sexta-feira, 18 de junho de 2021

COLUNAS

  1. Home >
  2. Colunas >
  3. Marketing Jurídico >
  4. Design Thinking, Legal Design e Visual Law

Publicidade

Design Thinking, Legal Design e Visual Law

sexta-feira, 14 de maio de 2021

O amigo Prof. Me. Nicholas Merlone pergunta:

"Poderia falar um pouco sobre Legal Design e Design Thinking aplicados ao Marketing Jurídico? Muito Obrigado! Forte abraço!"

Nicholas, obrigado pela pergunta. Acredito que a resposta à sua pergunta esteja na conceitualização dos termos, pois só assim você conseguirá entender e assim customizar a sua necessidade em cima de cada ponto. Então vamos lá:

  • Design Thinking

Embora muitas pessoas pensem que a palavra "design" aqui esteja associada a "arte" ou "beleza", a verdade é que o termo é destinado a pensar em soluções mais criativas para problemas que o mercado possa ter. A ideia aqui é ter como base as necessidades e obstáculos impeditivos das pessoas e criar conceitos e ideias que possam, de uma maneira mais facilitadora, finalizar essas dores de cabeça. O "design" então, mais do que beleza, propõe uma nova cultura de trabalho para resolver problemas antigos. É, basicamente, ver com um olhar mais dinâmico ou enxergar novos caminhos através da perspectiva do consumidor final. Geralmente, o Design Thinking trabalha com cinco fases: entendimento do problema, compilação de informações, geração de ideias, materialização de ideais e, por fim, validação.

  • Legal Design

Se o Design Thinking tenta buscar novos caminhos criativos para ajudar as pessoas, o Legal Design tem foco em ajudar o mercado consumidor de serviços jurídicos em um dos problemas mais consistentes e constantes apresentados: como mostrar o Direito para pessoas que não são advogados. Quando se fala em Legal Design, a ideia é pensarmos em uma maneira adequada para fazer com que o Direito se torne mais atrativo e simplificado para o indivíduo que não faz parte do mundo jurídico. É, basicamente, pensar "fora da caixa" no quesito "como mostramos nosso trabalho de maneira mais fácil ao mercado?"

Apesar de não estar na sua pergunta, acho muito importante conceitualizarmos também o que muitas pessoas confundem com Design Thinking e com Legal Design: o Visual Law. Então vamos lá:

  • Visual Law

Se Legal Design é a mudança de cabeças e atitudes no setor jurídico visando uma união mais clara entre mercado e advogado, criando assim profissionais que pensem de uma forma mais atrativa, o Visual Law basicamente é a manifestação desse pensamento através da criação de documentos que instintivamente sejam de fácil compreensão ao não advogado. O Visual Law foca na otimização de documentos jurídicos, unindo elementos visuais do Design (tais como vídeos, infográficos, fluxogramas, bullet points, storyboards, ícones, entre outros) ao seu conteúdo original. É, basicamente, proporcionar uma comunicação jurídica utilizando-se elementos visuais claros e eficazes.

Acredito que a conceitualização destes três itens nos dá a visão mais ampla para que muitos advogados não sigam confundindo um com o outro. Ou pior, usando um termo como sinônimo do outro.

Espero ter ajudado.

Confira toda sexta-feira a coluna "Marketing Jurídico" e envie suas dúvidas sobre marketing jurídico, gestão de escritórios, cotidiano dos advogados empreendedores ou dúvidas gerais sobre o dia a dia jurídico por e-mail  (com o título Coluna Marketing Jurídico) que terei um grande prazer em ajudar.

Bom crescimento!

Atualizado em: 14/5/2021 08:54

Publicidade