domingo, 27 de setembro de 2020

MIGALHAS DE PESO

Oitenta anos sem Clarence Darrow

No mês passado, Stephen Anderson, escrevendo para o Illinois State Bar News, que publica, também, o boletim dos tribunais no mesmo Estado, colocou este sugestivo título em seu artigo: "Will Darrow's ghost show up on March 13 date of death?" . Como em todos os anos, a data do nascimento e da morte de Clarence Seward Darrow é celebrada com vários eventos. Os membros e amigos da entidade Clarence Darrow Commemorative Committee sempre preparam reuniões muito significativas. Então, nesta data, quando os leitores de Migalhas estiverem recebendo o seu noticiário, ao abri-lo, por volta das 10 horas da manhã, estarão comungando com os presentes no memorial erigido em memória de Darrow em Chicago, numa ponte localizada atrás do Museu de Ciência e Indústria, com os feitos desse notável advogado.


Oitenta anos sem Clarence Darrow

Jayme Vita Roso*

- I -

No mês passado, Stephen Anderson, escrevendo para o Illinois State Bar News, que publica, também, o boletim dos tribunais no mesmo Estado, colocou este sugestivo título em seu artigo: "Will Darrow's ghost show up on March 13 date of death?"1

Como em todos os anos, a data do nascimento e da morte de Clarence Seward Darrow é celebrada com vários eventos. Os membros e amigos da entidade Clarence Darrow Commemorative Committee sempre preparam reuniões muito significativas. Então, nesta data, quando os leitores de Migalhas estiverem recebendo o seu noticiário, ao abrí-lo, por volta das 10 horas da manhã, estarão comungando com os presentes no memorial erigido em memória de Darrow em Chicago, numa ponte localizada atrás do Museu de Ciência e Indústria, com os feitos desse notável advogado.

O título do artigo mencionado tem por recordação uma promessa feita por Darrow em 1938, em seu leito de morte, de que em East 60th Street, sempre em Chicago, seu fantasma apareceria um dia no futuro, na lagoa do Jackson Park, onde suas cinzas deveriam ser espalhadas. Também hoje, em Chicago, após a cerimônia, o grupo de amigos vão se reunir no auditório Rosenwald, exatamente no pavilhão oeste daquele museu, para uma palestra da professora Catherine Crawford, da Northwestern University School of Law. O tema dessa palestra, trazendo sempre presente a atuação pessoal e profissional de Darrow, não escapa daquilo que ele vivenciou. Será "Challenging Racially Motivated Prosecutions"2. O temário da palestra abordará o caso conhecido como "Jena Six", ou seja, um incidente no Estado de Indiana ocorrido com estudantes negros do curso secundário, que foram processados como autores de um homicídio ocorrido após o espancamento de um estudante branco. Anderson diz que o assunto ainda hoje é relevante, mesmo porque Clarence Darrow defendeu, com sucesso, um homem negro e sua família, acusados de assassinato depois de terem defendido sua casa de uma multidão branca, oitenta anos atrás3.

- II -

Quem foi Clarence Seward Darrow?

Nos dias correntes, a figura mítica do advogado Clarence Darrow praticamente não teve mais sucessores. Todos sabem que a advocacia perdeu todos os seus bons eflúvios românticos quando passou a ser tratada como se fora uma empresa e, por conseqüência, mercantilizada. As verdadeiras crenças da advocacia diluíram-se no mar revolto dos interesses materiais. É por isso que Darrow é lembrado como mito, admirado, estudado e respeitado, tudo com restrições.

Clarence Darrow nasceu em Kinsman, Ohio, no dia 18 de abril de 1857. Seu pai era ministro unitarista (seita fundamentalista), mas Darrow foi criado como agnóstico. Formado pela University of Michigan Law School, começou sua carreira como advogado em Youngstown, Ohio. Durante nove anos, trabalhou como um típico advogado de cidade pequena. Em busca de novos desafios, mudou-se para Chicago em 1887.

Em 1890, ele já era considerado o principal advogado trabalhista dos Estados Unidos. Durantes os anos seguintes, defendeu vários líderes de sindicato, presos durante litígios com indústrias (sobretudo greves). Também se envolveu em campanhas contra o trabalho infantil e a pena de morte.

Clarence Darrow defendeu, com sucesso, William D. Haywood, líder da Industrial Worker of the World (IWW), acusado de estar envolvido no assassinato de Frank R. Steunenberg, antigo governador de Idaho. Outro caso notável, em seqüência a esse, foi a defesa dos irmãos McNamara, líderes trabalhistas que haviam sido acusados de dinamitar o prédio do Los Angeles Times.

Ainda que Darrow tenha apoiado o envolvimento das Forças Aliadas na Primeira Guerra Mundial, representou várias pessoas acusadas de praticar atos considerados contra o interesse dos Estados Unidos.

Um de seus casos mais importantes foi a defesa do professor John T. Scopes, julgado por ensinar aos alunos a teoria da evolução das espécies de Darwin, ao invés de pregar a doutrina da criação Divina. Seu adversário foi William Jennings Bryan, ex-candidato à presidência dos Estados Unidos, que acreditava na interpretação bíblica. Ainda que Darrow tenha brilhado durante o julgamento, Scopes foi declarado culpado. Esse caso, que fez história no judiciário norte-americano, atualmente se repete com as manifestações de algumas cortes americanas também contrárias à teoria Darwiniana, aguardando-se a palavra final a respeito desse assunto, para que não fique cerceado o ensino desta importante teoria cientifica para os alunos das escolas secundárias. A posição das cortes vem refletindo as inúmeras manifestações do atual presidente George W. Bush que, sendo evangélico fundamentalista, entende que as Escrituras Sagradas sejam interpretadas ao pé da letra, ou literalmente.

Darrow faleceu em Chicago, no dia 13 de março de 1938, não tendo tido que viver as agruras da participação norte-americana na Segunda Guerra Mundial e, sobretudo, das brutalidades que ocorreram nessa conflagração e, menos ainda, assistir o lançamento de bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki sobre populações desarmadas, quando a guerra contra o Japão já estava praticamente vencida.

- III -

Algumas palavras sobre Clarence Darrow como advogado e homem.

Ele viveu bem. Aproveitou a vida, tirou dela tudo que ela podia lhe dar em termos próprios como advogado, sobretudo. Por isso, sempre foi feliz. Nesse tópico, algumas palavras que escreveu sobre si mesmo bem definem o seu perfil ao ensejo da comemoração de seu sexagésimo primeiro aniversário, no dia 18 de abril de 1918, quando a primeira conflagração mundial se encontrava praticamente terminada. Disse ele de si mesmo:

"As we grow older, friends mean more and more. There are not many who have the capacity for true friendship. The world does not permit it. We have too much to do. We are too busy getting a living and getting money. We are too busy keeping out of the poorhouse and the jail. I have often told young men starting out in business not to make acquaintances, but to make friends. Acquaintances are of little value unless you want to run for office, and I know that each of you have an ambition higher than that. But friends are of value as you go through life. They are of value in an infinite number of ways and places that you can never see in advance. They give consolation, comfort, and help which nothing else can bring"4.

E, encerrando suas reflexões:

"I have always believed that man has little or nothing to do with himself. He is born without willing. He dies when his time is up. He is influenced by everything about him, helpless from the beginning to the end.

This is life and all there is of life; to play the cards we get; play them uncomplainingly and play them to the end. The game may not be worth the while. The stakes may not be worth the winning. But the playing of the game is the forgetting of self, and we should be game sports and play it bravely to the end"5.

- IV -

Não seria justo encerrar esta modesta recordação, trazendo aos migalheiros exemplo vivo de advogado, hoje não mais existente pela própria mudança radical da profissão em todos seus quadrantes, como foi o cultuado Clarence Seward Darrow.

Pinçados dos seus trabalhos, algumas citações ou pensamentos que mostram sua personalidade, seu caráter, sua devoção à advocacia e à pátria e seu profundo humanismo.

Algumas delas, com 100 anos já de quando foram escritas ou proferidas, mas mostrando a sua atualidade e imortalidade, pois a intransigência de Darrow foi com as injustiças sociais, sobretudo.

"As long as the world shall last there will be wrongs, and if no man objected and no man rebelled, those wrongs would last forever."6

"History repeats itself, and that's one of the things that's wrong with history."7

"I have never killed a man, but I have read many obituaries with great pleasure."8

"I have suffered from being misunderstood, but I would have suffered a hell of a lot more if I had been understood."9

"If you lose the power to laugh, you lose the power to think."10

"Justice has nothing to do with what goes on in a courtroom; Justice is what comes out of a courtroom."11

"Laws should be like clothes. They should be made to fit the people they serve."12

"None meet life honestly and few heroically."13

"Someday I hope to write a book where the royalties will pay for the copies I give away."14

"To think is to differ."15

"Working people have a lot of bad habits, but the worst of these is work."16

"You can protect your liberties in this world only by protecting the other man's freedom. You can be free only if I am free."17

- V -

Quem sabe, ainda no final do rígido inverno de Chicago, hoje com temperatura de 8ºC e mínima de -3ºC vai aparecer não o fantasma de Clarence Seward Darrow, mas todo o seu espírito que até hoje ficou como expectador dos acontecimentos ocorridos no seu país e, também no mundo inteiro. Combinamos que exatamente às 18 h de São Paulo outonal, sem desconto dos fusos horários, teremos um diálogo bem frutuoso e bem atual sobre todos os acontecimentos que estão passando em nossa frente e quantas esperanças podemos depositar para que o mundo seja melhor e a advocacia seja exercida com mais amor, menos espírito mercantilista, mais voltada aos interesses da comunidade carente e dos que são vítimas de preconceitos e que as nossas pátrias se bifurquem na promoção da vida plena em busca da verdadeira felicidade terrena. Depois eu conto...

- VI -

Bibliografia:

COWAN, Geoffrey. The people v. Clarence Darrow. New York: Times Books, 1993. 546 p.

DARROW, Clarence. The story of my life. New York; London: Charles Scribner's Sons, 1932. 465 p.

DARROW, Clarence. Verdicts out of court. Edited with an introduction by Arthur and Lila Weinberg. Chicago: Elephant Paperbacks, 1989, 1963. 448 p.

HIGDON, Hal. The crime of the century: the Leopold and Loeb case. New York: Putnam, 1975. 380 p.

LARSON, Edward. Summer for the Gods: the Scopes trial and America's continuing debate over science and religion. New York: BasicBooks, 1997. 318 p.

LUKAS, J. Anthony. Big Trouble: a murder in a small western town sets off a struggle for the soul of America. New York, NY: Simon & Schuster, 1997. 875 p.

STONE, Irving. Clarence Darrow for the defense, a biography. Garden City, N.Y.: Doubleday, Doran & company, inc., 1941. 570 p.

TIERNEY, Kevin. Darrow: A Biography. New York: Crowell, 1979. 490 p.

WEINBERG, Arthur. Attorney for the Damned. Edited and with notes by Arthur Weinberg. New York: Simon and Schuster, 1957. 552 p.

WEIBERG, Arthur; WEIBERG, Lila. Clarence Darrow, a sentimental rebel. New York: Putman, 1980. 462 p.

__________________________

1
Literalmente: Será que o fantasma de Darrow aparecerá dia 13 de março, data de sua morte?

2Literalmente: Os Desafios Impostos pelas Ações Judiciais que Envolvem Questões Raciais

3"The topic is appropriate in that Clarence Darrow successfully defended a black man and his family against murder charges 80 years ago after they defended their home against white mob in Detroit". ISBA Bar News and Illinois Courts Bulletin. Fev. 2008.

4À medida que envelhecemos, os amigos se tornam cada vez mais importantes. Não há, no mundo, muitas pessoas que sejam capazes de estabelecer relações verdadeiras de amizade. O mundo não permite que isso aconteça. Sempre temos muitas coisas a fazer. Estamos ocupados demais ganhando dinheiro, ocupados demais tentando não acabar em instituições de caridade ou na cadeia. Meu conselho para os jovens em início de carreira é sempre o mesmo: façam amigos, não colegas. Colegas só se farão importantes quando vocês quiserem se candidatar a algum cargo, mas sei que cada um de vocês ambiciona algo muito maior do que isso. Amigos, por outro lado, são importantes para a vida toda; amigos têm um valor inestimável. Eles nos consolam, confortam e ajudam de todas as maneiras possíveis.

5Sempre acreditei que o homem tem pouco ou nada a ver consigo mesmo. Nasce sem desejar; morre quando a hora é chegada. Ele é influenciado por tudo sobre ele, impotente do começo ao fim.
Assim é a vida e em tudo há vida; jogar o jogo, jogá-lo com as cartas que recebemos sem reclamações, até o fim. O jogo pode não valer a pena, os riscos podem não valer a vitória. Mas jogar é esquecer de si próprio. E todos nós deveríamos ser bons esportistas e jogar com bravura até o fim.

6Equívocos existem desde que o mundo é mundo e continuarão a existir se nenhum homem se opuser ou rebelar contra eles.

7A História se repete e essa é uma das coisas erradas com ela.

8Nunca matei um homem; todavia li muitos obituários com prazer.

9Sofri quando não fui compreendido, mas teria sofrido muito mais se tivesse sido compreendido

10Se perder o poder de rir, perderá o poder de pensar.

11A justiça não tem nada a ver com o que entra num tribunal; justiça é o que sai dele.

12Leis deveriam ser como roupas: sob medida para cada pessoa.

13Ninguém encara a vida com honestidade, poucos heroicamente.

14Espero algum dia escrever um livro cujos royalties paguem pelas cópias que darei de presente.

15Pensar é discordar.

16Os trabalhadores têm inúmeros maus hábitos, mas o pior deles é mesmo o de trabalhar.

17Você pode proteger sua liberdade neste mundo protegendo a liberdade de outrem. Você só pode ser livre se eu também for.

____________








*Advogado do escritório
Jayme Vita Roso Advogados e Consultores Jurídicos













_______________

Atualizado em: 1/1/1900 12:00

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

É Autor Migalhas? Faça seu login aqui