quarta-feira, 30 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Despedida

Plenário se despede do ministro Cezar Peluso com tristeza e gratidão

Matéria publicada no site do Supremo retrata emoção da despedida.

O ministro Cezar Peluso proferiu ontem seu último voto no STF. Ele se aposenta compulsoriamente no próximo dia 3. Sua despedida da Corte foi marcada por homenagens e emoção. Veja matéria publicada no site do Supremo, que retrata os sentimentos demonstrados no plenário nesta quarta-feira, 29.

_________

Plenário se despede do ministro Cezar Peluso com "tristeza e gratidão'

O ministro Cezar Peluso participou nesta quarta-feira (29) de sua última sessão plenária como membro do Supremo Tribunal Federal (STF). Após concluir seu voto na primeira parte da Ação Penal 470, ele foi homenageado pelo presidente do STF, ministro Ayres Britto, que, em nome dos demais ministros, afirmou que o momento causa um sentimento misto "de tristeza" pela despedida e "de honra e de gratidão" pelo "convívio frutuoso" durante os mais de nove anos em que o ministro integrou a Corte.

"Sua Excelência sempre nos transmitiu preciosas lições de vida. Encarna a figura emblemática do juiz na detença de virtudes subjetivas que não podem deixar de ser exaltadas e praticadas, como a independência, a competência, a transparência, o desassombro pessoal, o desassombro no plano das ideias, um juiz eminentemente estudioso, culto, solícito e aberto", afirmou o ministro Ayres Britto ao destacar que todos aprenderam com o ministro Peluso que "um juiz deve pautar seu ofício por esses conjugados prismas da decência, da independência, do estudo, da ética, da transparência e da abertura espiritual para o diálogo permanente".

"Receba as nossas homenagens, a nossa gratidão e nosso eterno preito de admiração pelo ser exponencial, espiritualmente evoluído, culturalmente paradigmático que Vossa Excelência é", finalizou o presidente.

Roberto Gurgel

Em nome do Ministério Público Federal (MPF), o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, elogiou o ministro Peluso por suas virtudes, que o fazem "uma personalidade absolutamente exemplar, seja na judicatura, seja na sua dimensão humana". Gurgel fez referência, ainda, à capacitação técnica do ministro Peluso bem como ao seu "profundo conhecimento jurídico e a erudição nos outros ramos do conhecimento humano".

"No período em que Sua Excelência esteve nesta Suprema Corte, sem dúvida alguma, soube dar ao efêmero a densidade do eterno. A presença de Sua Excelência ficará marcada para sempre na história do Supremo Tribunal Federal, na história da Justiça brasileira e na história do nosso país", afirmou Gurgel.

Decano

O decano do Tribunal, ministro Celso de Mello, observou que "os grandes juízes do STF, como o ministro Cezar Peluso, não partem jamais. Ao contrário, permanecem eternos na memória e na história deste grande Tribunal". O ministro Celso de Mello também destacou a independência, a altivez e a integridade com que o ministro Peluso exerceu a função de julgar enquanto esteve no STF.

O ministro Celso lamentou que o legislador da Constituição Federal de 1988 "não tenha sido tão sábio quanto o foi o primeiro legislador constituinte republicano que, ao promulgar a Constituição de 1891, sequer estabeleceu limite etário para efeito de aposentadoria compulsória". Com isso, de acordo com o ministro, o STF pôde dispor de grandes juízes experientes, de notáveis magistrados, ao longo de décadas.

"É lamentável que não só o Poder Judiciário, mas que este país venha a ficar privado de figuras eminentes como a do ilustre juiz e ministro da Suprema Corte Cezar Peluso", finalizou o ministro Celso.

O ministro Gilmar Mendes também registrou a importância do ministro Peluso para a Suprema Corte e fez referência ao "brilho de sua inteligência e dedicação às causas da Justiça e ao Supremo Tribunal Federal".

Advogado

Em nome dos advogados, Márcio Thomaz Bastos prestou homenagem ao ministro Peluso e lembrou que há muito tempo acompanha sua carreira. Ele citou que defendeu uma causa quando o ministro era juiz auxiliar no interior de São Paulo e, desde então, pôde sentir "o seu equilíbrio, a sua maturidade, a sua independência, o seu rigor e o seu vigor na condução da instrução criminal".

Bastos afirmou que o ministro Peluso já chegou ao STF "pronto". "Vossa Excelência não teve que vir aqui para provar alguma coisa, Vossa Excelência já era um magistrado honesto, brilhante, independente, capaz de votar com a sua própria cabeça, e que não vai deixar o plenário ao se aposentar, porque fica por seus votos, por seus exemplos e pela maneira como conduziu o STF e produziu votos maravilhosos em decisões importantes e cruciais, como a que homologou a constitucionalidade do Conselho Nacional de Justiça", afirmou o advogado.

"Quero agradecer pelo serviço público de alta relevância que Vossa Excelência prestou aqui", finalizou Bastos.

O ministro Cezar Peluso completa 70 anos no próximo dia 3 de setembro e deixa o STF em virtude da aposentadoria compulsória.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 30/8/2012 09:29