quinta-feira, 1 de outubro de 2020

MIGALHAS DE PESO

É a arbitragem método adequado de solução de conflitos no agronegócio?

Poder-se-ia dizer que não só a arbitragem é adequada ao agronegócio, como também que o agronegócio precisa da arbitragem, a fim de alcançar melhores resultados em termos de resolução de disputas.

A flexibilidade e duração dos procedimentos são comumente apontadas como vantagens da arbitragem como método de solução de disputas. Entretanto, como também é sabido, nem toda disputa tem na arbitragem sua melhor arena. Dito isto, e notando o pouco uso da arbitragem nos conflitos relacionados ao agronegócio, é que se põe a pergunta título deste artigo. 

É importante ressaltar que o agronegócio envolve muito mais que aquilo que é feito nas fazendas, espaço conhecido como "dentro da porteira". A cadeia toda do agronegócio (termo cunhado em 1957 por Goldberg e Davis) inclui agroquímicos, reprodução, colheita, distribuição, maquinário, processamento, abastecimento, marketing e vendas no varejo, sem mencionar o comércio internacional de commodities. 

Analisando a diversidade das relações jurídicas e comerciais que podem surgir dessa complexa cadeia, fica claro que muitas delas enquadram-se na necessária arbitrabilidade. Além disso, especialmente nos dias de hoje, conhecimento muito específico é necessário para resolverem-se os problemas vindos desta área. 

Por exemplo, contratos agroindustriais e de integração têm particularidades que não são encontradas em outros tipos de contratos. Basta lembrar que a UNIDROIT já elaborou um documento voltado especificamente para este tema. Mesmo diversas operações financeiras foram criadas para adequarem-se a esse mercado, no qual não raramente a "moeda" é a própria produção do campo. Tudo isto revela a ampla possibilidade para a utilização da arbitragem, bem como de outras ADRs como métodos a serem adotados no agronegócio. 

Ainda, a produção agrícola é sazonal, significando que a duração e o custo dos procedimentos devem ser muito bem administrados, o que é tarefa difícil para os tribunais estatais. Logo, poder-se-ia dizer que não só a arbitragem é adequada ao agronegócio, como também que o agronegócio precisa da arbitragem, a fim de alcançar melhores resultados em termos de resolução de disputas.

_________________

*Letícia de Souza Baddauy é árbitra parceira da CAMES.

t

Atualizado em: 17/6/2019 11:04

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

É Autor Migalhas? Faça seu login aqui

AUTORES MIGALHAS

Enio Fontenelle

Enio Fontenelle

Migalheiro desde 2012

Claudio Lamachia

Claudio Lamachia

Migalheiro desde 2016

Letícia Arenal

Letícia Arenal

Migalheira desde 2015

Leandro Madureira Silva

Leandro Madureira Silva

Migalheiro desde 2015

Márcio Soares Berclaz

Márcio Soares Berclaz

Migalheiro desde 2006

Edson Fachin

Edson Fachin

Migalheiro desde 2012

Laís Lewicki

Laís Lewicki

Migalheira desde 2019