Quarta-feira, 20 de março de 2019

ISSN 1983-392X

Entre os sacis e as fadas...

Vanessa Negrini

Dia 31 de outubro poderá se tornar o Dia do Saci. Ainda não está valendo, mas se depender da vontade do novo presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB/SP), talvez o PL nº. 2762/2003, de sua autoria, seja logo desengavetado, para alegria dos estadinhos de plantão.

terça-feira, 17 de janeiro de 2006


Entre os sacis e as fadas...

Vanessa Negrini*

Dia 31 de outubro poderá se tornar o Dia do Saci. Ainda não está valendo, mas se depender da vontade do novo presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB/SP), talvez o PL nº. 2762/2003, de sua autoria, seja logo desengavetado, para alegria dos estadinhos de plantão.

O objetivo do projeto, segundo o autor, é celebrar o folclore brasileiro, por meio do “Saci e de seus amigos: Iara, Curupira, Boitatá e tantos outros”. Não é brincadeira, não. Está lá, no texto da propositura.

Nada contra o Saci e a valorização da cultura popular, mas parece absurdo constatar que o único projeto apresentado durante todo o ano de 2003 pelo parlamentar tenha sido este!

Se bem que tão profícua atuação pode ser considerada uma evolução se comparada ao exercício de 2002, sem a apresentação de um único projeto pelo líder governista. Era ano eleitoral e o parlamentar comunista não foge a regra da maioria de seus pares: ao invés de olhar pelo país foi correr atrás de garantir um novo mandato.

Já teve mais fôlego o parlamentar no início de sua carreira política, quando ainda era pedra e não vidraça. Inclusive com alguns requerimentos bem interessantes, pedindo explicações sobre campanhas de publicidade (que coincidência do tema!) que seriam desencadeadas pelo Governo Federal, por meio da Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

Na legislatura atual (2003-2007), licenciou-se para exercer o cargo de ministro de Estado da Secretaria de Coordenação Política e Relações Institucionais do Governo, de 23 de janeiro de 2004 a 20 de julho de 2005. No entanto, para o governo se ver obrigado a emaranhar-se nesta imensa teia de corrupção, comprando deputados para garantir a votação de projetos de seu interesse, é sinal de que Aldo não conseguiu coordenar nada.

Na época, sua postura pró-governo tão acrítica, provocou uma enorme ruptura dentro do PCdoB. Houve uma debandada de seguimentos importantes do partido, membros históricos inconformados com a defesa cega e incondicional, em assuntos que nem mesmo os petistas ousavam defender o governo.

Recém-eleito presidente da Câmara – e não quero nem começar a divagar sobre a custa do que se conseguiu essa vitória – resta a nós, simples mortais, que vivemos “com um pé na realidade e outro no sonho", torcer para que sua atuação seja mais produtiva para o País.

Ademais, o que esperar de uma figura tão zen (curiosamente, ele também é o autor do PL-4680/2001, que regulamenta o exercício da Ioga), segundo auto-definição, que parece não dimensionar a extensão de sua nova tarefa?

Rezemos para que tudo dê certo ou então a bruxa vai pegar no Congresso! Ou melhor, segundo o deputado, contrário a invasão cultural, defensor ferrenho dos mitos e lendas brasileiras: a cuca vai pegar! Te pega daqui, te pega dali...
______________

*Jornalista e Publicitária






______________