Segunda-feira, 18 de novembro de 2019

ISSN 1983-392X

Advogado: qual a atual procura?

Andreza Marafon

Em toda época de baixo crescimento econômico, a demanda por advogados trabalhistas e sindicalistas tende a crescer.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Em recente entrevista a revista Você S/A, uma empresa de consultoria opinou que na área jurídica algumas especialidades possuem maiores demandas que outras na hora de busca e seleção de um profissional. Logicamente que atuando em um mercado tão especializado, mas ao mesmo tempo com tantas opções de atuação, nós headhunters, conhecemos um pouco mais sobre as demandas de cada período.

No entanto, em nossa experiência em lidar especificamente com este mercado, apontaríamos outras demandas que estão no auge neste ano conturbado, que, em razão da crise econômica, levaram as empresas e escritórios a planejar melhor as contratações.

E, como em toda época de baixo crescimento econômico, a demanda por advogados especializados nas áreas Trabalhista e Sindicalista tende a crescer.

O PIB do Brasil no primeiro trimestre de 2012 apresentou um crescimento de apenas 0,2% entre janeiro e março, muito pouco se comparado ao primeiro trimestre de 2011. Foi um crescimento fraco que aponta um processo de desaceleração da economia em 2012, que leva consequentemente a redução em contratações na área de capitais e uma maior contratação nas áreas que auxiliam as empresas nas demissões e nos processos sindicais.

Os principais fatores que causaram esse fraco crescimento do PIB nesse primeiro trimestre foram sabidamente: A crise econômica na Europa, a crise no consumo interno pelo endividamento das famílias, o aumento das importações maior que o das exportações e o clima que prejudicou o setor agropecuário. O setor de serviços também teve um fraco crescimento de 0,6%, o que não ajuda a contratação dos próprios escritórios de advocacia como prestadores de serviços, o que acarretou em uma redução na contratação de advogados em comprado ao ano de 2011.

Podemos citar também um fator que ajudou essa queda não ser maior, e acabou por contribuir para a procura de outros tipos de profissionais no mercado jurídico: O setor industrial, movido pelo aumento das receitas das industriais, apresentou um crescimento de 1,7%, o que gerou uma procura maior nos perfis trabalhistas, empresariais em geral (gerentes jurídicos, analistas jurídicos), civil e o sempre apoiador tributário.

Com o objetivo de acelerar o crescimento do PIB em 2012, o governo brasileiro vem adotando algumas medidas como, por exemplo, diminuição da taxa de juros e a redução de impostos, sendo que esse último acaba por levar escritórios e empresas a contratarar os profissionais dos tributos.

As áreas Societária, Imobiliária e de Infraestrutura tiveram uma pequena desaceleração de contratações de pessoal de alto escalão e, ainda, a estagnação de profissionais medianos. Os escritórios buscam agora, devido a não demanda momentânea dessas áreas, formar novos profissionais através de programas de estagio e trainee para o futuro crescimento novamente nesse mercado, no ano de 2013, ou seja, mais uma vez nota-se o planejamento e preocupação nessas áreas que um pouco congeladas agora, mas que com certeza voltarão com tudo após a melhoria da situação mundial.

__________

* Andreza Marafon é gerente da consultoria especializada em recrutamento e seleção jurídica e fiscal da Santivo

__________