terça-feira, 17 de maio de 2022

COLUNAS

  1. Home >
  2. Colunas >
  3. Marketing Jurídico >
  4. O pancadão do Will Smith

O pancadão do Will Smith

sexta-feira, 1 de abril de 2022

O amigo Bóris comenta:

"O que achou do Oscar? Você viu o que o Will Smith fez?".

Bóris, obrigado pelo comentário. Obviamente tive que passar esta resposta na frente de outras em função da necessidade de opiniões rápidas que a internet tem. Aos outros amigos, peço desculpa e dou a garantia que em breve continuo as respostas em ordem.

Mas vamos lá. Apenas se você mora na lua e ainda não sabe que o ganhador do Oscar 2022 fez, procure na internet "Will Smith tapa Chris Rock". Pois é, em um momento de fúria, o aclamado ator subiu ao palco e, enfezado por uma brincadeira com sua esposa, esbofeteou o comediante e apresentador da noite, Chris Rock.

Pode parecer que essa ocasião não tem nada a ver com marketing jurídico, mas tem. Veja: no momento mais climático de sua carreira, Will se deixou levar por uma emoção que pode ter arruinado sua tão emblemática carreira. Como é sabido, Hollywood já afundou atores e atrizes que saem do padrão convencional e esperado pela classe e, ainda mais quando falamos no tão conceituado Oscar, muita coisa pode convergir para um futuro incerto, onde a presença de Smith possa ser considerada como proibida.

Trazendo isso para uma esfera de marketing: quantas vezes não nos deixamos levar por emoções irracionais e que não são pensadas em prol de nossa carreira? Quantas vezes a importância em nos pronunciar, independente de onde estamos e como o fazemos, faz com que potenciais caminhos nos sejam negados com tal ação? Quantas vezes o ego nos atrapalha em nosso crescimento racional e estruturado?

Trago aqui o exemplo e a lembrança dos primeiros anos de Inrise, há mais de 20 anos. Obviamente, em começo de carreira, estamos procurando meios de nos promover e ser mais vistos. E nesse início de "busca ao sol" eu tinha alguns conhecidos que também estavam tentando crescer no setor e desenvolver suas respectivas empresas recém-nascidas. E nesse cenário, lembro de uma ocasião onde eu e um desses colegas que comento fomos chamados para palestrar em um evento grande. Quando verificamos a realidade da "oportunidade", precisaríamos pagar para estar juntos dos grandes da época no tal evento. E é aí que as coisas se separam. Ele, ao saber do real formato do evento, apontou o dedo na cara do organizador e fez um grande discurso de como aquilo era uma grande exploração e terminou explicitando às pessoas que nunca mais o procurassem se fosse para fazer uma proposta tão ridícula. O cabeça quente realmente desabafou e falou tudo o que queria. Bom pra ele, mal para os negócios dele. Eu, por outro lado, segui uma linha mais estratégica e a longo prazo. Pensei "Eu também acho que esse é um formato injusto, mas se essa é a regra do jogo, pelo menos para esse momento inicial de minha carreira, vamos jogar". Paguei o acordado, dei minha pequena palestra, conheci diversas pessoas no evento, alguns primeiros clientes e fiz networking com pessoas da gestão jurídica que cultivo até hoje.

Hoje, 20 anos depois, ainda estou aqui, obviamente em um patamar onde sou convidado a palestrar, diferentemente dos anos iniciais. E o meu colega temperamental? Foi bloqueado por diversos promotores, durou mais alguns anos nas tentativas de "impor sem ter bagagem suficiente" e sumiu do mapa. Se você está lendo essas linhas hoje, meu amigo P., lembre-se que conversamos sobre o assunto e o que poderia acontecer.

E é isso que eu trago como reflexão no dia de hoje (principalmente para os jovens advogados): pensem em sua carreira a longo prazo e tenham certeza que muitas vezes você vai ter que comer sola de sapato antes de comer caviar.

Will Smith se queimou em Hollywood como meu amigo destemperado se queimou no cenário jurídico anos atrás? Sinceramente eu espero que não, pois sou muito fã dele. Você pode fazer o que quiser, da maneira que quiser, com quem quiser e isso não vai afetar sua carreira? De maneira nenhuma. Se sua ascensão não for pensada, estruturada e ladeada por contatos que podem te ajudar a contornar seus problemas, vai se tornar muito mais difícil do que já é.

Seja agregador, não confrontador. Ou você está a favor do vento ou contra. Ou você é o Titanic ou o iceberg (opa, aqui já é o Dicaprio...).

Espero ter ajudado.

Confira toda sexta-feira a coluna "Marketing Jurídico" e envie suas dúvidas sobre marketing jurídico, gestão de escritórios, cotidiano dos advogados empreendedores ou dúvidas gerais sobre o dia a dia jurídico por e-mail (com o título Coluna Marketing Jurídico) que terei um grande prazer em ajudar.

Bom crescimento!

Atualizado em: 31/3/2022 11:18