Quarta-feira, 16 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Câmara aprova reajuste do salário mínimo para R$ 380

quinta-feira, 17 de maio de 2007


Hoje

Câmara aprova reajuste do salário mínimo para R$ 380

A Câmara aprovou hoje a Medida Provisória 362/07 (clique aqui), que reajusta o salário mínimo de R$ 350 para R$ 380, com efeitos a partir de 1º de abril. A votação só foi possível depois de um acordo de líderes. A MP recebeu parecer favorável do relator, deputado Angelo Vanhoni PT/PR, que rejeitou as 19 emendas - inclusive aquelas no sentido de aumentar o mínimo acima de R$ 380 - o PPS, por exemplo, queria aprovar um valor de R$ 420. A matéria segue agora para o Senado.

O Plenário rejeitou também um destaque para votação em separado apresentado pelo PPS que estendia a correção do mínimo - 8,57% - aos aposentados e pensionistas do Regime Geral da Previdência Social. Esse foi um dos principais pontos do debate.

O outro foi a tentativa do relator de incluir, no texto da MP, o conteúdo do Projeto de Lei 1/07 (clique aqui). Uma das medidas do Programa de Aceleração do Crescimento - PAC, esse projeto estabelece uma política de correção para o mínimo até 2011. Ele tramita em caráter conclusivo e já foi aprovado em comissão especial.

A iniciativa do relator foi contestada pela oposição, que ameaçou obstruir a votação da MP. "Ontem havia um relatório. Hoje há outro. Nós nos sentimos atropelados", disse o líder do DEM, deputado Onyx Lorenzoni (RS).

Esse impasse levou o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, a sugerir uma reunião entre os líderes. Depois de mais de uma hora, ficou acertado que o relator restabeleceria o texto original da MP, deixando para a próxima terça-feira a votação do recurso que pede a votação do PL 1/07 em Plenário.

Promessa

Os oposicionistas criticaram o governo pelo reajuste de R$ 30 no mínimo, que segundo eles está longe da promessa de campanha do presidente Lula de dobrar o valor do piso nacional no seu mandato.

A oposição também pressionou para que a correção de 8,57% fosse repassada aos aposentados e pensionistas. O deputado Arnaldo Faria de Sá PTB/SP lembrou que em abril o governo concedeu um aumento de apenas 3,3% para esses beneficiários. Segundo ele, os aposentados acumulam uma perda acumulada de mais de 70%.

"A maior justiça que se pode fazer é aumentar o salários dos aposentados. A maioria deles está com o salário achatado", acrescentou o líder do PPS, deputado Fernando Coruja/SC.

Já a base aliada rebateu as críticas e defendeu a política de reajustes do governo. "É o maior valor do salário mínimo da história. É o tamanho possível acertado com aqueles que representam os trabalhadores do Brasil - as centrais sindicais", disse o deputado Vicentinho PT/SP.

Votação do FPM

O objetivo do presidente Arlindo Chinaglia era concluir a votação, ainda hoje, da Proposta de Emenda à Constituição - PEC 58/07, que aumenta em um ponto percentual os repasses ao Fundo de Participação dos Municípios - FPM. Porém, isso não foi possível, já que os trabalhos ficaram paralisados por quase uma hora e meia devido ao impasse em torno da inclusão do PL 1/07 no texto da MP 362/07.

Se houver acordo, o assunto do FPM poderá voltar a ser discutido na sessão extraordinária marcada para começar às 13h30 de amanhã. Ainda falta a votação de destaques à PEC 58/07.

_______________

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes