segunda-feira, 19 de abril de 2021

COLUNAS

Publicidade

Cenário - 9.7.19

FSB Inteligência

terça-feira, 9 de julho de 2019

Cadastro Positivo em vigor

A inclusão automática das informações de empresas e cidadãos no Cadastro Positivo começa hoje.

Para impedir que as empresas de avaliação de risco de crédito tenham acesso a elas, consumidores e empresários precisam fazer uma solicitação formal.

Entre as informações que ficam à disposição de empresas de avaliação de risco como SPC, Serasa e Boa Vista, estarão os dados sobre pagamentos em dia e empréstimos quitados de pessoas físicas e jurídicas.

De posse desses dados, essas empresas especializadas calculam uma nota de crédito para pessoas físicas e jurídicas. Essa pontuação (score) é disponibilizada para bancos, instituições financeiras e comerciais.

Assim que alguém for adicionado ao cadastro, as empresas especializadas terão 30 dias para comunicar os clientes. Os consumidores poderão, então, decidir se permitem ou não a disponibilização de seus dados.

A retirada das informações do cadastro precisará ser solicitada pelo cliente de forma gratuita.

Defensores do Cadastro Positivo sustentam que com mais informações sobre os clientes será possível conceder empréstimo a taxas mais justas e incluir no mercado pessoas que hoje não têm acesso a crédito.

Pesquisa

Popularidade estável

A popularidade do presidente Jair Bolsonaro se manteve estável desde abril, segundo o Instituto Datafolha.

Em julho, após seis meses de governo, 33% dos entrevistados consideram a gestão ótima ou boa. Outros 33% disseram que a administração é ruim ou péssima. E 31% a consideram regular.

Os números são muito próximos aos registrados ao final de três meses de governo e mostram que a polarização política segue forte.

Porém, considerando que no primeiro semestre as ações do Executivo não tiveram grande efeito no cotidiano dos brasileiros, é correto avaliar que a popularidade de Bolsonaro está consolidada. E esse cenário pode ainda melhor com a aprovação da reforma da Previdência.

Entre aqueles que votaram em Bolsonaro na eleição, a aprovação dele subiu de 54%, em abril, para 60% agora. Isso indica que a aposta do governo no discurso ideológico pode estar funcionando para galvanizar o apoio no seu eleitorado.

Previdência

Câmara reivindica paternidade

A reforma da Previdência ainda nem foi aprovada na Câmara, mas como era previsível o presidente da Casa, Rodrigo Maia, já reivindica a paternidade da ação para o Congresso.

Até agora, o governo federal não entrou na disputa, apesar de formalmente ter apresentado a PEC ao Congresso Nacional.

Maia se sente à vontade para reivindicar o protagonismo do Congresso porquê de fato o presidente Jair Bolsonaro não agiu como garoto propaganda das mudanças propostas.

Além disso, por vezes, durante a tramitação congressistas e a equipe econômica tiveram atritos que poderiam inclusive inviabilizar a aprovação da Nova Previdência.

A disputa pela paternidade pode parecer uma simples provocação, mas com uma popularidade tão baixa, o Congresso vê na aprovação da reforma uma possibilidade de se capitalizar politicamente.

Já Bolsonaro está em posição privilegiada porque sugeriu as mudanças e teve custo político baixo por sua provável aprovação.

Liberdade econômica

Relatório será apresentado

A Medida Provisória da Liberdade Econômica, uma das principais medidas microeconômicas do governo, terá seu relatório apresentado hoje na comissão mista que avalia o texto.

O deputado Jerônimo Goergen deve acatar várias emendas dos parlamentares no sentido de ampliar os efeitos da MP 881.

Ela deve ser votada na comissão antes do recesso parlamentar que tem início no próximo dia 17. No plenário da Câmara, porém, ela só deve tramitar em agosto.

A MP estabelece normas de proteção à livre iniciativa e ao livre exercício de atividade econômica, além de disposições sobre a atuação do Estado como agente normativo e regulador.

Petrobras

Mais um passo

A Petrobras deu mais um passo para sair do controle do mercado de gás natural ao assinar com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) um acordo que prevê inclusive que a estatal venda sua participação no gasoduto Brasil-Bolívia.

Quando deixar o controle acionário do gasoduto, caso queira manter os contratos de fornecimento de gás natural oriundo dos poços bolivianos, a Petrobras poderá contratar até 50% da oferta disponível.

O acordo prevê ainda que a estatal terá que abrir mão dos 10% da participação acionária que ainda tem na Nova Transportadora do Sudeste e de 100% das ações Transportadora Associada de Gás.

A Petrobras deixará também as sociedades nas empresas estaduais de distribuição do insumo.

O acordo firmado entre a Petrobras e o Cade para que a estatal saia do mercado de gás natural é um dos principais eixos do plano do governo para criar um mercado livre do insumo no país e, com isso, reduzir o custo por meio de mais concorrência.

A aposta do governo é que com a abertura surjam investimentos de mais de R$ 32 bilhões em novos gasodutos e terminais até 2032.

PIB

Previsão menor

O mercado voltou a reduzir a previsão do PIB para este ano. Agora, as instituições financeiras preveem um crescimento de 0,82% neste ano. Há um mês essa previsão era de 1%.

O mercado também prevê que a taxa Selic seja de 5,5% ao final do ano. Hoje, a taxa básica de juros está fixada pelo Banco Central em 6,5%, a menor da história.

As novas previsões do mercado ocorrem pouco mais de uma semana antes do governo apresentar a revisão bimestral de receitas e despesas, quando a equipe econômica também realinha suas projeções.

Hoje, o Executivo estima um crescimento de 1,6% e já avisou que vai rever o prognóstico para baixo.

AGENDA

Turismo - O presidente Jair Bolsonaro se reúne hoje, às 10h, com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio.

Voluntariado - Às 14h, o presidente lança o Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado, em Brasília.

Anticrime - O grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que analisa o pacote anticrime do governo vota o relatório sobre o texto a partir das 14h.

BNDES - A CPI do BNDES toma depoimento hoje, às 14h30, dos publicitários João Santana e Mônica Moura.

Infraestrutura - O ministro da Economia, Paulo Guedes, se reúne às 19h com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para tratar do segmento de portos.

EDUCAÇÃO

Bolsas| O Google está oferecendo US$ 500 mil em bolsas para pesquisas na América do Sul.

SABER

Evolução| Saiba como e porque os humanos começaram a falar.

SUSTENTÁVEL

Descoberta| Cientistas descobrem reserva de água doce sob o oceano na costa do Estados Unidos.

TECH

Avanço| O metrô de São Paulo pode ter monitoramento com reconhecimento facial.

BEM-ESTAR

Saúde| Entenda qual a quantidade certa de água que deve ser ingerida diariamente.

Atualizado em: 9/7/2019 07:24