Quarta-feira, 19 de setembro de 2018

ISSN 1983-392X

PM x Advogado

de 8/7/2018 a 14/7/2018

"Vai ficar esperando sentada.... Nota de repúdio serve apenas para fazer média na mídia... O correto é desagradar em frente ao batalhão ou em frente a sede do Governo (Migalhas 4.393 - 9/7/18 - "PM X Advogado" - clique aqui)."

Juliano Rodrigues Claudino - 9/7/2018

"Eu não sou policial, mas vejo que, infelizmente, tiraram as forças da polícia e todo mundo agora se sente no direito de afrontar a PM (Migalhas 4.393 - 9/7/18 - "PM X Advogado" - clique aqui). E ainda pensam só porque tem diploma são melhores e podem fazer baderna. Espero que o novo presidente de poderes aos nosso policias, eles não têm que ficar de papinho e sendo educados, se a ordem foi dada deve ser cumprida. E quem não cumprir deve ser conduzido a força. E por isso que a bandidagem está de pernas pro ar deitando e rolando sobre nós."

Patrícia Regina da Silva Thomaz - 9/7/2018

"Na qualidade de advogado me senti atingido com esta ação truculenta, destemperada e desmedida da polícia de Pernambuco (Migalhas 4.393 - 9/7/18 - "PM X Advogado" - clique aqui). Frente às imagens, está comprovado de forma cabal e irrefutável que o causídico teve suas prerrogativas violadas. É importante destacar que esta situação tem se tornada corriqueira em todo o Brasil o que pode enfraquecer a nossa nobre profissão, pois, é sabido que o advogado deve exercer com destemor a sua profissão e ter suas prerrogativas respeitadas em todos os setores da sociedade por força de lei. A advocacia não é uma simples profissão, é uma atividade destinada a proteger, preservar e resgatar os direitos individuais. Assim, não se pode admitir em uma democracia que a atividade profissional do advogado seja tolhida por ações truculentas e ilegais como esta mostrada na cena humilhante que sofreu o causídico. Sem advogado não há Justiça e, sem Justiça estaremos diante de uma ditadura. Ante ao exposto, venho me solidarizar com o advogado atingido em cheio em sua prerrogativa, até porque neste ano de 2018 eu e meu filho que também é advogado já passamos por situação semelhante a esta no fórum criminal de São José do Rio Preto/SP, e só não fomos conduzidos presos por atuação firme dos membros da diretoria daquela seccional. Confesso: Realmente é uma situação extremamente constrangedora e humilhante. O que se observa aqui nada mais é do que uma tentativa de criminalizar o livre exercício profissional, o que nos remete a tempos sombrios da ditadura. A Constituição da República alçou a advocacia ao status de função indispensável à administração da Justiça, garantindo a inviolabilidade do advogado por seus atos e manifestações no exercício da profissão e, assim, quando as prerrogativas básicas do advogado são violadas a nossa entidade deve tomar posição firme e pública para que fatos lamentáveis como estes não mais ocorram, isto porque, sem advogado não há Justiça! Assim, a OAB tem que tomar uma posição firme contra este tipo de arbitrariedade a nível nacional, pois, em situação como esta a nossa profissão fica enfraquecida se não tomarmos uma posição firme e que cause impacto junto a polícia e demais autoridades que extrapolam os seus direitos, pois só assim poderemos exercer com destemor a nossa nobre profissão."

Antonio Fidelis - 10/7/2018

"Mais um exemplo de abuso de autoridade que provavelmente não vai dar em nada (Migalhas 4.393 - 9/7/18 - "PM X Advogado" - clique aqui). E não só contra o advogado, mas também contra o vigilante que estava filmando. Essa história de exigir que a pessoa vá como testemunha só porque está filmando uma ação policial é clara tentativa de intimação, que nesse caso felizmente não deu certo."

Leven Mitre Vampré - 10/7/2018

Comente