terça-feira, 13 de abril de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

Como vão as coisas?

Agora, não há quem não fique assim meio zonzo. Basta uma pergunta. Como vão as coisas? A mente gira rápida como um radar do controle aéreo e a resposta meio perdida na ponta da língua não diz nada. Só traduz perplexidade.

terça-feira, 30 de junho de 2009


Como vão as coisas?

Edson Vidigal*

Agora, não há quem não fique assim meio zonzo. Basta uma pergunta. Como vão as coisas? A mente gira rápida como um radar do controle aéreo e a resposta meio perdida na ponta da língua não diz nada. Só traduz perplexidade.

Uma enchida de ar nos pulmões estufa os peitos e a resposta resumindo as coisas não sai, continua difícil. Ora, como responder sobre esse estado das coisas se todos os olhos estão focados é nesse pântano moral e cívico em que se transformou o Senado que de há muito deixou de ser da República para ser, às custas do dinheiro público, o antro da perversão política?

Ah eu não fui eleito para cuidar da dispensa nem da lixeira, e sim para presidir politicamente a Casa! Que tal essa? Seria a epígrafe de um volumoso manual sobre a falta de compromisso com a coisa pública. Ou seja, falta de compromisso com o Estado de Direito Democrático e com a República.

Responder de pronto como vão as coisas com essa zoeira do Senado fica a cada hora mais difícil. Isto porque o inesperado se agrega aos ponteiros trazendo uma novidade inimaginável a cada vez.

E isso tudo numa correnteza de enchente que se a gente não prestar muita atenção acaba perdendo de vista o escândalo de agora a pouco e já nem dando conta daqui a pouco do escândalo que passa agora em frente.

Como e quando isso vai parar?

Nas eleições do ano que vem, quando cada Estado do Brasil terá a chance de trocar dois senadores de uma vez só vez. Como? Prestando mais atenção nas historias de vida dos novos candidatos ao Senado, separando ficha limpa de ficha suja. Preferindo os mais capacitados para trabalhar.

A esta altura, ninguém que ainda estando nesse Senado, minoria ética ou maioria deslavada, tem mais o que explicar. Quem se aproveitou vai ser escorraçado. Quem não se aproveitou, foi conivente. Vai ser tirado também.

_______________


*Ex-Presidente do STJ e Professor de Direito na UFMA





__________________

Atualizado em: 29/6/2009 13:29

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

Publicidade