Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Defesa de Cabral pede a reinquirição dos doleiros da Lava Jato no processo de Eike Batista

Doleiros Vinícius Claret e Cláudio de Souza afirmaram que o advogado Antonio Figueiredo Basto recebia quantias mensais para controlar inúmeras delações que patrocinou.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

A defesa de Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, protocolou nesta quarta-feira, 30, pedido para que os doleiros da Lava Jato, Renato e Marcelo Chebar, Vinicius Claret e Claudio de Souza, sejam reinqueridos no processo do empresário Eike Batista após delatarem a atuação do advogado Antonio Figueiredo Basto nos processos da Lava Jato. A petição foi apresentada à 7ª vara Federal da seção judiciária do RJ.

Em maio deste ano, os doleiros Vinicius Claret e Claudio de Souza fizeram delações premiadas, colhidas pelo MPF, nas quais afirmaram que o advogado Antonio Figueiredo Basto teria sido pago por interessados para "controlar" as inúmeras delações que patrocinou perante as autoridades brasileiras, em diversos processos criminais da operação Lava Jato, para direcioná-las de molde a proteger os seus patrocinadores.

Pelos depoimentos dos delatores, o causídico teria recebido mensalmente, entre 2005 e 2013, de vários doleiros envolvidos em delitos investigados nos processos em curso, para garantir que não fossem citados por seus outros clientes ou alcançados pelas investigações policiais e ministeriais. Essa quantia mensal foi apelidada de "taxa de proteção".

No documento, a defesa de Cabral retoma que o Antonio Figueiredo atuou na defesa e condução dos trabalhos de delação premiada dos irmãos Renato e Marcelo Chebar, que funcionaram como suporte da acusação não só do processo de Eike Batista, como de vários outros que estão em tramitação na 7ª vara Federal.

"Não se cuida de uma mera reavaliação dos requisitos dos termos de colaboração dos irmãos delatores ou do valor das suas palavras diante das recentes declarações dos seus ex-parceiros de ilícitos, mas, do enfrentamento de questões vitais para o julgamento da causa (...)"

Assim, a defesa do ex-governador pediu a reinquiriação dos referidos doleiros no processo de Eike, "a fim de que se esclareça melhor os novos episódios narrados por estes últimos sobre os fatos aqui apurados, tendo-se em conta que dizem respeito ao cerne da imputação".

Confira a íntegra do pedido.

leia mais

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes