Domingo, 21 de julho de 2019

ISSN 1983-392X

5 dicas importantes para os advogados poderem lidar com chefes tóxicos

Maria Olívia Machado

Considerando que não pode mudar seu chefe, mas precisa manter o emprego, aqui trazemos algumas dicas de como lidar com esta situação.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Chefes terríveis não aparecem apenas em filmes, não. Quantas vezes você já ouviu alguém reclamar sobre isso?

Na área do Direito, esta questão é veemente. Muitos advogados reclamam que não aprenderam a conquistar clientes durante o curso na universidade. Contudo, a dificuldade vai além, porque eles também não aprenderam a treinar, supervisionar e motivar os seus colaboradores. E ser um líder não é fácil, muito pelo contrário, requer tempo, energia e investimento profundo na equipe para o benefício do escritório, do departamento jurídico e de todos os seus membros.

É fato que a maior parte das pessoas não nascem treinadas para isso. Esta é uma habilidade que é desenvolvida e aperfeiçoada através da experiência, prática e de um desejo verdadeiro em aprender.

Entretanto, nem todos querem dedicar tempo a esta função, mas se perpetuam nas organizações, porque têm clientes importantes, são muito bons tecnicamente ou até mesmo por alguma questão política. A boa notícia é que você não é impotente em relação a isso. E considerando que não pode mudar seu chefe, mas precisa manter o emprego, aqui trazemos algumas dicas de como lidar com esta situação:

1. Não tente mudar o seu chefe.

Isto pode ser evidente, mas é tentador pensar que talvez exista algo que você possa fazer ou dizer, a fim de mudar o comportamento dele. A nossa experiência nos mostra que este não é um bom caminho. Não há como controlar os outros, mas há como se controlar. E a melhor forma de começar a lidar com um chefe difícil é se melhorando.

Faça uma autoanalise. Verifique, genuinamente, os seus pontos fortes e os de melhoria, até mesmo para ter certeza que o problema não é você. Se concluir que é realmente o seu chefe, busque maneiras de se relaxar mais no dia a dia, a fim de diminuir a tensão desta relação. Além de exercícios físicos, faça pausas estratégicas durante o expediente, converse com outras pessoas, etc.

É importante, também, verificar a qualidade do seu trabalho. Quando ela está acima de qualquer suspeita, você diminui as críticas do seu chefe e consegue se sentir melhor consigo mesmo. Concentre sua energia naquilo que você, somente você pode fazer para lidar melhor com esta situação.

2. Cheque o seu entendimento das atividades e prioridades.

Está claro para você aquilo que seu chefe espera de seu trabalho? Muitas vezes, o problema na relação se dá, porque você pensou que ele gostaria que fizesse "x", quando na verdade ele queria "y".

Com a tensão iminente de receber mais um feedback negativo, você pode não estar percebendo que não estão alinhados sobre como realizar as suas tarefas ou sobre quais deveriam ser as suas prioridades. Portanto, pergunte a si mesmo, se os dois estão na mesma página a respeito do seu papel e de onde você deve se concentrar. Se não tem certeza, então, busque um horário para que possa esclarecer melhor a questão e compreender plenamente as expectativas dele.

3. Peça feedbacks específicos.

Se você tem recebido um monte de feedbacks negativos sobre o seu trabalho, certifique-se de pedir exemplos específicos de como fazer para se sair melhor nas próximas vezes. Muitos chefes não sabem dar feedbacks construtivos, por isso, é importante você questionar, a fim de que ele também possa praticar e aprender a dá-los.

É fundamental, também, manter a calma nestes momentos mais delicados e pedir para que ele lhe diga exatamente como melhorar. Se conseguir abordar esta questão com uma mente aberta e um tom neutro, poderá descobrir coisas surpreendentes sobre o porquê dele estar sendo tão duro com você.

4. Alimente-o com informações sobre as suas atividades.

Um erro muito frequente ao lidar com chefes tóxicos é afastar-se deles. Acontece que muitos detestam surpresas e se sentem muito mais seguros à medida que ficam a par do que está acontecendo. Portanto, aproxime-se, alimentando-o com as informações que ajudem neste processo.

Contudo, não exagere. Aprenda o "timing" dele, a fim de que esta atitude se torne a mais efetiva possível. Se aliado a isso, você conseguir estar sempre um passo à frente em relação às demandas que ele te trará, isso gerará uma relação de maior confiança, evitando que ele fique no seu pé.

5. Ressignifique os acontecimentos.

Lidar com chefes difíceis faz com que muitas vezes o advogado perca a perspectiva e acabe por considerar os problemas e as situações muito piores do que na verdade são. Uma das alternativas possíveis para recuperar a perspectiva é resignificar o acontecimento. Desta forma, questione-se sobre:

  • A dimensão que está dando à situação: Será que meu chefe é mesmo tão centralizador ou sou eu que desejo desafios para os quais ainda não estou preparado?
  • O seu tempo: Será que daqui a um tempo conseguirei deixar de me incomodar com estes comportamentos do meu chefe?
  • O seu foco narcisista: Será que ele só tem esta atitude comigo?
  • A sua escala de prioridades: será que não tenho nada mais importante para eu me focar e me preocupar?

O objetivo deste auto desafio é que o profissional do direito passe a adotar um comportamento mais eficaz para tratar com os superiores tóxicos.

E, por fim, se nada disso estiver dando certo, veja se é possível trabalhar com outra pessoa na organização ou, mesmo, mudar de emprego. Isso lhe dará maior controle sobre a sua vida, aumentando o seu bem estar. Sucesso na sua carreira!

______________


*Maria Olívia Machado é coach, advogada e sócia da Thelema Coaching para Advogados.