2.015 aparelhos ligados.

Calçamento: 58 logradouros calçados total ou parcialmente a paralelepípedos com 200.000 M2 aproximadamente.

Matadouro municipal: Da sede com abate médio mensal de 972 bovinos e 385 suínos e matadouros dos distritos de Salto de Pirapora e Votorantim.

Cemitérios: Serviço mantido pela Prefeitura Municipal. 2 na sede, um no Distrito de Salto de Pirapora e um em Vila Aparecida (Distrito de Brigadeiro Tobias).

Bibliotecas: 15 bibliotecas com mais de 300 tura Sorocabano, instalado em 1863, com 9.241 volumes e uma freqüência de 22.635 volumes, destacando-se o Gabinetue de Lei-pessoas.

Guarda civil: Sub-Divisão da Guarda Civil (36 membros) e Posto 2 da Divisão de Transito Rodoviário (5 membros).

Guarda noturna: Mantida pela população e subordinada à Delegacia Regional de Política.

Informações Religiosas

Organização da Igreja Católica: Paróquias de N. S. da Ponte e Bom Jesus dos Aflitos e Curato de São João Batista (Votorantim). O município é sede do Bispado de Sorocaba.

Obras assistenciais mantidas pela Igreja Católica: Conferências de São Vicente de Paulo, Asilo de São Vicente de Paula, Asilo de Órfãs S. Agostinho, Seminário Menor São Carlos Borromeu, Centro Operário Católico Beneficente.

Organização da Igreja Protestante: Há no município 16 templos e salões dos diferentes cultos.

Obras assistenciais mantidas pela Igreja Protestante: Orfanato Betel, mantido pela Igreja Presbiteriana Independente.

Organização dos Centros Espíritas: União Espírita Sorocabana, Centro de Cultura Psíquica “Francisco Sodré”, Centro “Fé em Deus” “Flamarion”, “Antônio de Pádua” “Ataídes”, “Fé, Esperança e Caridade”, Joana D’Arc” e outros.

Obras assistenciais mantidas pelo Espiritismo: Assistência ao recemnascido.

Informações Diversas

Médicos: Drs. Aldemar de Castro, Antônio Vial, Artidoro Mascarenhas, Carlos Gomes Pereira, Celso César Machado Araújo, César Camarinha, Clóvis César Machado Araújo, David Neves Nunes, Décio Tavares, Deodoro Reis, Dirceu Doretto, Fernando de Carvalho Santos, Fernando Soares Fernandes, Fernando Vieira de Melo, Francisco Ribeiro Arantes, Gualberto Moreira, Heitor Avino, Heitor Ferreira Prestes, Helvídio Morais Rosa, Hermínio Trujillo, Humberto Reali, Itagiba Vilaça, José Carolino Divino, José Filipe Camargo Barros, José Galvão Filho, José Júnior Fernandes Barros Filho, José Juliano Fernandes Barros Filho, José Stilitano, Lafaiete Leitão de Albuquerque, Leon Hirsch, Lineu Matos Silveira, Manoel Nogueira Soares, Mário Ginefra, Mário Navas, Mário Scmidt Inglês de Souza, Milton Tavares, Nelson Ferreira Costa Chaves, Nilton Vieira de Souza, Newton Morais Rosa, orlando Vaz V. Santos, Paulo Amaral Rogick, Paulo Araújo Homem de Melo, Paulo Emílio Monteiro Brasil, Plínio Ferreira Rezende, Spártaco vial, Tomás Cortez, Welvick Tabacow. Veterinários: Leão Amaral Rogick, João da Cunha Rudge.

Engenheiros: Drs. Antônio Augusto da Silva, Antônio Mendes, Bráulio Guedes da Silva, Eraldo Couto Campello, Erasmo Amaral Campos, Floriano Pacheco, Francisco de Assis Cachelli Oliva, Hélio Ferreira, Ivo Leal Pereira de Sousa, João Gandara Mendes Filho, João Pedro Salerno, José Fernal, José Solano Carneiro Novais, Júlio Bierrenbach de Lima, Lucio Brandão de Camargo, Marcelo Penteado de Castro, Otávio Maurício de Magalhães, Waldemar de Sylos Cintra, Wilson de Bello, Osar Dybowicz. Agrônomos: Guido Lafranchi.

Dentistas: Drs. Álvaro Martins Passos Filho, Álvaro Tunis, Antônio Denari, Antenor Maciel, Antônio Camargo, Antônio Cândido de Oliveira, Cristóvam Colombo Fleury, Danilo Bonilha, Darby Ribeiro Martins, Dionísio Rodrigues de Almeida, Edwiges Monteiro, Emerenciano Prestes de Barros, Ernani Silva Viana, Fernando Jardim, Fernando Rocha Camargo, Flávia Dias, Francisco Camilo Bezerra de Sousa, Genaro Homem de Melo, Homero Fogaça, Hélio Augusto Loureiro Pascoalick, Ireno Barisani Tienghi, Izaltino Ramos da Silva, Jacy Araújo, Jairo Stlofer de Lima, José Ferreira Prestes, José Martins Passos, Justino Proença, Juvenal Ramos Cunha, Maria de Lourdes Ponce Camargo, Marieta Nogueira, Nicolau Alonso Filho, Odahil Castilho e Silva, Otaviano Coelho de Oliveira, Plínio de Almeida, Renato Gatti, Renato Massari, Romeu Jardini, Roque Antenor Pássaro, Rui Coelho de Oliveira, Santino M. R. Carani, Thirson Ismael Neto, Tobias Avino, Zaluar Ferreira da Costa.

Farmácias: Avenida, Bom Jesus, Coração de Jesus, Drogasil Ltda., Espírito Santo, Gomes, Melges, Modelo, N. S. Aparecida, N. S. da Conceição, N. S. de Fátima, Penha, Do Povo, Rodrigues, Rosário, Santa Isabel, Santa Marina, Santa Rosália, Santa Teresinha, Santo Antônio, São Bento, São Carlos, São Geraldo, São José, São José (Votorantim), São João (Votorantim), Votorantim (Votorantim).

Laboratório de análise: Centro de Sade de Sorocaba, Dispensários da Tuberculose, Santa Casa de Misericórdia, Dr. Paulo Araújo Homem de Melo, Farmacêutico Eugênio Nogueira, Hospital São Severino.

Instalações de Raios X: Santa Casa de Misericórdia, Dispensário de Tuberculose, Hospital Evangélico, Hospital São Severino, Dr. Manuel Nogueira Soares.

Teatros: Cine Teatro São José, com capacidade para 1.560.

Cinemas: Cinema Caracante, com capacidade para 2.700 pessoas, Cine Eldorado, com capacidade para 1.840 pessoas, Cine Líder, com capacidade para 2.300 pessoas, Cine Votorantim (Distrito de Votorantim), com capacidade para 925 pessoas, Cine Fortaleza (Vila Industrial de Santa Rosália), com capacidade para 250pessoas, Cine Paratodos (Salto de Pirapora), com capacida epara 116 pessoas.

Corporações musicais: Carlos Gomes, Francisco Dimas Mello, Santa Cecília, Carlos A. Pereira.

Conjuntos orquestrais: Irmãos Cavalheiro, Americano e outros menores.

Grupos de amadores teatrais: Grupo São José, Carlos Gomes e outros.

Filhos ilustres do município: Brigadeiro Rafael de Aguiar.