Domingo, 21 de outubro de 2018

ISSN 1983-392X

Reforma trabalhista

de 13/5/2018 a 19/5/2018

"O excesso de reclamações trabalhistas se dá não pela banalização das demandas e sim por falta de fiscalização por parte do ministério do trabalho, sim com letras minúsculas (Migalhas 4.354 - 11/5/18 - "1x1" - clique aqui). Uma vergonha, fui chefe de DP e conheço arbitrariedade das empresas e a desídia governamental. Deixem de hipocrisia. Não sou de esquerda direto é direito. E aumente a capacidade da prestação jurisdicional."

Paulo Roberto Pereira dos Santos - 13/5/2018

"Até as pedras dos rios sabem que não há condenação em sucumbência em ação ajuizada antes da reforma trabalhista, pela simples razão da lei não retroagir (Migalhas 4.355 - 14/5/18 - "Miga 8" - clique aqui). O que espanta, em casos como esse, são juízes de primeiro grau darem provimento a esse tipo de pedido, provocando os infindáveis recursos e abarrotando, desnecessariamente, a segunda instância - que deve ter mais o que fazer. In casu, o correto seria a aplicação de multa ao autor (advogado) do pedido, por pedir algo desprovido de fundamento e contralegem."

Milton Córdova Júnior - 14/5/2018

"Esse tipo de decisão (extinção da ação sem oferecimento de prazo para emenda) é uma clara amostra dos juízes que não querem trabalhar e não estão nem aí para o direito mas apenas para o salário que recebem no final do mês, o que não é pouco (Migalhas 4.355 - 14/5/18 - "Reforma trabalhista" - clique aqui)."

Sérgio Luis Durço Maciel - 14/5/2018

"Como assim (Migalhas quentes - 15/5/18 - clique aqui)? Lei nova sobre lei e direitos em curso? Eliminaram a CF/88?"

Suzana Horta Moreira - 15/5/2018

Comente