Domingo, 8 de dezembro de 2019

ISSN 1983-392X

Danos morais

Marqueteiro de Dilma processa cineasta Fernando Meirelles

João Santana teve seu nome associado ao nome do nazista Goebbels pelo cineasta.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O marqueteiro responsável pela campanha de Dilma Rousseff, João Santana, ajuizou ação de danos morais contra o cineasta Fernando Meirelles, por ter tido seu nome associado ao nazista Joseph Goebbels.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o cineasta afirmou:

"'Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade', a frase vinha assinada por João Goebbels Santana (sic). Foi na mosca, é exatamente dali que vem a inspiração do marqueteiro-mor. Como se pode votar numa candidata cujo principal colaborador é um marqueteiro que lhe aconselha a mentir e ela obedece?"

João Santana é representado pelo escritório Chiaparini e Bastos Advogados. De acordo com os advogados José Diogo Bastos Neto, Leonardo Guerzoni Furtado de Oliveira e Henrique Rocha Ventureli, que representam Santana no caso, o marqueteiro foi alvo de “virulentos ataques diretos”, "com fito proposital de atingir-lhe a honra, intrínsenca e extrínseca, nome e imagem."

“Mais que isso, ofende a honra íntima, profissional e social do Autor e danifica seu nome e imagem, pois a ele atribui a prática usual da mentira nos serviços por ele desenvolvidos, repetindo-as com intenção de torná-las verdades, além de tentar agregar publicamente a seu nome o de Goebbels".

Para os advogados, o cineasta estava ciente da carga negativa que a associação pode acarretar "diante do inegável poder de difusão nas mídias disponíveis, gerando prejuízos materiais e morais inestimáveis". Ainda segundo eles, Fernando Meirelles agiu com dolo intencional ao firmar conscientemente a associação dos nomes, "criando um apelido" que traz mensagem "altamente negativa".

___________

patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes