Sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

ISSN 1983-392X

Testemunha de Jeová – Transfusão de sangue

de 8/9/2019 a 14/9/2019

"O MPF e a Justiça deveria ter outras prioridades, sem contar que se for para somente salvar vidas conforme a CF (Migalhas 4.685 – 11/9/19 – Testemunha de Jeová – Transfusão de sangue). Muita lambança de certos: políticos, MP e Justiça."

Luis Fernandes De Souza - 11/9/2019

"Essa é uma controvérsia que merece pacificação (Migalhas 4.685 – 11/9/19 – Testemunha de Jeová – Transfusão de sangue). Já passou da hora de superarmos o paradigma paternalista e dar espaço à autonomia informada do paciente, não apenas nesse assunto, mas em outras escolhas relativas à saúde. É muito importante voltar a colocar a pessoa (não somente a vida biológica) como centro do cuidado médico, humanizar o atendimento e respeitar as convicções pessoais e escolhas existenciais. Temos muito a evoluir no respeito às escolhas alheias."

Bruno Lopes - 11/9/2019

"Sou médico e por muito tempo pensei no assunto (Migalhas 4.685 – 11/9/19 – Testemunha de Jeová – Transfusão de sangue). Se você oferece um tratamento de caráter eletivo ao paciente programado para uma cirurgia com alto potencial de sangramento (procedimento este com alta chance de paciente sofrer sangramento não compatível com a vida), e o paciente relata que não aceita receber sangue, se eu submeter o paciente a este tratamento sabendo do risco de morte, não estarei cometendo um homicídio doloso? Nesse caso, posso me recusar a não assistir o paciente, afinal, é dado ao indivíduo o direito de se recusar a cometer um crime, correto?"

Paulo Rodrigues Andrade - 13/9/2019

"Os agentes estatais tendem a se considerem sacerdotes do deus Estado, amealhando um grande rebanho de seguidores que acreditam nada haver de mais alto e sublime que o Estado. Para eles, a vida está nas mãos desse deus e de mais ninguém (Migalhas 4.685 – 11/9/19 – Testemunha de Jeová – Transfusão de sangue). Ser sacerdote de um deus assim considerado implica considerar-se representante e administrador de um poder descomunal, já que nenhum outro poder sobre ele é admitido perante seus porta-vozes, submetendo todas as pessoas ao que tais sacerdotes entenderem, momento a momento, ser a vontade estatal. Dizer que a vida é mais importante que a liberdade implica, em casos como esse, em legitimar a escravidão intelectual."

Vanderlei Avelino Rodrigues - 14/9/2019

"Sou aposentado e fui cirurgião por 48 anos (Migalhas 4.685 – 11/9/19 – Testemunha de Jeová – Transfusão de sangue). Se se requer tratamento especializado para testemunhas de Jeová referentes à transfusão de sangue deveria o supremo garantir ao cirurgião a recusa de tramento cirúrgico sem incorrer à penalização por omissão de socorro."

Samuel Reibscheid - 14/9/2019

Comente