Segunda-feira, 14 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Dólar

Reação negativa ao Copom impulsiona dólar

sexta-feira, 21 de maio de 2004


Reação negativa ao Copom impulsiona dólar


O dólar abriu hoje em alta de 0,80%, vendido a R$ 3,240. A moeda chegou a registrar R$ 3,241 logo após a abertura dos negócios, valorização de 0,84%. Ontem, o dólar superou a marca de R$ 3,20 e subiu 2,55%, cotada a R$ 3,214, o maior valor em 13 meses.

A decisão do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central de interromper a seqüência de cortes de juros, mantendo a taxa em 16% ao ano, foi apontada como o principal motivo para a desvalorização do real.

Segundo o diretor de câmbio da corretora Souza Barros, Carlos Alberto Abdalla, "o Copom sacramentou a percepção negativa do mercado sobre as turbulências externas. Antes, o governo dizia que havia uma blindagem contra a crise internacional. Mas a manutenção dos juros selou de vez a idéia de que existe sim uma preocupação com a alta do petróleo e a expectativa de uma subida do juro nos EUA".


Para Abdalla, a manutenção do juro virou um pretexto dos especuladores para trabalhar com a perspectiva de uma alta da taxa Selic em breve.

Se a escalada do dólar continuar, o mercado vai começar a esperar medidas do Banco Central para conter a desvalorização do real.

Segundo Abdalla, o governo deve deixar, no primeiro momento, o dólar subir para estimular as exportações, já que o consumo interno ainda apresenta sinais de fraqueza. Depois, poderá adotar medidas como a rolagem de títulos cambiais, leilões de venda de divisas ou até o aumento do compulsório (dinheiro que os bancos são obrigados a recolher).

___________ ....

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes